Arquidiocese de Manaus
Arquidiocese de Manaus

Padre Claudi é empossado novo pároco da Paróquia Santíssima Trindade

Na manhã  do dia 5 de fevereiro, Dom José Albuquerque, bispo auxiliar da Arquidiocese de Manaus, presidiu a solenidade de posse do novo pároco da Paróquia Santíssima Trindade – Setor Santa Rita de Cássia, pe. Claudi Gonçalves da Silva, missionário vindo da Diocese de Pesqueira. Concelebraram os padres Danival Lopes, representante dos padres diocesanos e do setor Santa Rita de Cássia, e Erivânio Macedo, representante do bispo da Diocese de Pesqueira, auxiliados pelo diácono permanente, Gilberto Saraiva.

Estiveram presentes as comunidades da Paróquia Santa Cruz e Área Missionária Imaculado Coração de Maria, locais por onde o padre passou desde que chegou em Manaus,  religiosos, Equipes de Nossa Senhora (Casais), Grupo de Nossa Senhora da Esperança (Viúvas), além dos paroquianos que o acolheram com muito carinho.

A celebração teve início com uma breve apresentação sobre o novo pároco e a leitura da provisão desta posse (Cúria Metropolitana de Manaus, livro 14, folha 27, n. 832,  6 de dezembro de 2016). Após a proclamação do Evangelho por padre Claudi, Dom José afirmou que o Cristão deve ser sal da terra e luz do mundo, e a nossa fé deve nos trazer alegria, esperança, consolação, coragem e sabedoria, caso contrário essa fé não serve pra nada, é ineficaz, transformando-se em superstição/crendice. “No dia do nosso batismo nós recebemos uma vela acesa no Círio Pascal (sinal do Cristo ressuscitado), fomos iluminados pela luz de Cristo e a nossa missão é sermos luz pro mundo, a luz que brilha na escuridão, e sermos humildes para reconhecer que essa luz vem de Cristo e nós somos apenas portadores dessa luz, sinais de esperança para o mundo, mas pra isso precisamos praticar as boas obras, aquilo que  Jesus ensina, o que Deus nos pede, ou seja, ser amor, misericórdia, solidariedade, compaixão. Enfim, isso tem que ser pra nós um projeto de vida, pois fazendo o bem é a forma de anunciar a nossa fé que é alimentada pela nossa participação da vida da igreja, ao rezar, ao estar em adoração, mas tudo isso deve nos levar à ação, a praticar o bem, à solidariedade, à caridade. Estamos nessa celebração louvando a Deus porque o Padre Claudi foi chamado para ser nessa paróquia luz, sinal de esperança, consolo para os doentes, presença amiga, autoridade reconhecida da Igreja que vai estar aqui com vocês”, afirmou o bispo auxiliar que passou a palavra ao padre Danival para falar da missão do pároco.

Pe. Danival Lopes, ao tomar a palavra falou da experiência de 32 anos de pároco, onde reconhece ter errado e também aprendido muitas coisas, dentre elas que para ser pároco deve-se amar tudo nos paroquianos, o lado feio e o lado bonito, todos da mesma forma como são, assim como Deus nos ama, pastoreando principalmente os pecadores, os que estão à margem, os velhos, os doentes, pois estes são os preferidos de Deus.  “Ser pároco é amar, acolher, querer bem, é ser firme sem perder a ternura, ser terno sem perder a firmeza. Isso os anos de pároco me ensinaram. Estar junto, querer bem, acolher, puxar a orelha quando é preciso, estar junto nas alegrias e nas tristezas do seu rebanho, ir atrás daquele que não está indo à Igreja, dos velhos, dos doentes, dos excluídos, dos mais pecadores, todos esses devem ser os prediletos do pároco. Isso tem dado certo.  O rebanho é de Jesus Cristo, confiado ao seu apóstolo, o bispo diocesano, e ele não podendo estar presente em todas as paróquias, escolhe um sacerdote, nomeado como pároco.  Este deve-se ensinar a palavra de Deus, a vontade de Deus, direcionar toda a comunidade para Deus”, destacou pe. Danival.

O rito de posse continuou com a profissão de fé feita pelo padre Claudi e a confirmação do compromisso sacerdotal de cuidar com zelo da paróquia a ele confiada, renovando os propósitos prometidos durante a ordenação sacerdotal diante do bispo e da comunidade presente, reafirmando o desejo de ser um fiel cooperador da ordem episcopal e obediente ao bispo local e ao bispo de sua diocese de origem.

Padre João Abrantes, seu antecessor (pároco por 12 anos), entregou ao padre Claudi as chaves do sacrário. Em seguida, duas crianças entregaram-lhe a estola sacerdotal, símbolo do serviço.

Por fim,  o novo pároco afirmou que seu primeiro sentimento é gratidão e que é uma grande alegria ser acolhido na Arquidiocese e em cada comunidade por onde passou (Área Missionária Imaculado Coração de Maria e Paróquia Santa Cruz). É grato ao bispo de Pesqueira por tê-lo enviado em missão. Emocionado, agradeceu o carinho de todos que prepararam a celebração de posse e afirmou que é um servo que está disposto a ajudar todos na caminhada de cristãos, no seguimento de Jesus e na vivência do mandamento do amor, amando uns aos outros, trabalhando para fazer a vontade de Deus, superando as limitações, sempre com espírito de serviço, reconhecendo também que toda a Glória deve ser dada a Jesus Cristo.

Sobre o pároco

Padre Claudi Gonçalves da Silva nasceu em 2 de maio de 1974, em Pesqueira – Pernambuco.  Ingressou no seminário em 19 de fevereiro de 1997 e foi ordenado sacerdote em 21 de abril de 2005 na Catedral de Santa Agueda – Diocese de Pesqueira.  Veio em missão para Manaus no ano de 2015, iniciando suas atividades na Área Missionária Imaculado Coração de Maria, no bairro Santa Etelvina, e em 2016 tornou-se vigário da Paróquia Santa Cruz.  Também leciona no Instituto de Teologia Pastoral e Ensino Superior da Amazônia  – Itepes. E, levando em conta as necessidades pastorais, o Arcebispo de Manaus, com o auxílio dos bispos auxiliares e conselho presbiteral, padre Claudi foi escolhido para assumir a Paróquia Santíssima Trindade, no bairro Japiim.

 

 



Por: Ana Paula Gioia Lourenço

Assessoria de Comunicação da Arquidiocese de Manaus



Deixe um comentário

1 Comentário em "Padre Claudi é empossado novo pároco da Paróquia Santíssima Trindade"

avatar
Patricia Cabral
Visitante

Parabéns Padre Claudi e agradeço a Deus pelo sua vocação e sim a missão na Amazônia.

wpDiscuz