Arquidiocese de Manaus

Dom Tadeu celebra o Jubileu de Prata dos 25 anos de Ordenação Presbiteral

Na noite desta terça-feira (07/12) na Paróquia São José Operário Leste, foi realizada a missa de ação de graças pelo Jubileu de Prata de Dom Edmilson Tadeu Canavarros dos Santos (SDB), bispo auxiliar da Arquidiocese de Manaus, Vice-Presidente do Regional Norte 1 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e primeiro bispo sul-mato-grossense. A celebração que contou com a presença de salesianos, vida religiosa e presbíteros da Arquidiocese de Manaus, e do Arcebispo Metropolitano, Dom Leonardo Steiner.

Dom Tadeu Canavarros, como é mais conhecido na Arquidiocese de Manaus, é natural de Corumbá (MS), nasceu em 3 de dezembro de 1967 e é o oitavo filho entre os 11 do casal Jacinto dos Santos e Elirene Canavarros, uma família humilde e trabalhadora. Estudou no Colégio Salesiano de Santa Teresa em Corumbá, onde despertou a vocação sacerdotal na convivência com salesianos. Entrou no pré-aspirantado no ano de 1982, fez a sua primeira profissão religiosa no dia 31 de janeiro de 1988 e foi ordenado padre em Campo Grande no dia 7 de dezembro de 1996.

Em sua homilia, Dom Tadeu lembrou o pensamento de Dom Bosco, que pede aos salesianos “ser sinal e portador do amor de Deus aos jovens, às pessoas”. Segundo o bispo auxiliar de Manaus, “o amor de Deus por nós é uma questão fundamental para a vida e apresenta questões decisivas sobre quem é Deus e sobre quem nós somos”, Ao celebrar o Jubileu de prata presbiteral, o bispo afirmou que “viver significa sermos amados”, lembrando à luz do Evangelho do dia, que “nos ajuda a entendermos o amor de Deus através do cuidado, desenvolver o cuidado sobretudo para com os pequeninos”.

Dom Tadeu Canavarros afirmou que sua vocação sacerdotal nasce dentro da espiritualidade do Bom Pastor, lembrando seu lema sacerdotal “Ouro ou prata não tenho, mas o que eu tenho isso te dou”. “Celebrar 25 anos de ordenação presbiteral é celebrar 25 anos de vocação, de chamado diário e de resposta positiva, fazendo próprio diariamente, assim como a Virgem Maria, o sim”, disse Dom Tadeu ao que diz ter vivido “25 anos de diálogo entre Jesus e seu servo, entre o Sumo e Eterno sacerdote e seu ministro, entre a misericórdia de Deus e a gratidão do filho”.

Texto colaboração: Pe. Luis Modino



Por: Érico Pena

Assessoria de Comunicação da Arquidiocese de Manaus



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *