Formação para multiplicadores da Campanha da Fraternidade acontece nas Regiões Episcopais da Arquidiocese de Manaus

Flavia Horta e Rafaella Amorim

Centenas de pessoas reuniram-se no sábado (17/2), em três locais da Arquidiocese de Manaus, para participarem da formação da Campanha da Fraternidade 2024. Simultaneamente, às 8h, no auditório do Pró-Menor Dom Bosco, bairro Zumbi dos Palmares; no salão paroquial da Igreja Santa Mônica, bairro Manoa; e no auditório do Colégio Dom Bosco, no Centro de Manaus, iniciaram os estudos com representantes dos 13 setores, nos quais estão organizadas as paróquias e áreas missionárias da igreja local. Esse ano, a formação aconteceu nas três regiões episcopais: Nossa Senhora dos Navegantes, Nossa Senhora Aparecida e Nossa Senhora dos Remédios, a fim de descentralizar e alcançar mais pessoas que estão nas bases.

Região Nossa Senhora dos Navegantes

No auditório do Pró-Menor Dom Bosco, aproximadamente 300 participantes puderam acompanhar, logo de início, a dinâmica que apresentou toda a trajetória de temas da Campanha da Fraternidade desde seu primeiro ano de fundação. A região dos Navegantes recebeu como palestrante o coordenador do Conselho de Leigos e Leigas da Regional Norte 1 e da Arquidiocese de Manaus, Francisco Meirelles; e a professora e membro da Rede Grito pela Vida e Ecologia Integral, Rosana Barbosa.

Rosana Barbosa – professora e membro da Rede Grito pela Vida e Ecologia Integral

De acordo com a professora Rosana, é preciso aprofundar o tema para atuar nas comunidades: “É nessa formação que a gente vai diagnosticar os grandes problemas da sociedade, como a uma sociedade doente que tem vários problemas e qual o diagnóstico que se apresenta e quais as posturas da igreja católica, porque todos nós somos multiplicadores que vão levar pra base e como vamos trabalhar a campanha para que se tenha resultados positivos”, explicou a formadora.

A disseminação da Campanha é a ação concreta da igreja para com a sociedade. Os multiplicadores serão agentes que desempenharão o papel de fomentar o propósito de sociedade menos individualista, frente a crescente entrada da inteligência artificial (AI) que tem isolado ainda mais as relações sociais.

Dom Tadeu Canavarros, que é o bispo auxiliar e vigário episcopal da Região Nossa Senhora dos Navegantes esteve presente na formação ocorrida no Pró-Menor Dom Bosco. Ele falou da importância dessa segunda etapa para os agentes: “Uma vez eles formados e capacitados serão os multiplicadores nas diversas áreas missionárias e paróquias, assim também nas suas respectivas comunidades onde estão inseridos”, explicou o bispo.

Dom Tadeu Canavarros – bispo auxiliar

A programação na região dos Navegantes encerrou às 12h.

Região Nossa Senhora Aparecida

O salão da Área Missionária Santa Mônica, no bairro Manoa, formou cerca de 250  multiplicadores pela Região Episcopal Nossa Senhora Aparecida. A região tem como vigário episcopal Dom Zenildo Lima, bispo auxiliar de Manaus, e teve como palestrantes a Irmã Rosana Marchetti, da Coordenação de Pastoral Arquidiocesana, e a vice-presidente do Conselho de Leigos e Leigas da Arquidiocese, Mercy Soares. De acordo com Mercy, a programação nesta região foi pautada em apresentar as 3 ações que norteiam a campanha: o Ver, o Iluminar e o Agir: “A amizade social vai além daquela amizade de grupo. Ela vai além da geografia e espaço que você pessoalmente vive. Então, essa campanha ela vem convidando a você ampliar essa tenda. Alargar a sua lona. E com aquela corda que prende a lona, equilibrar os debates e as discussões e diminuir as tensões dos debates e das discussões”, concluiu Mercy.

Dom Zenildo, não pode estar presente na formação por estar em viagem, contudo, enviou um vídeo de agradecimento que foi apresentado aos participantes. De acordo com o bispo, o tema da campanha pede uma reflexão sobre a amizade social: “Agora somos convidados, como igreja do Brasil, a pensar a necessidade de conversão para a amizade social. Estamos falando da necessidade de um comportamento que se faz tão necessário nesses tempos em que a gente vai assistindo, assustadoramente, tantas situações de intolerância, de agressão, de incapacidade de acolher o ‘diverso’ de conviver com o diferente. Somos chamados a esse testemunho. Somos chamados a essa caminhada quaresmal, a aprofundar a novidade que Jesus, o crucificado e ressuscitado inaugurou, favorecendo uma convivência fraterna entre homens e mulheres. Afinal, somos todos ‘irmãos e irmãs!”, concluiu Dom Zenildo.

A programação na Região Nossa Senhora Aparecida encerrou às 15h.

Região Nossa Senhora dos Remédios

O Colégio Dom Bosco, localizado no centro da cidade, na Região Episcopal Nossa Senhora dos Remédios, abrigou 400 pessoas e a formação ficou a cargo da leiga Helen Prestes, Ir. Gervis Monteiro, e do bispo auxiliar e vigário episcopal desta região, Dom Joaquim Hudson Ribeiro, que abordaram a temática dentro do método pastoral: ver, iluminar e agir, baseado no texto-base da CF para explorar e aprofundar o tema e o lema da campanha.

Segundo Dom Hudson, o primeiro passo para que as comunidades possam vivenciar a dinâmica é o estudo teórico do tema a partir dos subsídios de reflexão baseados na Encíclica “Fratelli Tutti”. “Animar as comunidades é aprofundando a parte teórica na proposta da Campanha da Fraternidade, com os textos bíblicos que iluminam e ver quais são as sugestões que podem surgir para que haja amizade social e a fraternidade universal, e elas possam se constituir a partir das práticas concretas na comunidade. Mas a Campanha tem subsídios de reflexão, que todos eles são baseados no documento papal “Fratelli Tutti”, onde se fala que todos nós somos irmãos e irmãs. E aí, a partir de algumas pistas concretas que os subsídios oferecem, as comunidades podem também, a partir da própria realidade, encontrar outros elementos, outras pistas concretas para poder agir. Tem muitos elementos que podem ser refletidos e ao mesmo tempo iluminados a partir da palavra para que gestos concretos possam acontecer na vida pessoal, na vida das nossas comunidades, mas também com impacto na sociedade, sobretudo do âmbito institucional e interinstitucional”, explicou Dom Hudson. 

A programação na Região Nossa Senhora dos Remédios encerrou às 12h30.

Colaboração das fotos da Região N. Sra. dos Remédios – Pascom Paróquia Dom Bosco

Gostou? Compartilhe

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on telegram
Telegram

Comentários