Arquidiocese de Manaus
Arquidiocese de Manaus

Celebração acolhe imagem peregrina de N.S. Aparecida e comemora 300 anos do seu aparecimento

Centenas de fiéis participaram na tarde deste do dia 15 de outubro, da missa jubilar dos 300 anos do aparecimento de Nossa Senhora Aparecida, que foi presidida pelo arcebispo Metropolitano de Manaus, Dom Sérgio Castriani e contou com a presença do padre Eduardo Ribeiro, do santuário Nacional de Aparecida (SP), que veio para o encerramento da visita da imagem peregrina de Nossa Senhora. Desde de setembro de 2015, a imagem viajou o Amazonas e antes de vir para Manaus passou por Manacapuru, a 68 km da capital do Estado, onde esteve desde o dia 7 de outubro.

E foi assim, com o santuário lotado, que os devotos assistiram o tão aguardado momento: a entrada da imagem de Nossa Senhora Aparecida, dentro de uma pequena canoa carregada por pescadores do município de Manacapuru, entregue ao pároco Inácio Raposo, que a colocou em um minialtar com o desenho do mapa do Brasil ao redor e enfeitado com muitas flores. Depois da procissão de entrada, a celebração ocorreu normalmente e, durante a missa, alguns itens regionais como a água dos rios Negro e Solimões, cocares dos bois Garantido e Caprichoso e frutas da região como banana pacova, cubiu, tucumã foram colocados aos pés da santa.

A bandeira do Brasil e a do Amazonas também foram trazidas diante do altar, para serem consagradas pela mãe Maria de Nosso Senhor Jesus Cristo, representando que juntos somos mais fortes, que somos um só povo e uma só nação. Outro item muito importante que também foi colocado diante da imagem da Mãe de Jesus, foi uma porção de terra coletada de algumas partes do Amazonas, vindos da Prelazia de Itacoatiara, da Diocese de Coari e da Arquidiocese de Manaus, que foram depositadas junto à Maria, representando a nossa história e nossa cultura.

“Por onde a imagem de Nossa Senhora passa em peregrinação, é levada uma porção de terra, simbolizando o chão daquela região que será levada para o santuário nacional e desta terra coletada, uma pequenina porção será retirada para confeccionar uma coroa jubilar para a imagem de Nossa Senhora Aparecida”, explicou o padre Eduardo Ribeiro que veio diretamente do Santuário Nacional de Aparecida participar da solenidade de encerramento da visita da imagem de Nossa Senhora à Região Amazônica. “Aqui é uma região linda, rica em águas, natureza, flora e fauna. A gente agradece essa bonita acolhida e que Nossa Senhora continue protegendo a todos e Deus possa sempre nos abençoar”, disse.

Ao fim da santa missa, artistas da Escola de Samba Mocidade Independente de Aparecida, encenaram o aparecimento da santa aos pescadores, próximo do Porto de Itaguaçu, na Vila de Guaratinguetá (SP). “Em torno de 50 a 60 pessoas participaram desta encenação, que foi a mesma que fizemos no dia do lançamento do nosso samba enredo lá na quadra da escola. O padre Inácio estava presente, se encantou com o que viu e nos convidou para repetir aqui”, disse Saulo Borges, presidente da escola de samba.

Visita emociona a todos

Sem dúvida foi uma das celebrações mais emocionantes já vistas pelos devotos de Nossa Senhora Aparecida, que puderam ver de perto a imagem peregrina da mãe de Jesus. Uma celebração que emocionou até mesmo quem estava à frente presidindo. “Hoje estamos muito felizes com a visita da imagem de Nossa Senhora para celebrar o jubileu de 300 anos, daquela que esteve intercedendo por nós desde o primeiro milagre de Jesus. Ela que esteve no início da igreja, que é missionária. Ela que junto com a sua prima Isabel, entendeu a verdadeira missão e a importância de ser a mãe do filho de Deus”, disse Dom Sérgio em sua homilia.

Também estava muito feliz e emocionado o padre Inácio, que ao final da celebração fez um discurso de agradecimento, relembrando toda a trajetória dos festejos até o momento da celebração. “Ela andou por muitos lugares, às vezes com uma multidão, às vezes apenas com uma família, e sempre encontrou as portas todas abertas até dos condomínios. Só temos que agradecer a todos, inclusive ao conselho do santuário por todo apoio dado”, comentou o pároco.

História do aparecimento da imagem

A imagem foi encontrada em outubro 1717 pelos pescadores Domingos Garcia, Filipe Pedroso e João Alves nas águas do rio Paraíba, próximo do Porto de Itaguaçu, na Vila de Guaratinguetá, em São Paulo. Os três estavam há dias sem pescar e com a missão de levar peixe para a festa de recepção do famoso Conde de Assumar, Dom Pedro de Almeida, governante da capitania da cidade de São Paulo e de Minas de Ouro, na época, que estava de passagem pela cidade.

Esperançosos, eles fizeram uma oração pedindo a ajuda da Mãe de Deus para que voltassem fartos de peixes para a festança. Quando estavam quase desistindo da pescaria, João Alves arremessou a rede novamente e fisgou uma parte do corpo da imagem escura de Nossa Senhora Aparecida. Emocionado, lançou a rede pela segunda vez e encontrou a cabeça da imagem. Em seguida veio o milagre. As redes enchiam-se de peixes o que os deixou preocupados com o perigo do barco virar e perder todos os peixes apanhados.

montagem300



Por: Érico Pena

Assessoria de Comunicação da Arquidiocese de Manaus



Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

avatar
wpDiscuz