Arquidiocese de Manaus

Verdade e Notícia! – Artigo Dom Leonardo Steiner – Jornal Em Tempo – 07 e 08.08.2021

Verdade na notícia para escapar de notícias falsas! Chesterton, em um de seus textos diz que a “inovação moderna que substitui a história pelo jornalismo, ou por aquela tradição que podemos chamar de “fofoca” da história, teve ao menos um efeito claro: garantiu que todas as pessoas ouçam apenas o fim das histórias” (São Francisco de Assis). A compreensão que temos de jornalismo leva em consideração da história e ajuda a fazer história. A decisiva participação dos meios de comunicação na construção da sociedade que esteja alicerçada na justiça, na fraternidade, equidade liberdade e verdade é, hoje, fundamental. A morte de um adolescente que caminha ao encontro da morte, alerta para a importância dos meios de comunicação nas suas mais diversas expressões na receptividade da vida e da morte.

A notícia deve primar pela verdade! Papa Francisco na Mensagem para  Dia Mundial das Comunicações animava na busca da verdade na notícia: “Há já algum tempo que vozes atentas se queixam do risco dum nivelamento em ‘jornais fotocópia’ ou em noticiários de televisão, rádio e websites que são substancialmente iguais, onde os gêneros da entrevista e da reportagem perdem espaço e qualidade em troca duma informação pré-fabricada, ‘de palácio’, autorreferencial, que cada vez menos consegue intercetar a verdade das coisas e a vida concreta das pessoas, e já não é capaz de individuar os fenômenos sociais mais graves nem as energias positivas que se libertam da base da sociedade.

A crise editorial corre o risco de levar a uma informação construída nas redações, diante do computador, nos terminais das agências, nas redes sociais, sem nunca sair à rua, sem ‘gastar a sola dos sapatos’, sem encontrar pessoas para procurar histórias ou verificar com os próprios olhos determinadas situações. Mas, se não nos abrimos ao encontro, permanecemos espectadores externos, apesar das inovações tecnológicas com a capacidade que têm de nos apresentar uma realidade engrandecida onde nos parece estar imersos. Todo o instrumento só é útil e válido, se nos impele a ir e ver coisas que de contrário não chegaríamos a saber, se coloca em rede conhecimentos que de contrário não circulariam, se consente encontro que de contrário não teriam lugar.” (55º Dia Mundial as Comunicações).

É faltar com a verdade publicar notícias que não condizem com o acontecer, com uma informação recebida, sem checar o ocorrido, sem gastar a sola do sapato. A verdade está a exigir verificação, constatação, de todas as pessoas envolvidas. É faltar com a verdade e a ética publicar notícias que deixam de lado todos os aspectos do acontecer. É faltar com a verdade e a ética noticiar nome que não corresponde.

Uma notícia veiculada no descuido com a verdade pode levar a um distanciamento de respeito e de diálogo existente. Relações que foram construídas de modo persistente podem cair no descrédito por veiculação de uma notícia que não preze pela verdade do acontecido.

Uma pessoa que constrói uma notícia baseada em meia verdade não merece crédito, pois faltou com a verdade, base da ética na comunicação. O melhor é sempre animar, mesmo na contradição, a fraternidade oferecendo notícias que nascem da verificação do acontecer. Isso para desviar do caminho da “fofoca” na expressão de Chesterton, e trilhar o gastar a “sola do sapato” na busca do existir do humano.

Dom Leonardo Steiner

Arcebispo de Manaus


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *