Arquidiocese de Manaus

Pe. Kleython Cabral assume como pároco de Santa Teresinha do Menino Jesus

A Paróquia Santa Teresinha, localizada na rua 09 n° 155-B, bairro Alvorada 2, acolheu na noite deste sábado  (26/06), o seu novo pároco, Pe. Kleython Cabral de Moura, que tomou oficialmente posse na celebração presidida pelo Arcebispo Metropolitano de Manaus, Dom Leonardo Steiner, concelebrada por Monsenhor Sabino Andrade e também pelos sacerdotes, Pe. Cândido Cocaveli, da Área Missionária N. Sra. Aparecida, em Cacau Pirêra; Pe. Marco Antônio, da paróquia N. Sra. Aparecida, do município de Presidente Figueiredo e Pe. Leo Jayaraj, da paróquia Santo Afonso, auxiliados pelo diácono Luís Paula da Silva, que também assumiu como diácono responsável da paróquia.

Oficialmente Pe. Kleython está assumindo agora, mas já estava a frente da paróquia como pároco desde janeiro deste ano, antes disso exerceu a função de vigário paroquial quando chegou em Santa Teresinha, em 23 de outubro de 2018, para junto com Pe. Cairo Gama, então pároco empossado pelo falecido arcebispo emérito Dom Sergio Castriani, assumirem a paróquia, trazendo um jeito novo e jovial de evangelizar, não demorou muito para a comunidade sentir a diferença no modo de agir dos jovens padres, que em pouco tempo conseguiram não só resgatar os paroquianos que estavam afastados, mas também fazerem inovações no jeito de ser igreja que agradou a todos.

Com o falecimento de Pe. Cairo, em maio de 2020, sendo o primeiro padre da Arquidiocese de Manaus a falecer vítima do Covid-19, Pe. Kleython assumiu a responsabilidade, porém não foi apenas o querido Pe. Cairo mas sim outros comunitários que foram vencidos na batalha contra esse vírus mortal. Foram momentos difíceis, de luto, tristezas e mudanças na rotina do dia-a-dia da comunidade de modo a evitar mais perdas de vidas. Pe. Kleython, apesar de muito abalado com a morte de seu amigo pessoal, seguiu em frente como administrador paroquial, sendo aquele pastor incansável que, mesmo no momento de dor e desespero, estava lá com uma palavra amiga, mesmo que as vezes precisasse ser mais enérgico com os comunitários, tudo era feito e dito para o bem de todos.

Tal atitude de preocupação e cuidado com o seu rebanho, foi muito bem lembrada em um dos trechos da homilia de Dom Leonardo, quando o arcebispo salientou o papel do pároco afirmando que “é a comunidade que faz o padre”, no sentido de apoiar, ouvir e cuidar, do mesmo modo que o pároco tem essa missão, de estar a frente do rebanho, em todos os momentos, principalmente naqueles quando mais precisam, é ele o servo de Deus, o missionário da Boa Nova, que vem para acalentar as almas que movidas pela dor e tristeza, precisam de alguém para lhes guiar, assim também como nos bons momentos é aquela pessoa que estar prestes a incentivar e animar nos projetos que surgem para evangelizar a comunidade de modo geral.

E Pe. Kleython já demonstrou ser essa pessoa, pai, amigo, irmão e por isso disse sim a esse novo desafio, de assumir uma paróquia que o acolhe agora, como seu pastor oficialmente empossado, mas que já o ama como amigo e pároco há muito tempo e que, certamente com o diácono Luis, “fruto da casa”, nascido e criado no bairro do alvorada, conhecido por seu enorme carisma e simpatia, tem tudo para conduzirem da melhor forma possível a paróquia de Santa Teresinha. Ao final da celebração, a comunidade mostrou um pouco do seu carinho, presenteando o pároco com algumas vestes sacerdotais, emocionado Pe. Kleython agradeceu a todos pelo carinho e pela presença. “Eu e o diácono Luís temos a incumbência te fazer a palavra de Deus se cumprir em sua plenitude, para o bem do seu povo e para que a unidade da igreja seja visibilizada também nesta paróquia”, concluiu Pe. Kleyton. 

 



Por: Érico Pena

Assessoria de Comunicação da Arquidiocese de Manaus



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *