Arquidiocese de Manaus

Imagem da Padroeira do Amazonas faz transladação de Cacau Pirêra até Igreja da Matriz

Na manhã desta quarta-feira (08/12), foi realizado a transladação da Imagem da Padroeira do Amazonas, Nossa Senhora da Imaculada Conceição, que saiu por volta das 8h da Igreja de Nossa Senhora Aparecida, localizada no Distrito do Cacau Pirêra no Iranduba, chegando aproximadamente às 11h na Praça da Matriz, ao lado do Relógio Municipal.

Durante o translado, a Imagem de Nossa Senhora cruzou a ponte sob o Rio Negro e percorreu várias ruas de diversos bairros e, durante o trajeto fez algumas paradas nas paróquias de Santo Antônio, São Raimundo, Glória, N. Sra. das Graças, Dom Bosco, além de também visitar os Santuários de Fátima, Aparecida e São José.

No decorrer do trajeto que levou quase três horas, muitas pessoas se emocionavam com a passagem da Imagem de Nossa Senhora e, em cada paroquia que parava, era recebida com oração, músicas e bênçãos dos seus respectivos párocos, até chegar na Igreja da Matriz, onde vários fiéis lhe esperam com festa dentro e fora da igreja.

Confira agora a homilia proclamada pelo pároco da Área Missionária N. Sra. Aparecida, Pe. Cândido Cocaveli, durante a missa das 6h30.

Irmãs e Irmãos,

   Reunidos, celebramos hoje mais uma liturgia solene em memória a Mãe de Jesus, invocada sob o Título da Imaculada Conceição. Nossa Área Missionária no Distrito do Cacau-Pirêra tem a alegria de receber tão grande presente – acolher a Imagem da Virgem em nosso Setor Rio Negro, na Região Episcopal Nossa Senhora dos Remédios, e daqui ela partirá em peregrinação, passando pelas ruas de Manaus até sua chegada na Catedral Metropolitana.

            Maria é Imaculada porque recebeu este dom gratuito de Deus, uma graça incomparável; graça que por sua vez foi sustentada por uma fé firme e inabalável na tradição do povo de Israel, graça vivida numa disponibilidade discreta e na esperança de que a força que provém de Deus a ajudaria a dar os passos necessários neste caminho de salvação a que ela foi chamada a cooperar.

            Maria é bem-aventurada porque acreditou. Em Maria a Palavra acolhida encontrou morada terrena e humana. Por seu sim, a Palavra eterna entra em nosso tempo e habita em nós. Pela cooperação simples e humilde de Maria, o Verbo de Deus ganha feições humanas e o Filho se encarna e toma para si nossa condição humana. Deus é conosco! Ele está no meio de nós, “cheio de graça e verdade!” como nos diz São João 1,17.

Maria representa a esperança de todo um povo que aguardava o cumprimento da Promessa de que o Messias, o Salvador e Ungido de Deus, viria ao mundo (Dn 9,25s). A mãe de Jesus se torna, assim, a porta da Nova Aliança, do novo Israel e une o Antigo ao Novo Testamento.

            Em Maria, a força do pecado original não encontrou eco. Nela está preservada aquela relação perfeita que o pecado desfigura. Deste modo, preservada da corrupção, encontrou o Verbo de Deus, o Filho do Deus eterno, mãe perfeita “que fosse digna d’Ele” (Prefácio da Imaculada), devotada inteiramente Deus, tão humana e plena da Graça e do Amor divino.

            Na liturgia da Festa de hoje ouvimos a proclamação do Evangelho da Anunciação (Lc 1,26-38) que nos narra o diálogo entre o Anjo e a Virgem: “Alegra-te, cheia de graça, o Senhor é contigo” (v.28). Nesta saudação é “revelada a identidade profunda de Maria e como ela é reconhecida por Deus – a cheia de Graça” (Papa Bento XVI).

            Em meio as privações e as dificuldades deste mundo, encontramos na mãe de Jesus esperança e consolo oferecidos desde do seu coração materno a todos os filhos e filhas seus.

Quando volvemos nosso olhar a Maria, recorremos a ela em nossas necessidades, contamos a ela nossas dores, partilhamos com ela nossas apreensões; confiamos em sua intercessão quando ainda apenas fitamos seus olhos e neste encontro silencioso e cheio de amor entre filhos e filhas com sua mãe, os corações se comunicam – é este jeito simples que encontramos para com ela nos relacionarmos, sem distâncias, sem reservas, confiantes.

            As Escrituras Sagradas nos apontam que a origem do mal está na incapacidade humana de “ouvir”, eis a origem da desobediência – não escutar e porque quem assim age, fecha-se em si mesmo; e nisto está o princípio de todo mal.

            Todos os dias nos deparamos com situações ou até mesmo experimentamos as consequências deste tipo de estilo de vida encerrado em si, alimentado pelo egoísmo que não permite crescer, mas, ao contrário, atrofia e impede a vida se tornar plena.

            Contemplar o mistério de Maria Imaculada faz-nos regressar à origem da criação quando Deus viu que tudo era muito bom (Gn 1,31), e assim pode descansar (2,6) e confiou a nós os cuidados de toda obra criada (3,15). Nesta manhã de festa e diante da imagem da Virgem Imaculada queremos também elevar a nossa voz e contar à nossa Mãe celestial o que nos ocorre, o que nos aflige e nos assusta:

  – Maria, Mãe Imaculada, estão querendo instalar em nossa cidade um lixão, sem levar em conta as graves consequências ambientais e o desconforto para a vida dos moradores da região. Mãe Imaculada, uma vez mais os interesses econômicos tentam se impor e a nos impor em detrimento a qualidade de vida das pessoas e a vida natural e abundante. Desejamos que a obra do seu Filho Jesus, manifestada na exuberância da natureza e dos recursos naturais em nossa região, seja preservada. Desejamos que sejam empreendidos esforços e adotados modelos mais sustentáveis para o tratamento e o destino dos resíduos sólidos que produzimos. É verdade, ó Mãe Imaculada, que nosso modelo de sociedade adotou um estilo de vida pouco sustentável e racional, basta vermos a quantidade de lixo que produzimos e que lançamos na natureza. Sabemos, Mãe Imaculada, que se faz necessário uma mudança radical de nossas ações para que o planeta e seus futuros habitantes, as novas gerações, tenham as condições mínimas de vida, já tão ameaçada com o avançar das mudanças climáticas.

            Escuta nossa prece, ó Mãe Imaculada, e pedimos para que as autoridades cheguem a um encaminhamento mais razoável e menos danoso aos irmãos e irmãs de seu Filho, bem como à obra da criação por Ele começada.

Por tudo, ó Mãe, desejamos manifestar o nosso obrigado porque somos gratos por todo carinho e cuidado para conosco e para com o povo do nosso Estado do Amazonas que tem por vós um amor tão grande, pois vos tem como Padroeira especial junto de Deus, nosso Pai. Nossa gratidão, ó Mãe, pelo conforto e consolo que encontramos em vosso coração, na hora de nossas rezas do terço e das ladainhas no momento mais difícil quando enfrentamos a pandemia, quando muitos adoeceram e tantos outros partiram desta vida.

            Ó Maria concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a vós:

            Rogai por nossa Igreja de Manaus que realiza uma caminhada sinodal numa escuta atenta do nosso povo;

            Rogai para que sejamos discípulos e discípulas fieis do vosso Filho Jesus, para que em nossos corações cultivemos a sua misericórdia;

            Rogai para que diante de nossos olhos os pobres, os idosos e enfermos, os migrantes e os que padecem não passem despercebidos e sempre lhes sejamos solícitos;

Rogai para que tenhamos uns pelos outros sentimentos de fraternidade, respeito à diversidade e acolhimento para com todos;

            Rogai para que nossa Igreja seja a Igreja do vosso amado Filho, sustentada pela Palavra e  pelo serviço e sempre pronta a servir.

            Por tudo isso, intercedei a Deus por nós, ó Virgem Imaculada e bendita.

Confira a galeria completa com as fotos em: https://www.facebook.com/169342413179901/posts/4587613871352711/ 

 



Por: Érico Pena

Assessoria de Comunicação da Arquidiocese de Manaus



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *