Arquidiocese de Manaus

Visita – Artigo de Dom Leonardo Steiner

Os bispos do Regional Norte I e os bispos do Regional Noroeste estarão em Roma de 20 a 26 para a Visita ad limina. A Visita tem um significado teológico-espiritual-pastoral que permite aprofundar o sentido e iluminar as relações entre as igrejas particulares com o Papa, a catolicidade da Igreja.
“A visita tem duas razões: a veneração e a peregrinação às relíquias dos Apóstolos Pedro e Paulo e o encontro com o sucessor de São Pedro. A prática da Visita vem do início da Igreja e mantêm o seu profundo significado espiritual e de comunhão eclesial. Um significado especial para os pastores, sucessores dos apóstolos. A peregrinação exprime a unidade da Igreja, fundada por Jesus Cristo “sobre os Apóstolos e edificada sobre Pedro, sua cabeça, com o próprio Jesus Cristo como pedra-mestra-angular e seu «evangelho» de salvação para todos os homens” (Diretório da Visita ad limina).
O encontro com o Sucessor de Pedro ressalta a unidade da fé, esperança e caridade e faz conhecer e apreciar o imenso patrimônio de valores espirituais e morais de toda a Igreja, em comunhão com o Bispo de Roma. As modalidades e a frequência do encontro com o Papa podem variar, como aconteceu durante os séculos, mas o significado essencial permanece sempre o mesmo: comunhão, catolicidade. Hoje em dia é uma visita de cinco em cinco anos. Com a pandemia houve adiamento da Visita.
O sentido da visita aos túmulos de Pedro e Paulo e a visita ao Sucessor de Pedro, percebe-se nas palavras de três papas. “Como toda visita, se trata de um encontro, ou seja, de uma ocasião para falar, para estar juntos, para trocar, em nome de Cristo, o beijo santo da caridade e da paz” afirmava São Paulo VI a respeito da Visita ad Limina. Bento XVI afirmava que a “visita ad Limina àRoma, é tempo de reforçar os vínculos de comunhão fraterna com o Sucessor de Pedro e por ele ser animado na condução do rebanho de Cristo”. Francisco salienta a importância do encontro afirmando: “Visita ad Limina Apostolorum são dias de reflexão e de oração, fonte de renovação e cultivo do vínculo de comunhão eclesial, a fim de responder às exigências de uma ação conjunta e coordenada do progresso espiritual e material do Povo de Deus, confiado aos bispos”.
Cada bispo diocesano envia com antecedência um Relatório que deveria ser quinquenal. O Relatório é um meio para facilitar a relação de comunhão entre as Igrejas particulares e o Santo Padre na ocasião da Visita ad Limina. Ele ajuda no diálogo com os diversos Dicastérios que serão visitados pelos bispos.
“A visita «ad limina Apostolorum» por parte de todos os Bispos que presidem na caridade e no serviço às Igrejas particulares em todo o mundo, em comunhão com a Sé Apostólica tem um significado preciso, ou seja, o revigoramento da própria responsabilidade de sucessores dos Apóstolos e da comunhão hierárquica com o Sucessor de Pedro, e a referência na visita à Roma, ao túmulo dos Santos Pedro e Paulo, pastores e colunas da Igreja Romana.” (Diretório da Visita ad limina)
O encontro com o Papa é sempre um momento especial de profunda comunhão de colegialidade, de fraternidade. A visita aos túmulos de Pedro e Paulo é a oportunidade de reafirmar o ministério do bispo para ser pastor solícito, dedicado e fiel como foram os dois grandes apóstolos.

Leonardo Steiner
Arcebispo de Manaus

Publicado no Jornal Em Tempo, 18 e 19 de junho de 2022


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *