Arquidiocese de Manaus

Muito obrigado! – Artigo de Dom Leonardo Steiner – 10/7/2022

Tomás de Aquino apresenta três níveis no tratado da gratidão. O primeiro o do reconhecimento intelectual, cerebral, cognitivo. O outro nível do agradecimento, do dar graças a alguém; dou graças por aquilo que recebi, dou uma graça, uma mercê. O terceiro nível é o que dizemos em português: muito obrigado. Fico-vos obrigado, fico obrigado perante o outro, vinculado perante o outro, na relação com o outro sinto-me comprometido.

A verdadeira gratidão vincula, estabelece uma relação; como que obriga. É que gratidão é um diálogo de comprometimento. A gratidão eleva o sentido do humano. O humano na gratidão torna-se mais humano, humanado.

Após a Visita ad Limina, fomos dom Tadeu, dom José e eu, até a diocese de Treviso para agradecer os vinte e seis anos de presença missionária na Arquidiocese de Manaus. Criaram-se vínculos, nos sentimos vinculados, necessitados de um gesto de gratidão para com a Diocese que enviou missionários.

Além das conversas com os missionários e as famílias missionárias que estiveram em Manaus e a conversa com o bispo dom Michele Tomasi, participamos da celebração Eucarística pelo 10.º Encontro Mundial das Famílias. No final da celebração Eucarística dom Michele ofereceu a oportunidade de dirigir uma palavra às famílias presentes na celebração. Foi uma palavra de gratidão. A igreja cheia de famílias foi o momento propício para fazer ecoar nossa gratidão como Arquidiocese. Agradecer o comprometimento da Diocese de Treviso para conosco. Agradecemos porque experimentamos a dedicação, a entrega, o serviço junto às comunidades. Agradecemos, pois havíamos recebido a graça da presença missionária de Treviso. Especialmente demonstrar a gratidão, pois nos sentíamos ligados, obrigados, vinculados ao Povo de Deus daquela igreja particular.

A gratidão é o modo de relação que expressa melhor nossa humanidade-divindade. É que a gratidão nasce do amor. As relações familiares tornam-se sempre mais profundas e significativas quando tomadas pela gratidão, nascidas da gratidão. O mesmo, podemos dizer das relações nas nossas comunidades. A gratidão desperta liberdade e liberalidade, acolhimento, serviço. Seguir Jesus por gratidão, pois nos ofereceu a salvação no amor da cruz e da ressurreição.

A relação missionária entre as nossas igrejas terá continuidade, pois continuamos com a presença de missionários leigos na obra Movimento Comunitário Vida e Esperança, MCVE. Essa obra que se propõe a intervir e trabalhar com as famílias, crianças e adolescentes que se encontram vulneráveis aos diversos riscos sociais e pessoais.

A nossa igreja de Manaus que recebeu tanta ajuda missionária através da Vida religiosa, dos padres diocesanos, de leigos e leigas, possa tornar-se enviadora de missionários e missionárias. Ficamos obrigados, obrigados perante os outros, vinculados perante os outros. Nos sentimos comprometidos com a ação missionária e, na gratuidade, desejamos partir, sair, anunciar. Ser presença de esperança e de paz.

 

Leonardo Steiner

Arcebispo de Manaus

 


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *