Cristão são chamados a uma amizade social através da Eucaristia, durante a solenidade de Corpus Christi

Com o tema “Fraternidade e amizade social em unidade com a Eucaristia” foi celebrada em Manaus, no dia 30 de maio, a solenidade de Corpus Christi, com missa campal, procissão e adoração ao Santíssimo Sacramento com bênção. Estiveram na solenidade em torno de 30 mil pessoas das áreas missionárias e paróquias da Arquidiocese de Manaus, com destaque para os cerca de 200 participantes da 42ª Assembleia Geral do Laicato do Brasil, que está sendo realizada em Manaus de 30 de maio a 2 de junho de 2024.

“Todos os anos a gente celebra essa solenidade em Corpus Christi, esse ano tem uma peculiaridade por causa da Campanha da Fraternidade, estamos refletindo essa festa na perspectiva da reconciliação, reconciliação das relações humanas, com toda a casa criada, não de menos, nesta tarde há um serviço de coleta de descartes eletrônicos, é a nossa reconciliação com a casa comum. Nesta procissão vamos fazer memória do tema ‘Fraternidade e da amizade social’, mesmo que seja uma celebração que faz parte milenamente da história da igreja, cada ano a gente consegue atualizar a partir dos desafios e das demandas da evangelização”, explicou Dom Zenildo Lima.

A celebração Eucarística foi presidida bispo auxiliar de Manaus, Dom Zenildo Lima, e concelebrada pelo bispo auxiliar de Manaus, Dom Hudson Ribeiro, bispo emérito Dom Mário Pasqualotto, e os padres Flávio Gomes e Marcos Aurélio  , pároco e vigário paroquial da Catedral Metropolitana, respectivamente, contando com a presença de dezenas de padres, diáconos, ministros da sagrada comunhão eucarística, e milhares de fieis,o povo de Deus que esteve presente para testemunhar a fé em Jesus Eucarístico, presente na hóstia santa.

“Admirável é a vida de Jesus que recupera, para cada homem e para cada mulher, a possibilidade da amizade com Deus. É admirável sermos seguidores da Eucaristia. É admirável termos a possibilidade de participar da comunhão da vida de Jesus, do seu corpo e do seu sangue. É admirável o papel de ministros e ministras da Eucaristia. Admiráveis são aqueles que estão a serviço do altar de Deus, porque tornam presente Jesus na Eucaristia, como os nossos presbíteros; e os que presidem a celebração como os nossos diáconos. […] Nós sentimos vocacionados ao serviço da comunhão. Nós sentimos vocacionados ao serviço da Eucaristia, não porque queremos ser simplesmente celebradores de um ritualismo, mas porque nos atrai a admirável vida de Jesus que se dá no seu Corpo e no seu Sangue. Admirável é o que nós celebramos nesta tarde de hoje, que alegria que Deus nos oferece a comensalidade”, declarou Dom Zenildo durante a homilia.

Dom Zenildo explicou aos presentes que Jesus, ao dar seu corpo e sangue como alimento, mostra o quão Deus é amoroso e comprometido com seus filhos. “No meio de uma preparação de uma festa religiosa como essa, Deus está nos cobrando o nosso comprometimento com Ele. Deus está nos oferecendo o comprometimento dele conosco. E quando Jesus, naquela preparação festiva, diz aos discípulos : esse é o meu corpo, esse é o meu sangue, está dizendo do comprometimento amoroso de Deus por cada um de nós”, explicou Dom Zenildo.

Ao final do momento da comunhão, o Santíssimo Sacramento foi exposto no Ostensório e conduzido para a procissão que percorreu as ruas Sete de Setembro, Av. Joaquim Nabuco, com a tradicional bênção aos doentes em frente ao Hospital Beneficente Portuguesa; seguindo pela Rua 10 de Julho e retornando para a Av. Eduardo Ribeiro, onde aconteceu a Adoração ao Santíssimo e bênção final .

Todo o percurso foi conduzido e animado pelos padres Leudo Santos e Charles Cunha, com orações, cantos e reflexões sobre o tema da festa deste ano que convita a todos a uma amizade social, tendo na Eucaristia o alimento para uma real conversão pessoal e comunitária e sobre a importância da presença e dedicação dos leigos e leigas na Igreja, cujas lideranças, representando todos os 19 regionais do Brasil, estão reunidos em Manaus, em assembleia, até o dia 2 de junho

Ao retornar para o altar montado em meio à Avenida Eduardo Ribeiro, Dom Hudson Ribeiro conduziu o momento de adoração e deu a bênção com o Santíssimo Sacramento a todos milhares de fiéis presentes.

Segundo Neila Picanço, da equipe de coordenação do evento, houve a participação das pastorais que atuam na Catedral Metropolina, tendo cada um a sua função e também contou com o apoio dos movimentos que atuaram na coleta do ofertório e também o Terço dos Homens que auxiliou na procissão e no acesso aos locais restritos.

“A organização nós estamos fazendo há bastante tempo e se intensificou depois de Pentecostes. Foram várias reuniões com o Conselho de Pastoral da Catedral, envolvendo cerca de 20 coordenadores, e com a ajuda da Coordenação de Pastoral da Arquidiocese de Manaus, e assim fizemos toda a organização para essa procissão e a programação durante o dia”, explicou Neila.

Fotos Flavia Horta e Ana Paula G. Lourenço

Gostou? Compartilhe

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on telegram
Telegram

Comentários