Arquidiocese de Manaus

Fiéis festejam padroeira do Brasil com novenas, carreata e missa solene realizadas no Santuário de Nossa Senhora Aparecida

No dia 12 de outubro, dia da Padroeira do Brasil, Nossa Senhora Aparecida, centenas de fiéis foram ao Santuário dedicado à Santa para participar da programação de encerramento dos festejos que tiveram como tema “Com Maria, somos povo de Deus, unidos pela aliança”. Ainda como medida para evitar aglomerações, no lugar da tradicional procissão, foi realizada uma carreata onde dezenas de fiéis participaram com suas bicicletas, motos e carros.

Conforme o reitor do Santuário, padre Agildo Alves, a temática do novenário realizado de 3 a 11 de outubro, promovendo uma reflexão sobre a dinâmica de um povo unido com a mesma fé, tendo em vista propósitos comuns e a relação entre irmãos alicerçada na unidade com Deus. Segundo o reitor, a festa buscou promover uma experiência da devoção Mariana, onde muitos devotos levaram suas intenções e orações recorrendo à intercessão de Nossa Senhora, que é a mãe de Deus e mãe do povo.

O dia da festa da padroeira do Brasil, em Manaus, iniciou com uma carreata festiva com a imagem da Santa pelas ruas do bairro Aparecida e bênção dos veículos, às 5h30 da manhã, seguida de missa com as crianças, às 10h, e missa com os Devotos, ao meio-dia. No fim da tarde houve carreata festiva também com a imagem de Nossa Senhora Aparecida pelos bairros adjacentes: São Raimundo, Santo Antônio, Compensa e Matinha, tendo a programação encerrada com uma missa solene no Santuário Nossa Senhora Aparecida, com transmissão pelas redes sociais do Santuário.

Durante toda a programação foram observadas as medidas sanitárias usadas durante toda a pandemia, como a utilização de máscaras nas dependências da igreja, o distanciamento social e uso do álcool em gel durante toda a programação.

Carreatas

A carreata festiva com a imagem da Santa, em substituição a tradicional procissão, realizada no dia 12 de outubro, seguiu o seguinte trajeto pelas ruas do bairro Aparecida: ruas Alexandre Amorim (Saída da carreata do Santuário), Bandeira Branca, da Glória, Gustavo Sampaio, Xavier de Mendonça, Beco da Indústria, Wilkens de Matos, Alexandre Amorim, Dez de Julho, Ferreira Pena, avenida Leonardo Malcher, Beco da Dica, rua Benjamim Silva, retornando para a avenida Leonardo Malcher, Luiz Antony, rua Ramos Ferreira, Wilkens de Matos, Alexandre Amorim.

À tarde a carreata seguiu para os bairros adjacentes São Raimundo, Santo Antônio, Compensa e Matinha, passando pelas ruas: Alexandre Amorim (Saída da carreata do Santuário), Dez de Julho, Ferreira Pena, Ramos Ferreira, Wilkens de Matos, Ponte São Raimundo, Cinco de Setembro, Sagrado Coração de Jesus, Padre Agostinho Caballero Martin, avenida Brasil (direita), Souza Bandeira, Álvaro Maia, Walter Rayol (Orla da Matinha), Alameda Costa, Luiz Antony, rua Ramos Ferreira, Wilkens de Matos, retornando para o Santuário, onde foi celebrada a missa de encerramento dos festejos de Aparecida.

A carreata foi animada por Padre Amarildo Luciano e Irmão Bruno diretamente dos estúdios da Rádio Rio Mar FM, acompanhando toda a movimentação pelas imagens realizadas pela equipe da Pastoral da Comunicação do Santuário Nossa Senhora Aparecida, que também foram transmitidas pelas redes sociais, com mais de 17 mil visualizações, e nos telões para os fieis que ficaram no santuário aguardando o retorno da imagem. Foram dezenas de motos e carros sintonizados à Rádio Rio Mar, junto com os ouvintes que são devotos da padroeira do Brasil.

História de Aparecida*

A imagem foi encontrada em 1717 pelos pescadores Domingos Garcia, Filipe Pedroso e João Alves nas águas do rio Paraíba, próximo do Porto de Itaguaçu, na Vila de Guaratinguetá, em São Paulo. Os três estavam há dias sem pescar e com a missão de levar peixe para a festa de recepção do famoso Conde de Assumar, Dom Pedro de Almeida, governante da capitania da cidade de São Paulo e de Minas de Ouro na época, que estava de passagem pela cidade.
Esperançosos eles fizeram uma oração pedindo a ajuda da Mãe de Deus para que voltassem fartos de peixes para a festança. Quando estavam quase desistindo da pescaria, João Alves arremessou a rede novamente e fisgou uma parte do corpo da imagem escura de Nossa Senhora Aparecida. Emocionado, lançou a rede pela segunda vez conseguindo fisgar a cabeça da imagem. Em seguida veio o milagre. As redes enchiam-se de peixes, o que os deixou preocupados com o perigo do barco virar e perder todos os peixes apanhados.

No dia 12 de outubro é comemorado nacionalmente o dia de Nossa Senhora Aparecida. Data estipulada desde o ano de 1980, com a consagração da Basílica pelo Papa João Paulo II. A Basílica aloja até 45 mil fieis e é o quarto maior santuário mais visitado em todo o mundo. Atualmente, a imagem é protegida por um nicho no Santuário Nacional de Aparecida, que atrai mais de 10 milhões de devotos por ano.

*Com informações disponíveis no site: www.a12.com/

 




Por: Ana Paula Gioia Lourenço

Assessoria de Comunicação da Arquidiocese de Manaus



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *