Arquidiocese de Manaus

Solidariedade – Artigo publicado no Jornal Em Tempo – 4.12.2021

“Ou seguimos em frente pelo caminho da solidariedade ou as coisas irão piorar. Quero repetir: de uma crise não se sai como antes. A pandemia é uma crise. De uma crise, sai-se melhor ou pior. Temos que escolher. E a solidariedade é precisamente o caminho para sair melhores da crise”. (Papa Francisco)

Temos quase a percepção de termo-nos livrado da pandemia, apesar de ser cedo para estarmos seguros. Pessoas de outros países vivem mais uma onda. Certamente, graças à vacinação de grande número de pessoas, nos encontramos numa situação favorável. Foi justamente na pandemia que despertamos ainda mais para a solidariedade.

Solidariedade: solidus+idade. Solidus se associa à raiz indoeuropeia sol que teria o sentido de inteiro, de totalidade. Idade indica força, energia, vigor. Solidariedade a força, o vigor, a energia do todo, da vida como um todo. A totalidade de uma vida que recebe força, vigor.

Solidário e solidariedade são palavras formadas a partir do adjetivo sólido. A palavra solidário traz à fala a solidez, o que é firme, consistente, confiável. Firme, confiável, consistente, pois serve de segurança, de apoio a quem necessita.

Solidariedade transforma as relações, constrói fraternidade, dignifica as vidas excluídas, garante justiça aos que são excluídos ou se excluíram da sociedade. A solidariedade, além de possibilitar novas relações e mais maduras, oferece novo horizonte, novo sentido ao viver.

Aos participantes de um dos encontros Encontro Mundial dos Movimentos Populares, o Papa Francisco afirmava: “A solidariedade, entendida em seu sentido mais profundo, é um modo de fazer história e isso é o que fazem os movimentos populares”.

Fazer história, pois a solidariedade busca superar as causas estruturais da pobreza, da desigualdade, da injustiça, da violência, da falta de trabalho, de direitos humanos, de educação, de saúde. Faz história, pois cuidado solidário com as pessoas deslocadas à força, com os migrantes. Mas também cuidado solidário com as pessoas que são traficadas, que estão envolvidas com as drogas, com a violência.

Solidariedade como expressão da riqueza maior da pessoa humana: o amor. Amor ou compaixão para com os necessitados, os injustiçados, os esquecidos. Solidariedade, pensamentos e ações, que leva em consideração da vida das pessoas, das comunidades. Palavras e gestos que constroem a fraternidade e transformam a sociedade. Pensamentos e ações que refazem a vida das pessoas e da sociedade na sua totalidade.

O tempo da pandemia despertou em nós a solidariedade. Ela nos fez melhores. Ela nos aproximou dos pobres, ela nos levou à partilha, ela abriu nossos olhos e nossos corações para as necessidades de tantos irmãos e irmãs.

E a solidariedade continua a nos movimentar e a nos atrair. Diante da fome que também chegou a nossa cidade, quantos gestos de bem-querer, de cuidado desinteressado: solidariedade. Recebemos muita solidariedade do Brasil e do exterior, de entidades da Igreja católica do Brasil e do exterior, de pessoas e entidades não ligadas às igrejas, de empresas e famílias. Nos tornamos mais irmãos e irmãs. A solidariedade pode dignificar a vida de tantas pessoas.

Na dor e no sofrimento, somos mais irmãs e irmãos: solidariedade! Solidariedade consola e conforta: aproxima! O amor constrói!

 

Leonardo Steiner

Arcebispo de Manaus



Por: Ana Paula Gioia Lourenço

Assessoria de Comunicação da Arquidiocese de Manaus



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *