Arquidiocese de Manaus

Amicom celebra 12 anos do martírio de Padre Rogério e 1 mês do seminarista Thiago Paiva

“É muito bom quando a comunidade se reuni, Cristo está no meio da comunidade, confirma a nossa fé”, foi assim que Padre Zenildo iniciou sua homilia na Missa de 12 anos de martírio de Padre Rogério Ruvoletto e de 1 mês do seminarista Thiago Paiva, neste domingo 19 de setembro as 17h na Comunidade de Santo Antônio, situado na rua Luiz Otávio número 7, bairro Santa Etelvina, pertencente à Área Missionária Imaculado Coração de Maria, (Amicom).

A missa foi presidida por Dom Edson Damian, bispo da Diocese de São Gabriel e presidente da CNBB Regional Norte1, concelebrada por Padre Zenildo Lima, reitor do Seminário São José e Padre Alejandro Gollaz Mares, pároco da  Amicom, presente também o seminarista Adriano Cordeiro que recebeu o ministério de leitor neste sábado (18/09). Durante a homilia feita por Padre Zenildo falou da alegria da missão, da vida em comunidade, da partilha, e partindo da dor da perda do seminarista Thiago dizia que a morte não é uma vocação interrompida, a morte é uma vocação levada até as últimas consequências, este é o ápice de uma vocação, é momento mais alto de uma vocação. “A gente consumir toda a vida, a gente oferecer toda a vida, por causa de pessoas e por causa do reino de Deus. Assim a gente faz memória dessas vidas do Thiago e de padre Rogério”, disse padre Zenildo. Lembrou a 12 anos atrás quando esteve na casa paroquial, no IML e depois na celebração de corpo, no momento que Dom Sebastião levanta o corpo de Cristo e os padres levantavam o caixão com o corpo do padre Rogério. Participaram também da celebração os pais e irmã do seminarista Adriano e o pai e irmão do seminarista Thiago.

Padre Zenildo falou do senso comum da comunidade que com a morte da jovem Etelvina assassinada no bairro que leva seu nome, assim como o senso comum faz reconhecer o martírio de padre Rogério. “A gente reconhece uma vida vocacional, a gente reconhece uma vida oferecida, a gente reconhece uma vida que se consumiu, que se ofereceu até as últimas consequências.  Também tantas vidas perdidas durante a pandemia, “por que tanta gente morreu quando a gente podia ter providenciado o oxigênio, por que pessoas morreram por falta de balão de oxigênio, por que tanta gente morreu quando a gente atrasava a compra de vacina, por que foi desprezado, expurgado pelo povo. O livro da sabedoria disse, assim é por que os ímpios se incomodam com a presença dos justos, ‘armemos ciladas para o justo por que sua presença nos incomoda, lhes se opõem ao nosso modo de agir’, e é assim que a gente se comporta como comunidade eclesial por que nós somos socorro para os pequenos, que nós somos socorro para os injustiçados. Olho para vocês como herdeiros dessa vivência do padre Rogério, vocês são herdeiros dessa sensibilidade, vocês são herdeiros desta disponibilidade e vocês são herdeiros desse comprometimento que existia na vida de padre Rogério, vocês são herdeiros dessa experiência de fé”, disse o padre.

No final da celebração foi realizado uma homenagem ao Pe. Rogério e ao seminarista Thiago, por meio de vídeos mostrando momentos especiais da presença destes missionários na Área Missionária

Texto e fotos: Patrícia Cabral


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *