Arquidiocese de Manaus

Eleição dos bilhões! – Artigo Dom Leonardo Steiner – Jornal Em Tempo – 24 e 25.07.2021

A pandemia tem oferecido ensinamentos. Despertamos para o cuidado e a solidariedade. Uma verdadeira rede de pessoas individuais, famílias, comunidades, indústrias, comércio e serviço oferecendo cestas básicas, material de higiene. A Arquidiocese foi e é testemunha do cuidado e da solidariedade. Admirável como nos tornamos mais humanos e segundo o Evangelho visibilizamos os sinais de nossa divindade na misericórdia.

O abrandamento da infecção, os internamentos a decrescer, a sensível diminuição dos óbitos por Covid: alívio e quase consolo! Certamente fruto da imunização que avança no nosso meio. O cuidado e a prevenção continuam necessários. Nesse sentido insistir para que todas as pessoas recebam a vacina e não se deixem iludir por notícias falsas. Não temos dados que comprovem que uma pessoa tenha “virado jacaré” ou deixado de ser humana.

Estamos a apreender os ensinamentos do pós-covid. Não só as sequelas corporais e psíquicas de quem foi infectado, mas especialmente o aumento do desemprego, o trabalho informal, a fome. A solidariedade e a misericórdia são sempre o melhor remédio, mas há necessidade do executivo, do legislativo e do judiciário oferecerem oportunidades para diminuir o desemprego e a fome.

É assustador que no tempo de pandemia o Congresso Nacional, diante das mais de 540 mil mortes, diante das necessidades de vacina, de alimento, aprove um Fundo Eleitoral de R$ 5.7 bilhões para as eleições de 2022. Em 2018, o Fundo Eleitoral foi R$ 1,7 bilhão; em 2020, sem descontar a inflação, foi R$ 2 bilhões. Existe alguma razão ético e moral para esse aumento?

Os deputados e deputadas, senadores e senadoras que aprovaram esse Fundo de quase 6 bilhões, perderam o sentido de pertença à sociedade e o sentido do exercício da democracia. É um recurso público que os beneficia, apesar de disporem de elevada de verba de gabinete, e aos partidos. Ainda soam os gastos com “os/as laranjas” nas últimas eleições. O dinheiro público gasto com laranjas por partidos, até hoje não recebeu o devido esclarecimento.

Aprovação desse Fundo exorbitante é uma afronta ao que foi destinado à saúde, à educação, à segurança. Quando afirmamos saúde, educação estamos visibilizando milhões de brasileiras e brasileiros.

O Fundo de quase 6 bilhões vem comprovar a necessidade de mudança na legislação eleitoral com um discussão e debate com a sociedade como foi a elaboração da Constituinte de 1988. Indica a necessidade de educar para a Política como cuidado da cidade (polis), da sociedade. Mostra que sem um movimento da sociedade que exige justiça e proponha como ética as ações da política, continuaremos com os mesmos políticos e as mesmas ações apolíticas. Esses bilhões são uma afronta aos pobres.

Por: Leonardo Ulrich Steiner

Arcebispo de Manaus


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *