Sinodalidade – Artigo Cardeal Leonardo Steiner

“Por uma Igreja sinodal: comunhão, missão e participação”! Uma Igreja que deseja voltar à fonte, ao início. Todos os que foram atraídos pela Boa Nova, na missão de proclamar o Reino realizado em Jesus Cristo; todos participantes na missão, em profunda comunhão. Um caminhar juntos para que o Reino seja visibilizado.

O texto denominado Instrumentum Laboris (instrumento de trabalho do Sínodo), logo no início, recorda o caminho percorrido: “O Povo de Deus está em movimento desde 10 de outubro de 2021, quando o Papa Francisco convocou toda a Igreja para o Sínodo. Partindo do seu nível mais vital e elementar, as igrejas locais em todo o mundo iniciaram a consulta ao Povo de Deus, começando com a pergunta básica formulada no n. 2 do DP: «como se realiza hoje, a diferentes níveis (do local ao universal) aquele “caminhar juntos” que permite à Igreja anunciar o Evangelho, em conformidade com a missão que lhe foi confiada; e que passos o Espírito nos convida a dar para crescer como Igreja sinodal?». Os frutos da consulta foram recolhidos a nível diocesano e, em seguida, resumidos e enviados aos Sínodos das Igrejas Católicas Orientais e às Conferências Episcopais. Por sua vez, cada um destes elaborou uma síntese que foi encaminhada à Secretaria Geral do Sínodo” (IL, nº 1).

Realizada a análise das contribuições recolhidas, foi elaborado um documento que foi enviado às Igrejas locais em todo o mundo. Houve, em seguida, sete assembleias continentais que enviaram as sínteses e contribuições à secretaria do Sínodo. O importante era fazer o caminho juntos, realizar a experiência da Igreja que deseja colocar-se a caminho.

Fruto desse caminhar juntos é o chamado o Instrumento de Trabalho que nasceu da escuta. Esse texto será o suporte para as reflexões, escutas, debates e oração na primeira sessão do Sínodo da Sinodalidade.

O Sínodo iniciou com um momento de oração na Praça de São Pedro e em seguida três dias de retiro. Com a celebração da Eucaristia, no dia 4 de outubro, Papa Francisco deu início ao Sínodo. O término da primeira sessão será no dia 29 de outubro.

Haverá, além dos momentos de oração, trabalho em grupo, discussão em plenário e momentos de silêncio para acolher o que o Espírito diz através da voz dos irmãos e irmãs.

Nos lembra o Papa Francisco que “o Sínodo é um exercício eclesial de discernimento. Franqueza no falar e abertura na escuta são fundamentais para que o Sínodo seja um processo de discernimento. O discernimento não é um slogan publicitário, não é uma técnica organizativa, nem uma moda deste pontificado, mas um procedimento interior que se enraíza num ato de fé. O discernimento é o método e, simultaneamente, o objetivo que nos propomos: baseia-se na convicção de que Deus atua na história do mundo, nos acontecimentos da vida, nas pessoas que encontro e me falam. Por isso, somos chamados a colocar-nos à escuta daquilo que nos sugere o Espírito, segundo modalidades e direções muitas vezes imprevisíveis.”

Ser uma Igreja de escuta e em caminho. Comunidades de fé que estão a caminho com Jesus e Jesus conduzindo a todos pelo Espírito!

Cardeal Leonardo Steiner

Arcebispo de Manaus

Gostou? Compartilhe

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on telegram
Telegram

Comentários