Arquidiocese de Manaus

Lançamento do Cadernos de Conflitos 2020 aponta os desafios das comunidades ribeirinhas na Amazônia

Na manhã desta segunda-feira (20/09) às 9h, a Comissão Pastoral da Terra (CPT) Regional Amazonas lançou a Cartilha de Conflitos 2020 no auditório do Seminário São José, localizado na R. Maromba, 116 – Chapada, Manaus – AM.

O evento contou com a composição de mesa de Dom Ionilton Lisboa, bispo da prelazia de Itacoatiara e presidente da CPT Nacional, Dom Edson Damian, bispo da Diocese de São Gabriel da Cachoeira e presidente do Regional Norte 1, de Dom Leonardo Steiner, Arcebispo Metropolitano de Manaus, Padre Geraldo, coordenador de pastoral da Arquidiocese de Manaus e do Deputado Federal José Ricardo Wendling.

Todos os anos a CPT lança o caderno de conflitos no campo com o objetivo apresentar a realidade dos conflitos no campo a nível nacional e, especificamente, do estado do Amazonas. Situação essa que não só a sociedade, deve tomar conhecimento, assim como as autoridades do Estado Brasileiro, preventivamente, devem evitá-la e, consequentemente, punir os culpados.

Dom Ionilton fez memória daqueles que durante suas vidas doaram-na pela defesa da vida dos mais empobrecidos, violências estas que muitas vezes não são denunciadas na imprensa e que a boa parte da sociedade não tem conhecimento da realidade vivida por estas famílias.

Para Dom Leonardo o caderno de conflitos é a maneira de guardar a memória do conflito, das mortes, mas também trazer de novo a verdade do que acontece no campo. “O que acontece por trás das mortes e dos conflitos, sempre são os interesses que não são justos, sempre são interesses econômicos e que lançam as pessoas em situações cada mais difíceis”, disse o arcebispo. Em sua afirmação Dom Leonardo nos chamou para caminhar com esperança e coragem, sem nos desanimar demais que apesar dos conflitos tenha crescido muito, não podemos desanimar e perder a esperança.

Dom Edson Damian faz a memória de que tanto a CPT como o CIMI nasceram no período da ditadura que nasceram para defender os mais pobres, os povos indígenas, e os camponeses, e apoio o trabalho realizado pela CPT.

Padre Geraldo falou a impunidade existente no Brasil, na questão da terra e nas políticas de morte no país, deu destaque no lançamento do caderno de conflitos sendo realizado no seminário São José, em um local onde se forma os novos presbíteros e que tenham a sensibilidade para perceber as dores da Amazônia e de seus povos.

Para o deputado federal José Ricardo Wendling é muito o Caderno de Conflitos é muito importante como fonte de pesquisa e inclusive para muitos parlamentares na Câmara dos Deputados em Brasília. “É importante as políticas públicas para garantir direitos em todos os campos e que no Congresso Nacional muitos projetos tramitam com grande rapidez por visarem as perdas de direito dos povos tradicionais e dos indígenas.

O prof Zezinho Iborra da Articulação da CPT na Amazônia fez a apresentação do caderno de conflitos e destacou que as comunidades tradicionais são as mais atingidas por esses projetos de destruição. Para o Willas Dias a maioria dos conflitos são causados pelo Governo Federal, fazendeiros e grileiros e que trazem muitas questões antropológicas e que importante que o mundo olhe para a Amazônia com o intuito resolver estes conflitos.

Foram apresentados testemunhos de realidades de ameaças existentes nas comunidades Rio Abacaxis, Parintins, Lábrea, na Arquidiocese de Manaus nas Ocupações Bons Amigos/Rio Preto da Eva/ AM e Ocupação da Comunidade Vera Castelo Branco no Cacau Pireira – Iranduba/AM e Itacoatiara

Texto e fotos colaboração: Patrícia Cabral


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *