Educadores Ambientais orientam sobre os cuidados com a Casa Comum durante a Solenidade de Corpus Christi

Em mais um dia de ação, os Educadores Ambientais, grupo de voluntários que atua na orientação quanto ao descarte correto de lixo e resíduos em eventos da igreja católica, estiveram presentes durante toda a solenidade de Corpus Christi, na tarde dessa quinta-feira (30/5) no centro de Manaus.

A equipe foi posicionada em pontos estratégicos na avenida Eduardo Ribeiro e também seguiu acompanhando a procissão. A iniciativa, surgiu em 2019 com o Setor Centro Histórico de Manaus. Hoje, outros setores da capital já aderiram as boas práticas de cuidados com a ‘Casa Comum’, com o meio ambiente.

Avenida Eduardo Ribeiro com a Sete de Setembro

Andreza Weil, coordenadora do Projeto Travessias também faz parte da Comissão de Ecologia Integral da Arquidiocese de Manaus. Para ela, a ação reafirma o compromisso da igreja com a prática de conscientização: “O grupo de educadores ambientais do Setor Centro histórico atuou na procissão de Corpus Christi orientando os fiéis quanto ao descarte correto e cuidados com a Casa Comum. Os educadores fazem parte do projeto “Travessias, construindo pontes para a Ecologia integral”, que tem como finalidade promover ações socioambientais nas atividades setoriais e arquidiocesanas. A equipe, composta por 30 educadores, trabalhou em parceria com a cooperativa Catadores Recicla  Manaus que também disponibilizou um ponto de coleta para o descarte de resíduos eletrônicos. A atividade coloca em prática ações que concretizam a Ecologia integral nos espaços das paróquias, comunidades, grupos e movimentos. A ‘evangelização ecológica’ pela via da educação ambiental é o melhor caminho”, explicou Andreza Weil, coordenadora do Projeto Travessias.

A ideia do projeto não é coletar grandes quantidades de lixo, e sim educar a população quanto ao descarte correto. Marcela Amazonas que é secretária do Setor Centro Histórico e colabora no Projeto Travessias, explicou que já existe resposta positiva da população que cada vez menos produz lixo nos eventos da igreja: “Nós estamos aqui com coletes que tem mensagens. A ideia é sensibilizar para que todos entendam que a ‘Casa Comum’ é reponsabilidade de todos nós’. A logística desse projeto é sempre colocar os coletores próximos aos pontos de geração desses resíduos, por exemplo, os ‘Carros de Promessa’ que distribuem água gratuitamente e pontos de alimentação. Então, são nesses pontos que as nossas ‘Ecobags’ estarão posicionadas. O fiel ou transeunte que não percebeu os pontos, pode contar conosco para fazer essa coleta”, concluiu, Marcela Amazonas, secretária do Setor Centro Histórico.

Ponto de coleta com Ecobags

No último sábado, dia 25 de maio, aconteceu a formação do Projeto Travessias, no Auditório do Bosque da Ciência, no Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA) e contou com a participação de agentes de pastorais das paróquias do Setor Centro Histórico e da Coordenação Pastoral do Setor, além da presença de representantes da Comissão Arquidiocesana de Ecologia Integral e Coordenação de Pastoral da Arquidiocese, Irmã Rosana Marchetti, MDI e Rosa Maria Santos.

Ponto fixo de coleta

A igreja Nossa Senhora dos Remédios, na rua Leovegildo Coelho, centro Histórico é o primeiro ponto fixo de coleta de resíduos do projeto. Para esse ponto a população pode direcionar: Papeis, plásticos e resíduos de eletroeletrônicos como pilhas e baterias.

Fotos: Coordenação Setor Centro Histórico

Gostou? Compartilhe

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on telegram
Telegram

Comentários