Arquidiocese de Manaus

Simpósio sobre povos indígenas é promovido por organizações da Igreja Católica e Sociedade Civil

Está sendo realizado no Auditório da Universidade Estadual do Amazonas – UEA, até esta sexta – feira 29, um Simpósio sobre: Povos Indígenas, Resistências às Políticas Neoliberais da Amazônia. A atividade reúne organizações da Igreja Católica e Sociedade Civil.

A iniciativa surgiu a partir da preocupação das instituições envolvidas, com o objetivo de discutir e propor estratégias, para unir-se a luta pelos direitos dos povos indígenas, diante as ameaças que a Amazônia vem sofrendo. Entra elas o projeto de lei 191/2020 que quer permitir a mineração em terras indígenas e a aprovação projeto de lei 490/2007 que é a demarcação de terras.

O Vice – Presidente da Cáritas Arquidiocesana de Manaus, Pe. Alcimar Araújo, afirma a comunhão da igreja junto à comunidade indígena e destaca uma luta que não deveria acontecer, de um povo que tem sua terra a mais de 500 anos, ter que provar a todo momento os seus direitos constituídos por lei.

A realidade dos indígenas Yanomami são desafiadoras, são eles os mais afetados com o garimpo e outros problemas que afetam os jovens principalmente, destaca o Diretor da Hutukara Associação Yanomami, Maurício Yekwana.

O Simpósio foi dividido em três dias, 27,28 e 29 de abril, conta com a participação da Cáritas Arquidiocesana de Manaus, do Serviço Amazônico de Ação, Reflexão e Educação Socioambiental – SARES, Grupo de Estudo e Pesquisa em Educação Escolar Indígena e Etnografia da UEA, o DABUKURI – Planejamento e Gestão do Território na Amazônia da Universidade Federal do Amazonas – Ufam, Conselho Indigenista Missionário – CIMI, Fórum de Educação Escolar e Saúde Indígena do Amazonas – FOREEIA e a Rede Eclesial Pan-Amazônica – REPAM.

 

Ouça a matéria em áudio:

 

 

Rafaella Moura – Rádio Rio Mar 

 



Por: Rafaella Moura



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *