Arquidiocese de Manaus

2022: PAZ – Artigo do Arcebispo Dom Leonardo Steiner – 9/1/2022

“Diálogo entre as gerações, Educação e Trabalho: instrumentos para construir uma paz douradora” é o caminho indicado por Papa Francisco para o ano de 2022.

Na Mensagem enviada para a celebração do 55º Dia Mundial da Paz, ele propõe três caminhos para a paz: o diálogo entre as gerações, como base para a realização de projetos compartilhados; a educação, como fator de liberdade, responsabilidade e desenvolvimento; o trabalho, para uma plena realização da dignidade humana. São as ações imprescindíveis para a criação de um pacto social consistente que possibilite a paz.

São Papa Paulo VI, ao instituir o Dia Mundial da Paz, na sua primeira mensagem dizia: “Finalmente resulta, de forma claríssima, que a paz é a única e verdadeira linha do progresso humano, não as tensões de nacionalismos ambiciosos, nem as conquistas violentas, nem as repressões geradoras duma falsa ordem civil” (1º Dia Mundial da Paz, 01/10/1968). E recordava a São João XXIII que exaltava “o sentido e o amor da paz baseada na verdade, na justiça, na liberdade, no amor”. As controvérsias internacionais deveriam ser resolvidas pela via da razão, isto é, as negociações deveriam ser baseadas no direito, na justiça, na equidade.

Para o ano iniciado, o Santo Padre nos estimula ao diálogo como possibilidade da paz. “Dialogar significa ouvir-se um ao outro, confrontar posições, pôr-se de acordo e caminhar juntos. Favorecer tudo isto entre as gerações significa amanhar o terreno duro e estéril do conflito e do descarte para nele se cultivar as sementes duma paz duradoura e compartilhada.” (55º Dia Mundial da Paz) Um diálogo geracional, aberto, de aprendizado e construção de uma convivência harmônica em tensão. Em tensão, porque em movimento geracional.

Educar para a liberdade, a convivência! A cultura do cuidado, diante da fragmentação da sociedade e da inércia das instituições, é gesto-linguagem que abate as barreiras e constrói pontes. As riquezas culturais: a cultura popular, a cultura universitária, a cultura juvenil, a cultura artística e a cultura tecnológica, a cultura econômica, a cultura da família, a cultura dos meios de comunicação, possibilitam uma humanidade mais aberta, receptiva e pessoas maduras. “Um pacto que promova a educação para a ecologia integral, segundo um modelo cultural de paz, desenvolvimento e sustentabilidade, centrado na fraternidade e na aliança entre os seres humanos e o meio ambiente.” (55º Dia Mundial da Paz)

O trabalho a construir da paz. “Promover e assegurar o trabalho constrói a paz”! É a base sobre a qual se constrói a justiça e a solidariedade. O trabalho é uma necessidade, faz parte do sentido da vida em sociedade, é caminho de maturação, desenvolvimento humano e realização pessoal. Unir ideias, os esforços e sonhos para criar as condições e inventar soluções para que a pessoa em idade produtiva tenha a possibilidade, com o seu trabalho, de contribuir para a vida da família e da sociedade, e possibilitar a realização pessoal. (cf. 55º Dia Mundial da Paz) Sem trabalho digno as tensões sociais podem evoluir para o desespero.

“Como são formosos, sobre os montes, os pés do mensageiro que anuncia a paz” (Is 52,7)! Benditas as pessoas que promovem a Paz pelo diálogo, pela educação e pelo trabalho. Bem-aventurados todos os que pelo diálogo, educação e trabalho constroem a paz.

 

Leonardo Steiner

Arcebispo de Manaus



Por: Ana Paula Gioia Lourenço

Assessoria de Comunicação da Arquidiocese de Manaus



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *