Arquidiocese de Manaus

Pe. Adelson Santos divulga seu segundo livro em entrevista à Rádio Rio Mar

“Amazônia, um lugar teológico: Comentário Teológico Espiritual do documento final do Sínodo e da Exortação Apostólica Querida Amazônia”. Este é o título do segundo livro de Padre Adelson Araújo dos Santos (Jesuíta), lançado em 2020 como resultado de um estudo do fim do Sínodo da Amazônia, onde foi escolhido pelo próprio Papa Francisco para atuar exercendo a função de perito, uma vez que é de Manaus e morar em Roma, trabalhando como o único brasileiro que leciona na Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma. De férias em Manaus para visitar a família, padre Adelson aceitou o convite da Rádio Rio Mar para fazer pessoalmente a divulgação da sua obra em uma entrevista ao vivo na manhã desta terça-feira (06/07).

Seu primeiro livro, intitulado “O Exame de si mesmo”, foi lançado em novembro de 2017, finalizando a Jornada de Espiritualidade realizada na Maromba e organizada pelo Serviço Inaciano de Espiritualidade (Sies), onde com muito carisma e bom humor, tratou a todos com carinho, atenção e sorriso no rosto. Em sua visita à Rádio Rio Mar também não foi diferente, sempre muito atencioso e solicito com todos que vinham lhe cumprimentar e que se mostravam surpresos com a sua visita à terra natal, como por exemplo seu amigo sacerdote Pe. Charles Cunha e demais conhecidos da Fundação Rio Mar, como a amiga Francilma Grana. Muito gentilmente, Pe. Adelson aceitou o convite para escrever as notícias do Vaticano para a revista mensal da Arquidiocese de Manaus, sendo o correspondente da Arquidiocese de Manaus em Roma.

Durante a entrevista no Programa Manhã Rio Mar com Valdecy Vasconcelos, Pe. Adelson falou com mais detalhes sobre o seu livro, mas também comentou sobre a sua experiência de participar no Sínodo, sobre o poder de liderança e da importância das mulheres atuando dentro da igreja e até sobre a vacinação como forma de prevenção e combate ao Covid-19. Sobre seu livro, Pe. Adelson explicou que o título provém de uma frase do próprio documento escrito pelo Papa após o Sínodo. “É costume na igreja que, depois da realização de um Sínodo, o Papa reflita e escreva uma carta que nós chamamos de Exortação, que foi chamada pelo Papa Francisco de “Querida Amazônica”, que é um lugar onde Deus se manifesta e que possamos fazer um estudo sobre a presença de Deus aqui na Amazônia”, comentou.

Ainda sobre seu livro, Pe. Adelson também explicou um pouco sobre os quatro sonhos sinodais que foram compartilhados pelo Papa Francisco conosco. “São quatro grandes desejos que o Papa espera que se torne realidade na nossa igreja e sobre tudo na nossa região, como: Sonho Social – valorização da natureza e populações locais com uma sociedade mais justa para todos; Sonho Cultural – saber acolher e respeitar às diversidades, às diferentes culturas devem ser valorizadas pois vivemos numa Casa Comum onde tudo está ligado; Sonho Ecológico – valorizar as criaturas de Deus, a flora e a fauna devem sempre ser respeitados; Sonho Eclesial – o Papa nos convida a ser uma igreja samaritana e sinodal, ou seja, que caminha junto e todos tem uma vocação, um dom, um carisma onde todos são importantes e ninguém fica de fora”, explicou.

O livro “Amazônia, um lugar teológico” poderá ser encontrado no site da editora Loyola ou diretamente nas livrarias católicas presente em nossa cidade, uma ótima pedida de fonte de informação e conhecimento sobre um dos assuntos mais importantes da nossa igreja católica e que esta diretamente ligada à nossa realidade regional. “Agradeço a Deus por estar de volta a esta cidade onde eu nasci e amo tanto. Tenho rezado muito para que possamos superar as dificuldades que foram encontradas e também pelo bom pastoreio do nosso Arcebispo Dom Leonardo Steiner. Desejo a todos a benção e a graça de Deus e que a Rádio Rio mar continue sendo a grande porta voz da mensagem de esperança ao nosso povo”, disse Pe. Adelson ao finalizar a entrevista.

Breve histórico

Padre Adelson é natural de Manaus, filho do meio de três irmãos (um médico e outro jornalista). Foi ordenado em 27/12/1997, por Dom Luiz Soares Vieira, hoje Arcebispo Emérito da Arquidiocese de Manaus, mas sua vocação sacerdotal começou aos 12 anos, após o batismo no Espírito Santo, mas só foi para o Seminário da Companhia de Jesus da Ordem dos Jesuítas depois dos 20 anos, após se formar em direito, realizando assim o sonho do seu pai. Seu noviciado foi feito na Bahia durante quatro anos e o juniorado em João Pessoa, na Paraíba. Atuou como Superior dos Jesuítas da Região Norte e também morou em Belo Horizonte, trabalhando como formador dos Jesuítas no Brasil.

Em janeiro de 2018, aceitou o desafio e mudou-se para Roma, onde atua até hoje como  professor de Teologia Espiritual e membro do corpo de professores da Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma, uma Universidade Internacional fundada por Santo Inácio de Loyola em 1555, concentrando estudantes de mais de 100 países, tendo como alunos seminaristas, religiosas, padres e demais lideranças da Igreja, por onde já passaram centenas de bispos e cardeais que estudaram na Instituição. “Como brasileiro para mim é um privilégio e também uma responsabilidade, pois sou o único jesuíta brasileiro a lecionar na Universidade Gregoriana, e o Brasil é o terceiro país em número de alunos enviados e eu estando lá como brasileiro, é mais um apoio aos nossos alunos do Brasil que chegam para estudar lá”, disse Pe. Adelson.



Por: Érico Pena

Assessoria de Comunicação da Arquidiocese de Manaus



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *