Celebração de abertura da Campanha da Fraternidade promove reflexão sobre a importância da Amizade Social

“Despertar para o valor e a beleza da fraternidade humana, promovendo e fortalecendo os vínculos da amizade social, para que, em Jesus Cristo, a paz seja realidade entre todas as pessoas e povos”, esse é o objetivo da Campanha da Fraternidade 2024, inspirada na Encíclica do Papa Francisco, Fratelli Tutti, que traz reflexões a partir do tema “Fraternidade e Amizade Social” e o lema “Vós sois todos irmãos e irmãs” (Mt. 23, 8). Em Manaus, a abertura aconteceu na manhã do dia 14 de fevereiro, com uma celebração realizada no Largo São Sebastião, presidida pelo bispo auxiliar de Manaus, Dom Tadeu Canavarros, contando com a presença de representantes de diversos segmentos da sociedade que muitas vezes sofrem discriminação, como mulheres, idosos, negros, povos indígenas, povos de matriz africana, deficientes, dentre outros.

Neste ano, a Campanha da Fraternidade está em sua 60ª edição e o momento de acolhida, que precedeu a celebração, relembrou alguns fatos e hinos que marcaram história. A celebração foi momento de motivar para que todo sejam uma presença que promove o diálogo e o encontro, bases que sustentam a amizade social. Também houve um clamor ao dom da unidade em todas as comunidades para que estas percorram o caminho de acolhida e amizade fraterna, empatia pelos que parecem diferentes pela sua cultura, crenças, pensamentos e ideologias e que por isso sofrem discriminação, exclusão, violência verbal e física.

Gesto concreto

Durante o evento, houve um gesto concreto, com pessoas de diversas culturas, crenças, deficientes, em situação de vulnerabilidade sociais, que se uriram ao redor de uma mesa vivendo a comunhão e a amizade, demonstrando que é possível superar os preconceitos e a indiferença.

Segundo Dom Tadeu Canavarros, a campanha nos convida a diversas práticas, mas que a primeira é ver no outro o seu irmão. “A primeira prática que pode ser realizada na campanha é sempre este olhar diferenciado para o outro. O lema nos ajuda muito: ‘Vós sois todos irmãos’. Isto é, compreender as pessoas a partir da acolhida e da sintonia de verificar que o outro não é meu concorrente, mas sim meu irmão e minha irmã, destacou Dom Tadeu.

Irmã Rosana Marchetti, da Coordenação de Pastoral da Arquidiocese de Manaus, em sua fala, destacou que há uma força tarefa para disseminar a proposta da campanha da fraternidade desse ano, que há uma equipe que tem visitado as paróquias para ministrar formação, visando que mais pessoas possam entender a importância de serem mais irmãos e irmãs. “Queremos agradecer todas as pessoas que estão trabalhando para divulgar a campanha, para fazer os momentos de formação. Existe uma equipe permanente das campanhas que estão aqui presentes, cerca de 20 pessoas, que vão nas paróquias e nas áreas missionárias para falar sobre a campanha. Então, o meu desejo para este tempo de Quaresma, a todos vocês, é que aprendamos cada vez mais a ser irmãos e irmãs, sem diferença, sem distinção, que possamos ser acolhedores e acolhedoras”, afirmou Ir. Rosana Marchetti.

Quaresma enquanto período de reflexão e conversão

Ao longo da Quaresma, 40 dias que precedem a Páscoa, deseja-se trabalhar este tema em todas as comunidades da Arquidiocese de Manaus, para que haja uma reflexão sobre as atitudes que excluem e provocam reações violentas, para que haja uma conversão e mudança de mentalidade e de atitudes, visando promover uma amizade social, onde se possa disseminar o amor, a paz, o perdão e a acolhida.

O bispo auxiliar, Dom Hudson Ribeiro, esteve presente e é um momento de conversão, de vivência fraterna nas comunidades e de realizar gestos concretos. “Que a gente continue caminhando juntos nessa igreja que nós acreditamos. Formando comunidade, sendo comunidade, propondo o valor da comunidade. Que vivamos um excelente tempo de quaresma, como gesto concreto à campanha da fraternidade”, declarou Dom Hudson.

Da mesma forma, Dom Tadeu explicou que se trata de um período importante de preparação para a Páscoa, mas também de mudança de atitude e prática concreta da caridade. “A Quaresma é uma grande preparação para celebrar a Páscoa do Senhor, isto é, sua paixão, morte e ressurreição. E ela tem duas vertentes. A primeira vertente é voltarmos para Deus através da Palavra, esta palavra que nos ajuda a nos converter e a segunda vertente que acompanha é a oração, o jejum e a caridade. Nessa dimensão da caridade, a igreja no Brasil, há mais de 60 anos, propõe sempre uma campanha da fraternidade que nos ilumina a palavra e nos ajuda a entender a dimensão da caridade”, destacou o bispo auxiliar. 

Gostou? Compartilhe

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on telegram
Telegram

Comentários