Arquidiocese de Manaus

Prêmio Municipal Direitos Humanos contempla a Pastoral do Povo da Rua da Arquidiocese de Manaus

Na noite desta quinta-feira (31/03), a Prefeitura de Manaus, por meio da Comissão Municipal de Organização e Julgamento, formada por diversas secretarias municipais, realizou a entrega do  “1º Prêmio Municipal Direitos Humanos”, no qual a Pastoral do Povo da Rua (PPR) em parceria com a Cáritas Arquidiocesana de Manaus, foi uma das contempladas na categoria Garantia dos Direitos da População em Situação de Rua. O evento foi realizado no Teatro Manauara, localizado nas dependências do Shopping Manauara e teve como representantes da Arquidiocese de Manaus o Pe. Alcimar Araújo, Vice-Presidente da Cáritas Arquidiocesana, Pe. Hudson Ribeiro, pároco da Catedral Metropolitana de Manaus e agente de pastoral da PPR, e Cássia Souza, atual coordenadora do PPR que subiu ao palco para receber o prêmio.

“Receber esse reconhecimento pelas ações que a Arquidiocese de Manaus tem dado às pastorais, sobretudo a PPR, é muito bom, pois esse é um prêmio coletivo, visto que os trabalhos realizados pela PPR, com esse olhar sensível de inclusão, do cuidado e do reconhecimento do direito de cidadania a todos os indivíduos em situação de rua, só são possível de serem realizados porque muitas pessoas colaboram, ajudam de maneira voluntária e se envolvem no intuito de dar pelo menos condições mínimas a esses cidadãos que estão em situação delicada e que precisamos ter olhar atento com eles”, disse Cássia.

O evento começou por volta das 20h e, ao todo, foram recebidas cerca de 90 indicações de pessoas físicas e instituições que se destacaram nas áreas de promoção e defesa dos direitos humanos entre os anos 2018 a 2021. “Nós estamos na culminância de um processo que foi lançado no ano passado e hoje estamos aqui para fazer a outorga deste prêmio que tem dois propósitos: dar visibilidade às pessoas físicas que lutam pela garantia e consolidação dos direitos humanos, mas que ainda estão invisíveis e fazer o reconhecimento dos serviços que foram relevantes e mostrou para o mundo inteiro que, mesmo numa época de pandemia e guerra, ainda é possível trabalhar em prol do ser humano”, disse Maria das Graças Prola, uma das idealizadoras do prêmio.

Antes da entrega do prêmio, foi lido um breve histórico da PPR relatando suas atividades que são realizadas no Centro de Acolhida ao Povo da Rua Dom Sergio Eduardo Castriani, localizada na área lateral da Igreja dos Remédios no centro da cidade, onde funciona de segunda a sexta o dia inteiro atendendo às pessoas com o fornecimento de alimentação, banho, orações, rodas de conversa e encaminhamento de pessoas para o tratamento da luta contra a dependência de álcool e outras drogas. Para Pe. Hudson, que atua diretamente nas ações da PPR, o reconhecimento deste prêmio se deve pelo fato da PPR ter se feito atuante na discussão de politicas publicas no que diz respeito aos cuidados com o povo da rua.

“Antes de pensar no prêmio, nós assumimos essa postura profética de dizer que esse problema existe e que a Arquidiocese e a Cáritas estão atuante e presente junto à população de rua, um trabalho realizado por muitas mãos de voluntários, de grupos, de associações que tem somado e assumido algo que é necessário para que, a união de alguns possa diminuir o sofrimento de muitos. A PPR não está aqui com a ousadia de resolver um problema e sim como um sinal para amenizar a dor, para fazer uma provocação e mostrar para a sociedade, instituições e pessoas de boa vontade, onde está o problema que no primeiro momento parecem demandas assistenciais mas que preferimos chamar de emergenciais, ainda mais nestes dias tão chuvosos”, disse Pe. Hudson.

Atuando lado a lado nas ações sociais junto com a PPR, a Cáritas Arquidiocesana também é o braço administrativo e jurídico dos trabalhos que a PPR realiza. De acordo com o vice-presidente, “é muito importante dar visibilidade as atividades realizadas pela PPR até para a sociedade perceber às necessidades e ver a situação limite em que nos encontramos, pois é perceptível que tem aumentado o número de pedintes e pessoas que dormem nas ruas e isso merece politicas públicas muito mais abrangentes, que possam atingir as causas sociais, daí vem a importância do serviço de todas as entidades que fazem esse trabalho. Parabéns à PPR e a Cáritas espera ajudar ainda mais quando estivermos estabelecidos na antiga Cadeia Raimundo Vidal, com um espaço maior e melhor para atender as pessoas que moram nas ruas”, comentou Pe. Alcimar.

Vale ressaltar que o Instituto de Assistência à Criança e ao Adolescente (IACAS), sendo representando pela coordenadora Amanda Ferreira, também foi premiado na categoria Erradicação do Trabalho Escravo, Garantia dos Direitos da Criança e do Adolescente. O IACAS Manaus tem sua sede localizada no bairro de Santo Antônio, trabalha com crianças da periferia com o o objetivo de eliminar a exploração sexual de crianças e adolescentes e, já atuou diversas vezes em parceria com a REDE UM GRITO PELA VIDA em ações promovidas pela Arquidiocese de Manaus, como o “Faça Bonito” e também atividades que envolvam o enfrentamento ao tráfico de pessoas, violência sexual, violência doméstica, abuso sexual, homofobia entre outros.

Categorias Premiadas

O 1º Prêmio Municipal Direitos Humanos contemplou as seguintes categorias:

-Defensores de Direitos Humanos;

-Educação em Direitos Humanos;

-Comunicação em Direitos Humanos;

-Garantia dos Direitos da População em Situação de Rua;

-Enfrentamento à Violência;

-Segurança Pública e Direitos Humanos;

-Promoção e Respeito à Diversidade Religiosa;

-Garantia dos Direitos da População LGBTQIA+;

-Erradicação do Trabalho Escravo, Garantia dos Direitos da Criança e do Adolescente;

-Garantia dos Direitos das Pessoas com Deficiência;

-Igualdade Racial e Igualdade de Gênero;

-Garantia dos Direitos de Comunidades Tradicionais;

-Cultura e Direitos Humanos;

-Emergência Humanitária e Calamidade e Fortalecimento das Capacidades Protetivas das Famílias.

Fotos colaboração: Pe. Hudson Ribeiro e Prefeitura Municipal de Manaus



Por: Érico Pena

Assessoria de Comunicação da Arquidiocese de Manaus



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *