Arquidiocese de Manaus

Fazenda da Esperança Feminina inaugura capela dedicada à Santa Bahkita

No dia 5 de março aconteceu a inauguração da Capela de Santa Bakhita, na Fazenda Esperança em Manaus, durante uma missa presidida por Dom Mário Pasqualotto e concelebraram Dom Leonardo Steiner, Arcebispo Metropolitano de Manaus, e Padre Vinicius Gouveia, da Fazenda da Esperança Manaus.

O evento contou com a participação da Rede Um Grito pela Vida, que tem como padroeira Santa Josefina Bakhita, e teve a presença das senhoras Iraci e Luci, duas fundadoras da Fazenda Feminina Guaratinguetá, sede de toda obra da Fazenda da Esperança, que vieram à Manaus especialmente para a inauguração da capela.

A capela foi dedicada à Santa Bakhita pelo seu testemunho de vida e missão, sendo a primeira santa africana, exemplo de resistência e fé para o mundo. Uma santa de esperança cuja história de dor e sofrimento causados pela escravidão é exemplo de força, resistência e oração. tudo superou e tornou-se freira na congregação de Santa Madalena de Canossa. Foi nesta congregação que Bahkita conheceu o Evangelho pela primeira vez; recebeu Jesus e se batizou católica, passando a chamar Josefina.  Bahkita se dedicou às atividades da congregação por mais de cinco décadas e teve uma vida marcada por sua humildade e alegria. Ela pregava a importância de ser bom e amar a Deus; de rezar, inclusive, por aqueles que não conhecemos. A religiosa reconhecia a importância da oração, da submissão e do amor ao próximo para a construção de uma vida justa e honesta.

Santa Josefina Bahkita foi canonizada por João Paulo II em outubro do ano 2000. Conhecida como Santa Irmã Morena. Era muito espiritualizada e tinha muita força e luz em lutas contra adversidades quase fatais que viveu, com uma história que é exemplo para fiéis de qualquer lugar do continente, e por isso Bahkita recebeu o carinhoso apelido de “Nossa Irmã Universal”, dado pelo próprio Papa João Paulo II.

Segundo Dom Mário, a santa representa um pouco as internas da fazenda por elas de certa forma serem também escravas, no caso, escravas do vício, e é um exemplo de força e superação. “Na última vez que estive na Itália, em 2019, ao visitar as irmãs Canossianas, ganhei uma relíquia importante da santa, um pedacinho de osso, que vai ser colocada no altar da capela, em um vidro. Ela foi construída com recursos advindos de benfeitores e de ofertas que recebi na Itália, serviços pastorais que fiz na Itália em 2019 e ajuda de muitos amigos aqui de Manaus. A Capela ainda não está pronta falta ar-condicionado, o piso da varanda, a pintura das colunas externas, mas o essencial está concluído e fizemos já uma celebração com a comunidade feminina da fazenda.  Eu penso que vai servir de um momento de referência e de oração para que a santa nos livre todos das nossas escravidões e apegos que nos tira a liberdade de amar mais a Deus e amar mais ao próximo”, afirmou Dom Mário.

Durante a celebração Dom Mário abençoou e introduziu uma relíquia da Santa e entregou a Rede Um Grito pela Vida outra relíquia. As representantes da rede agradeceram a Dom Mário Pasqualotto e à Fazenda Esperança por dedicar a Capela à Santa Bakhita.

Fotos:  Arquivo Fazenda da Esperança e Rede um Grito pela Vida



Por: Ana Paula Gioia Lourenço

Assessoria de Comunicação da Arquidiocese de Manaus



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *