Arquidiocese de Manaus

Movimento das Mães que Oram pelos filhos reune 450 pessoas em encontro realizado em Manaus

Com o tema “Penitência – liberta e faz crescer no amor a Deus”, o movimento Mães que Oram pelos Filhos realizou, no dia 30 de julho, o seu 2º. Encontro Estadual no Amazonas, na Igreja Nossa Senhora do Sameiro. O encontro que reuniu 450 mães, iniciou com a missa presidida por Dom Leonardo Steiner, que em sua homilia enfatizou a importância de orar pelos filhos, mas de também orar com os filhos, chamando-os diariamente para uma oração, incentivando-os a um hábito de oração à Deus seja de agradecimento ou de intercessão pela família, pelos que mais precisam.

Após um breve intervalo, as mães presentes rezaram o terço da penitência, apresentaram os grupos existentes no Amazonas, através das coordenadoras do movimento nas paróquias N. Sra. das Mercês, N. Sra. da Glória, São José de Belo Horizonte, N. Sra. do Sameiro, São Bento, N. Sra. Das Graças, Santa Rita, Santuário N. Sra. de Fátima, São Sebastião, N. Sra. da Amazônia, N. Sra. de Nazaré, N. Sra. do Perpétuo Socorro (primeiro grupo em Manaus) e no interior do Estado nas Paróquia Divino Espírito Santo – Itacoatiara e São Francisco – Eirunepé.

Houve um momento oracional com Salete Ferreira, da Comunidade Canção Nova, seguida da formação realizada pela fundadora e coordenadora do movimento no Brasil, Ângela Abdo que tratou da metodologia, dos livros sobre o movimento e o tripé “humildade, obediência e unidade”, que conduz o carisma que é “Restauração das Famílias pelo poder da Oração de Intercessão”. Destacou a importância do movimento da vida de muitas famílias, da união de tantas mães que pedem a Deus por seus filhos, para que eles trilhem o caminho da salvação, para que façam boas escolhas, libertem-se de vícios e amizades que fazem mal a eles, e outros motivos que deixam o coração das mães angustiados e que só Deus pode agir com sua misericórdia.

Aline Eisenlohr, cofundadora e vice-coordenadora geral do movimento, em sua fala, tratou de meios para a espiritualidade, do caminho de santidade que Nossa Senhora de La Salette propõe que consiste em estar em dia com o sacramento da confissão e a prática da penitência e assim é possível uma mudança de vida, refletindo sua vida de oração no dia a dia, e isso vai despertar nos demais membros da família o interesse pelo encontro pessoal com Jesus, sendo um instrumento de evangelização dentro de casa. Aline destacou as cinco vias da santidade (reconciliação, oração, eucaristia, penitência e missão) explicando e dando exemplo de cada uma delas, sendo elas armas para manter a família de pé.

Pe. Vicente de Paulo, membro da Comunidade Betânia, em sua fala destacou o perigo da dicotomia “fé e vida” a qual muitos se acostumam e acreditam ser muito normal. “Muitos acreditam que temos que ter duas posturas, uma postura dentro da igreja e outra no trabalho, na política, no dia a dia da minha casa. Fizemos da espiritualidade uma bolsa (a tira colo) que mexe quando precisa, quando tem necessidade. Estamos no ano da penitência e às vezes a gente pensa que são só exterioridades, mas é muito mais que isso. Não tem a ver como você faz, mas como você faz por causa da espitirualidade que você vive, pelos valores que você tem em Deus”, afirmou ao explicar que precisamos ser autênticos onde quer que estejamos e transbordar uma espiritualidade que transborda de dentro.

As mães presentes puderam também vivenciar momentos de grupo para partilha de experiências. Houve momento de adoração com o Santíssimo Sacramento conduzida pelo Pe. Vicente, da Comunidade Betânia, e Pe. Luis, da Paróquia Nossa Senhora das Graças.

Todo o encontro foi transmitido ao vivo pela página do youtube da Arquidiocese de Manaus e pode ser acessado através do link

 

 



Por: Ana Paula Gioia Lourenço

Assessoria de Comunicação da Arquidiocese de Manaus



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *