Arquidiocese de Manaus

Dom José Albuquerque fala sobre temática e vivência do Mês Vocacional 2020

Assumido em âmbito nacional, em 1981, por dioceses e regionais da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), o mês vocacional, celebrado em agosto, tem o intuito de ser um tempo especial de reflexão e oração pelas vocações e ministérios.

Este ano, em específico, a inspiração principal do mês vocacional está em sintonia com a Exortação Pós-Sinodal do Papa Francisco, a Christus Vivit, apresentada aos jovens e que traz orientações pastorais para toda a Igreja.

Com o tema “Amados e Chamados por Deus” e o lema “És precioso aos meus olhos. Eu te amo”  (Is 43,1-5), o mês vocacional este ano será celebrado de uma forma especial, principalmente por conta da pandemia.

O portal da CNBB conversou com o bispo auxiliar de Manaus, dom José Albuquerque, e referencial da Pastoral Vocacional, para entender como se dará as celebrações, escolha do tema e lema e o significado do cartaz que representa o mês vocacional. Confira a entrevista completa:

Como será a animação do Mês Vocacional em 2020, em tempos de pandemia ou pós-pandemia?

Nós estamos conversando com os coordenadores regionais da Pastoral Vocacional e, consequentemente, esses estão em contato com os coordenadores diocesanos e já percebemos que o trabalho de animação vocacional não parou. Eles estão sendo criativos, usando principalmente as redes sociais para continuar as reuniões, realizar momentos celebrativos de oração, de adoração ao Santíssimo, de oração pelas vocações, então nós sabemos que, de modo especial, os jovens são muito criativos nesse momento de pandemia, onde todos estamos zelando pelo distanciamento social, mesmo assim o trabalho continua.

É claro que tudo vai ser adaptado, então no mês de agosto nós já estamos recebendo diversas notícias de que vão acontecer momentos celebrativos, diversas entrevistas, lives sobre testemunhos vocacionais, então assim como nos anos anteriores este também não vai ser diferente. O pessoal vai se mobilizar de outras formas e nós estaremos disponibilizando um subsídio para que de algum modo possa ajudar a fazer com que aconteça esses encontros virtuais. 

No subsídio nós temos propostas de terço vocacional, momentos de leituras orantes da Palavra de Deus, celebrações com os jovens, com as famílias. Esse subsídio estará sendo disponibilizado já nos próximos dias e a nossa proposta é que ele chegue nas famílias, nas comunidades, nos grupos, não só da Pastoral vocacional, mas também em todos os grupos da paróquia.

Nós temos a esperança de que o mês de agosto continue sendo o mês onde todo mundo se reúne para rezar pelas vocações. Lembrando que nesse subsídio nós também teremos a divulgação da mensagem do Papa para o Dia Mundial das Vocações.

Como se deu a escolha do tema e lema? 

Nós temos a inspiração vinda da Exortação Apostólica Pós-Sinodal Christus Vivit, do Papa Francisco. Foi resultado do Sínodo dos Jovens e nesta Exortação o Papa destaca que três verdades precisam ser anunciadas e nós vamos seguir a partir deste ano a proclamação de uma verdade.

Neste ano de 2020, a primeira verdade é que Deus nos ama, então isso está muito presente no tema e no lema. O tema “Amados e chamados por Deus” e o lema inspirado em Isaías “És precioso aos meus olhos. Eu te amo”, é uma citação bíblica que consta no documento do Papa, na Exortação Apostólica, então a primeira verdade é que Deus nos ama e que nunca deveremos duvidar disso, apesar de que possa nos acontecer na vida momentos difíceis. Em qualquer circunstância somos amados infinitamente, então o mês vocacional quer de algum modo enfatizar esta vocação: fomos chamados a amar, porque fomos antes de tudo amados.

Amados e chamados por Deus. É esse o sentido do tema e do lema. No próximo ano vamos seguir “A verdade nos salva” e, em 2022, a terceira verdade que o Papa proclamou na sua Exortação “Ele vive”.

Como se deu a escolha do cartaz?

É de criação do padre Reinaldo Leitão, diretor da revista Rogate. No cartaz, nós encontramos o tema e o lema e como símbolo nós temos o coração em vermelho, que é o sinal do amor, lembra o amor de Deus no qual nós somos escolhidos e chamados. Nesse coração nós temos no centro uma chaga e dessa chaga saindo um rio. A chaga é sinal da entrega e o rio nos faz lembrar do batismo, que é a origem de todas as vocações. Acima do coração nós temos uma semente, semente vocacional da trindade, porque a vocação é de fato uma semente  que Deus planta no coração de cada pessoa e essa semente precisa germinar, crescer e florescer.

Do outro lado nós temos o símbolo da rede que, de fato, nos faz lembrar da animação vocacional. Somos chamados a sermos pescadores e nesta rede estão os peixes que representam toda a humanidade. Também no cartaz estão presentes duas mãos em referência àquele que chama e aquele que ama. As mãos que mostram todo o serviço, todo o trabalho, todo o comprometimento dos animadores vocacionais e, claro, inspirado no grande animador vocacional: Jesus Cristo.

O cartaz é bastante significativo, simbólico e catequético para que a gente possa entender que a proposta do mês vocacional é para que todos se unam para esse grande mutirão de oração. Nele também temos todos os organismos que fazem parte dessa grande obra.

 


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *