Missa no Cruzeiro celebra a Festa da Família Franciscana e o Tempo da Criação

Na noite desta segunda-feira, 2 de outubro, foi realizada no Memorial Amigos do Cruzeiro, localizado na Av. Timbiras, Cidade Nova, a Solenidade de São Francisco, presidida pelo Frei Faustino Fernandes, concelebrada pelos Freis da Família Franciscana.  A programação também contou com um ato pela ‘MÃE ÁGUA’ nas margens do Igarapé do Goiabinha, situado no terreno o Memorial do Cruzeiro, que fez parte da Celebração do Tempo da Criação.

O Tempo da Criação é a celebração anual cristã para rezar e responder juntos ao clamor da Criação: a família ecumênica ao redor do mundo se une para ouvir e cuidar da nossa casa comum, o Oikos de Deus. De acordo com o Frei José Maria, pároco da paróquia São Jorge, o objetivo deste ato junto ao igarapé, foi de chamar a atenção do povo que mora nas imediações, para o cuidado com essa nascente.

“Nós fizemos esse ato primeiramente para celebrar o tempo da criação. Juntamente com essa celebração nos associamos a celebração fazendo uma manifestação sobre um dos igarapés que passa bem do ladinho do Cruzeiro, chamado Goiabinha que está pedindo socorro. Se não cuidarmos ele vai morrer como tantos outros existentes em nossa cidade. Mas precisamos chamar a atenção dos poderes públicos, pois cuidar da água é cuidar da vida”. Disse o Frei José.

Logo após a celebração do Tempo da Criação, que também contou com a participação da Associação Parque Sumaúma, foi realizado o plantio de mudas de Ipê (amarelo, branco, roxo e rosa) para simbolizar a marcar a presença da Família Franciscana no Cruzeiro. Segundo Frei Paulo Xavier, o ato concreto de cuidar de uma fonte d´água ou de se fazer o plantio de árvores, é uma tentativa para que a vida prevaleça.

“Foi uma tentativa de a gente repensar as nossas ações, a mudança, a conversão que nós podemos fazer, essa conversão ecológica. E foi também a tentativa de reunir as organizações, as entidades, as pessoas para esse cuidado com a casa comum, cuidado com a vida, a ecologia integral, e fazer com que isso seja uma prática do nosso cotidiano, da nossa ação, a partir da nossa fé, a partir do compromisso com o reino de Deus”, comentou Frei Paulo.

Durante a missa franciscana que teve início por volta das 19h30, os freis franciscanos iniciaram a celebração se apresentando e falando um pouco da organização da família franciscana presente na Arquidiocese de Manaus. A solenidade também foi uma ocasião de gerar o encontro, celebrando a festa do Santo Padroeiro da ecologia, refletindo a presença e a disposição em viver toda essa realidade da vocação franciscana aqui na Amazônia.

Mais sobre o Tempo da Criação

O período de “celebração” do Tempo da Criação começa no dia 1º de Setembro, Dia Mundial de Oração pelo Cuidado da Criação, e finaliza no dia 4 de Outubro, Festa de São Francisco de Assis, o santo padroeiro da ecologia amado por muitas denominações Cristãs.

“Percebemos o quanto é significativo a gente reunir e pensar juntos, pensar a realidade a partir de ações concretas e que podem transformar, a partir de gestos simples, pode transformar uma realidade tão desafiadora como é a questão da ecologia, do meio ambiente, a situação que nós estamos vivendo nesta realidade da seca. A nossa realidade e podemos testemunhar isso fazendo ações que concretizem a nossa vocação”, concluiu Frei Paulo.

Gostou? Compartilhe

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on telegram
Telegram

Comentários