Arquidiocese de Manaus

Arcebispo de Manaus recebe imposição do Pálio neste domingo

Na manhã deste domingo (31/10) acontecerá na Catedral Metropolitana de Manaus, às 7h30, a solenidade em que o Núncio Apostólico, Dom Giambattista Diquattro, fará a imposição do Pálio em nosso Arcebispo Dom Leonardo Ulrich Steiner. O pálio a ser recebido foi abençoado pelo Papa Francisco durante a celebração da Solenidade de São Pedro e São Paulo, no dia 28 de junho de 2020 e somente será entregue agora por conta da Pandemia.

A Catedral Metropolitana ainda está obedecendo as recomendações para evitar contágio pelo coronavírus, por isso irá transmitir o evento pelas redes sociais da Catedral Metropolitana , da Arquidiocese de Manaus, Rádio Rio Mar FM 103,5 e TV Encontro das Águas.

O que é Pálio? Pálio consiste em uma vestimenta litúrgica usada pelos arcebispos na Igreja Católica. Trata-se de uma faixa de pano de lã branca colocada sobre ombros dos arcebispos e representa a ovelha que o pastor carrega nos ombros, assim como fez Cristo com a ovelha perdida. Desta forma, podemos dizer que o palio é o símbolo da missão pastoral do bispo, e também um símbolo de obediência ao santo Papa, de comunhão à Santa Sé.

História – O pálio era originalmente uma única tira de pano enrolada nos ombros e caída no peito na altura do ombro esquerdo; nos primeiros séculos do cristianismo foi trazido por todos os bispos.
O primeiro caso conhecido de imposição do pálio a um bispo remonta a 513, quando o Papa Simmaco concedeu o pálio a São Cesário, bispo de Arles. A partir do século IX reduziu-se ao formato atual de “Y”, com as duas extremidades descendo abaixo do pescoço até o meio do peito e nas costas e se tornando a marca registrada dos arcebispos metropolitanos.

Confecção do pálio – Dois cordeiros cuja lã é destinada, no ano anterior, são criados pelos monges trapistas da Abadia de Tre Fontane, em Roma. E desde 1644, são abençoados pelo Abade Geral dos Cônegos Lateranenses em Basílica, na Via Nomentana Complexo Monumental de Santa Inês, fora dos muros, no dia em que se faz memória da Santa, em 21 de janeiro.
Depois são levados ao Papa no Palácio Apostólico. O pálio é tecido e costurado pelas freiras de clausura do convento romano de Santa Cecília em Trastevere. Os pálios são armazenados na Basílica de São Pedro, em Roma, aos pé do altar de confissão (altar central), muito próximo ao túmulo do Apóstolo Pedro.

Como é pálio – O pálio, em sua forma atual, é uma faixa estreita de tecido, com cerca de cinco centímetros de largura, tecida em lã branca, curvada no meio para poder repousar sobre os ombros acima da casula e com duas abas pretas penduradas na frente e atrás, a vestimenta lembra a letra “Y”.
É decorado com seis cruzes negras de seda (que lembram as feridas de Cristo), uma em cada cauda e quatro na curvatura, e é cortado na frente e atrás, com três alfinetes de gema aciculada em forma de alfinete. Essas duas últimas características parecem ser uma lembrança dos momentos em que o pálio era um simples lenço duplo dobrado e pregado com um alfinete no ombro esquerdo.

Fonte: https://www.vaticannews.va/pt/igreja/news/2018-06/entrega-do-palio.html



Por: Ana Paula Gioia Lourenço

Assessoria de Comunicação da Arquidiocese de Manaus



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *