Arquidiocese de Manaus

Arquidiocese de Manaus realiza coletiva de imprensa sobre Grito dos Excluídos e Excluídas 2021

O Grito dos Excluídos e Excluídas surgiu em 1994, a partir do processo da 2ª Semana Social Brasileira, da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos Do Brasil), cujo tema foi “Brasil: alternativas e protagonistas”, que se inspirou no lema da Campanha da Fraternidade de 1995: “A Fraternidade e os Excluídos.”. Esse ano, as Pastorais Sociais da Arquidiocese de Manaus e junto com a Caritas Arquidiocesana de Manaus, realizarão a 27ª edição do Grito dos Excluídos e das Excluídas em Manaus/AM. Tendo como lema: “Na luta por participação popular, saúde, comida, moradia, trabalho e renda, já!”. Já o tema é fixo desde a primeira edição: “VIDA EM PRIMEIRO LUGAR”.
E, para melhor explicar toda a programação e objetivos do evento, foi realizado na manhã desta quinta-feira (2/09), uma coletiva de imprensa para falar a respeito do Grito dos Excluídos e Excluídas 2021, com a presença do arcebispo metropolitano de Manaus, Dom Leonardo Steiner, também compuseram a mesa o vice-presidente da Caritas Arquidiocesana, Pe. Alcimar Araújo; Marcivânia Rodrigues, da Pastoral Indigenista e Rayane Gárcia, Vice-Presidente Regional da União Nacional dos Estudantes (UNE), além também de contar com a presença de alguns líderes e coordenadores de pastorais que estiveram presentes. O ato central do Grito 2021 será no Largo do Mestre Chico, com a concentração a partir das 15h tendo como início das ações a partir das 16h.

Programação

No dia 5 de setembro, Dia da Amazônia, será realizada às 17h no Porto de São Raimundo, uma Celebração Campal, presidida por Dom Leonardo Steiner, denominada Missa Amazônica rezando pela nossa Casa Comum que também é um eixo do Grito 2021. “Nossa ideia inicial era fazer numa balsa no encontro das águas, um cartão postal da nossa região que tem tudo a ver com a data que, pela primeira estaremos realizando essa missa dentro da programação do Grito e queremos dar uma ênfase para despertar nos amazônidas a necessidade de resistir a um desenvolvimento predatório. Será uma missa restrita para uma faixa de 150 pessoas, representadas pela liderança e coordenação das pastorais e movimentos da arquidiocese, além do clero e alguns religiosos também”, explicou Pe. Alcimar
No dia 7 de Setembro, também acontecerá pela primeira vez a Bicicleata, com concentração às 15h30, saindo do Terminal 1, na Constantino Nery e indo até a Catedral Metropolitana, onde de lá conduzirão a imagem de São José até o Largo do Mestre Chico, onde acontece o Ato Central do Grito dos Excluídos com previsão de término por volta das 18h. “Nós desejamos nos manifestar publicamente perante a sociedade, para mostrarmos as nossas necessidades e assim termos mais igualdade e justiça, pois temos percebido situações gritantes com relação ao desemprego, ao meio ambiente, aos indígenas e etc. Vamos celebrar e dar o nosso GRITO, para buscar um novo modo de fazer política e de reivindicar nossos direitos e melhorias para que a sociedade possa perceber que nós juntos podemos dar novos rumos ao Brasil”, comentou Dom Leonardo.



Por: Érico Pena

Assessoria de Comunicação da Arquidiocese de Manaus



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *