Romaria das Águas: um grito pela vida na Amazônia

“Água é vida que flui em tudo e para todos” foi o tema da primeira edição da Romaria das Águas, realizada em Manaus, que ecoou um clamor uníssono pela defesa dessa fonte vital para todos. A iniciativa, organizada pelo Coletivo Fórum das Águas e pela Habitat para a Humanidade Brasil, reuniu diversas entidades da sociedade civil na manhã de 22 de março, percorrendo o Rio Negro e Solimões. A Arquidiocese de Manaus esteve representada através dos membros da Comissão da Ecologia Integral.

Com o tema “Água é vida que flui em tudo e para todos”, a Romaria permitiu um momento de reflexão e sensibilização da população para a importância da preservação dos recursos hídricos, denunciando as ameaças que pairam sobre a Amazônia e exigindo medidas concretas para garantir esse bem para as futuras gerações. Na ocasião também foi lida a carta do evento para este dia, pelo coordenador do Fórum das Águas, Pe. Sandoval Alves Rocha, SJ.

A Romaria das Águas amplificou as vozes de diferentes atores que lutam pela defesa da água na Amazônia, como o Pe. Sandoval Rocha, SJ, coordenador do Fórum das Águas, que ressaltou: “Precisamos que a sociedade se sensibilize mais, se mobilize para pressionar os poderes públicos por políticas públicas mais adequadas, democráticas e sustentáveis para tratar a água e a natureza como um todo”.

Frei Paulo Xavier, religioso da Ordem dos Frades Capuchinhos, ressaltou que “a água é irmã e fonte de vida. Devemos cuidar dela com respeito e fraternidade, construindo um futuro sustentável para a Amazônia”.

Segundo o Relatório Mundial das Nações Unidas sobre a Água 2023, cerca de 2,3 bilhões de pessoas vivem em países com estresse hídrico – situação em que a demanda pelo recurso supera sua disponibilidade natural. No Brasil, a situação não é diferente: 35% da população está em áreas com risco de escassez hídrica, e o índice de perdas de água no Brasil é de 36,7%, o que significa que quase 40% da água potável tratada é desperdiçada antes de chegar às casas. Além disso, o saneamento básico precário atinge 35 milhões de brasileiros, que não têm acesso à rede de coleta de esgoto.

Apesar da abundância de água, a Amazônia enfrenta desafios específicos. As comunidades ribeirinhas ainda sofrem com a falta de acesso à água potável e ao saneamento básico, enquanto os igarapés de Manaus estão poluídos por resíduos sólidos e lançamento de esgoto. O desmatamento e o garimpo ilegal também ameaçam a qualidade dos rios, colocando em risco a saúde das populações e a biodiversidade da região.

A Romaria das Águas se configurou como um grito por medidas concretas para garantir o direito hídrico na Amazônia. A união de diferentes setores da sociedade civil demonstra a força da luta pela preservação da água e da floresta. É um chamado à ação urgente para proteger a vida e construir um futuro mais justo e sustentável para a região.

O Fórum das Águas, idealizador da iniciativa, se coloca como um espaço permanente de debate e mobilização social em defesa da água na Amazônia. Por meio de ações contínuas de conscientização, diálogos políticos e proposição de soluções, o Fórum busca garantir que a água continue a fluir como símbolo da vida e da esperança para as futuras gerações.

Confira na íntegra a carta do Fórum das Águas: https://paamsj.org.br/wp-content/uploads/2024/03/Agua-e-vida-que-flui-em-tudo-e-para-todos.pdf

Fonte: https://jesuitasbrasil.org.br/

Fotos: Comissão Ecologia Integral – Arquidiocese de Manaus

Gostou? Compartilhe

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on telegram
Telegram

Comentários