Celebração marca início dos trabalhos da nova equipe formativa do Seminário São José

Uma celebração eucarística na capela do Seminário São José de Manaus, presidida pelo cardeal Leonardo Steiner, arcebispo de Manaus e presidente do Regional Norte1 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB Norte1), ocorrida no dia 9 de fevereiro, marcou o início dos trabalhos da nova equipe formativa do Seminário, onde se formam os 45 seminaristas das igrejas particulares do Regional Norte1.

A celebração, onde estavam presentes os bispos auxiliares de Manaus, Dom Tadeu Canavarros, Dom Zenildo Lima e Dom Hudson Ribeiro; os bispos de Parintins, Dom José Albuquerque e Dom Giuliano Frigenni, e o bispo de Alto Slimões, Dom Adolfo Zon, começou com a leitura das nomeações da nova equipe: Pe. Pedro Cavalcante (reitor) e Pe. Alcimar Araújo (vice-reitor e formador da Teologia), ambos do clero da arquidiocese de Manaus, Pe. Alex Mota, do clero da prelazia de Itacoatiara, e Pe. Odilio dos Santos, do clero da diocese de São Gabriel da Cacheira (formadores da Filosofia), que durante a celebração fizeram sua profissão de fé e assumiram sua nova missão.

Lembrando que “Deus nos chama ao ministério presbiteral não para estarmos parados, mas para andarmos, sermos peregrinos, sermos discípulos missionários, mas para isso precisamos ouvir”, o cardeal Steiner insistiu na necessidade de bons ouvidos para sermos discípulos missionários, afirmando que Jesus cura nossos ouvidos. O presidente do Regional Norte advertiu que “não sempre o que ouvimos é o que deveríamos ouvir”, aquilo que nos colocasse melhor a caminho do Evangelho. Ele desafiou a “ouvir bem a Palavra de Deus, ouvir bem o Evangelho, ouvir bem os pequenos, ouvir bem as periferias, ouvir bem os sofridos, saber ouvir de tal forma que nós consigamos perceber a presença de Deus”.

Um Deus que vai abrindo nossos ouvidos, “o ouvido da existência, o ouvido da vida vocacional”, até que “ressoe dentro de nós Jesus Palavra”. Isso porque “o Seminário é o lugar para aprender a escutar, lugar de escuta, da escuta de Deus, da escuta da Palavra, da escuta das nossas comunidades”, fazendo ver aos seminaristas a necessidade de “escutar as dificuldades e os problemas que existem, não se fechar diante de uma piedade insegura”. Segundo o arcebispo de Manaus, daí nascerá a Palavra e o missionário, aquele que deseja permanecer a caminho, falando de Deus e falando do Reino, pregando o Reino de Deus. Por isso, Dom Leonardo incentivou os seminaristas a aproveitar o tempo da escuta que é o Seminário.

O novo reitor agradeceu a confiança do arcebispo na nova equipe, mas também aos muitos que contribuíram no trabalho formativo no Seminário São José ao longo dos anos, para que “a obra aqui iniciada continuasse a ser inspirada nos valores do Evangelho e amalgamasse nos nossos traços culturais uma maneira de ser, viver, crer e corresponder ao sopro do Espírito”.

Reconhecendo as novidades da nova missão, o padre Pedro Cavalcante, disse que “a Igreja, a Mãe de muitos filhos, nos coloca diante dos olhos e do coração suas orientações e caminhos”. Segundo ele, “o Seminário Arquidiocesano São José, com sua história e conquistas, oferece para nós formadores uma identidade e um dinamismo próprio, fruto de tudo isso. Ele existe formando padres no coração da Amazônia, e com isso nós estamos nos comprometendo”. Finalmente, o reitor pediu a Deus, “um coração compreensivo e a capacidade de distinguir o bem do mal. E viver nesta casa o espírito de sinodalidade e missão”.

Dom Zenildo Lima, bispo auxiliar de Manaus, que foi reitor do Seminário São José de Manaus de 2016 a 2023, lembrou que iniciou sua missão quando foi lançada a Ratio fundamentalis para a formação nos seminários, e disse que o Sínodo sobre a Sinodalidade está pedindo uma nova ratio. Ele lembrou os passos dados nas assembleias do Regional Norte1, no Sínodo para a Amazônia, no Sínodo sobre a Sinodalidade, e os apelos das nossas comunidades, e insistiu que hoje se pede na Igreja uma nova formação dos padres, considerando que são apelos entusiasmantes.

Segundo o bispo auxiliar de Manaus, “a razão de ser do nosso Seminário é a construção das nossas igrejas locais”, ressaltando a importância da escuta, segundo apelo de Dom Leonardo, que encerrou a celebração agradecendo a disponibilidade dos novos formadores e da Prelazia de Itacoatiara e da Diocese de São Gabriel da Cachoeira. Um agradecimento extensivo a todos aqueles que de diversos modos participam do processo formativo dos seminaristas do Regional Norte1.

Colaboração: Pe. Luis Miguel Modino – assessor de comunicação CNBB Norte1 – AM/RR

Gostou? Compartilhe

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on telegram
Telegram

Comentários