Arquidiocese de Manaus

Devotos de São José participam de solenidade em honra ao patrono dos trabalhadores

2021 foi declarado pelo Papa Francisco o Ano de São José, por meio da Carta Apostólica Patris Corde. Em virtude disso, este ano os festejos em honra ao padroeiro dos trabalhadores como o tema “São José, pai trabalhador”, teve uma programação toda especial que se iniciou no dia 28 de abril com o tríduo até o dia 30 e encerrou-se, neste sábado dia 1° de maio, com a missa solene presidida às 18h pelo bispo auxiliar da Arquidiocese de Manaus, Dom José Albuquerque, no Santuário São José. A celebração, ao contrário do ano passado, contou com a presença dos devotos, mas com um número reduzido e seguindo as normas de segurança contra o Coronavírus. A celebração também foi transmitida pelas mídias sociais do Santuário, pela TV Encontro das Águas, canal 2.1 ou 513 NET, e Rádio Rio Mar, 103,5 FM.

Frei Paulo Xavier, pároco da igreja de São Sebastião foi o primeiro padre convidado a participar do tríduo na noite do dia 28, abordando a espiritualidade e o testemunho deste homem santo que tanto tem a nos ensinar com foco na temática: A obediência de São José o leva a ser pai no acolhimento. Na segunda noite do tríduo, quem presidiu a celebração foi pároco-reitor do Santuário de Fátima que abordou o José com coração de pai, que soube ser pai na “sombra”, sem atrair para si todas as atenções, mas servindo escondido, no silêncio fecundo do cotidiano.

Na ultima noite do tríduo, Pe. Ermelindo Vasques, vigário paroquial do Santuário São José Operário, presidiu a celebração, tendo as comunidades, Nossa Senhora Rainha da Paz, Santa Edwirges, Sagrada Família e São Judas Tadeus participando deste momento de fé. Após a celebração houve o translado da imagem de São José para a Área Missionária Sagrada Família, onde foi recebida pelo pároco, Pe. Charles Cunha.

O dia 1º dia de São José Operário, padroeiro dos trabalhadores, começou as 8h com a missa presidida pelo Pe. Charles Cunha na Área Missionária Sagrada Família, após a celebração ouve a Carreata de São José fazendo o translado da imagem de volta ao Santuário, finalizando com a benção dos carros. As 12h aconteceu a celebração, com a bênção da carteira de trabalho e intercessão pelos desempregados com o pároco Pe. Daniel Cunha. Às 15h houve mais uma celebração com o Pe. Josué Nascimento e às 18h a missa solene com Dom José, Pe. Daniel, Pe. Washington Luis e Pe. Franciclei Borges.

Durante a homilia, Dom José salientou a importância de São José, ao ponto dele ser lembrando pelo menos três vezes durante o ano, 19 de março: São José Esposo de Maria; 1º de Maio, São José Operário, padroeiro dos trabalhadores e no dia da Sagrada Família. Depois falou da importância de José como pai de Jesus, aquele que o criou e o ensinou o oficio de carpinteiro, de onde tirava o sustento da sua família com este trabalho. O bispo também lembrou que neste dia do trabalho, muitos estão desempregados ou vivem de subemprego.

“Deus criou o mundo com o trabalho de suas mãos e deu a autoridade ao ser humano a responsabilidade de cuidar da criação e é impressionante como em todas as partes do mundo tem crescido a pobreza, a miséria de milhares enquanto uma parcela esta cada vez mais rica. Vamos nos unir em oração, para todos aqueles que rezam para São José, para que essa realidade da falta do trabalho possa ser melhorada em nosso país e cuide de todos aqueles que se dedicaram incansavelmente a diversos serviços que nem sempre são reconhecidos na sociedade, principalmente nesse período de pandemia”, clamou o bispo auxiliar.

A emoção dos devotos

Para o senhor Arthur Adriano que estava presente na celebração com sua esposa e dois filhos, a celebração foi a oportunidade de agradecer a Deus e São José pelo dom da vida e o pão de cada dia. “Nós somos devotos de São José desde jovens e sempre bom agradecer pelo dom do trabalho, pelos nossos projetos realizados, pela nossa saúde e assim permanecer unidos em família vivendo Cristo todos os dias”, disse o fiel pertencente à Comunidade Santo Antônio da paróquia de N. sra. Nazaré, localizado na Vila Amazonas – Adrianópolis. 



Por: Érico Pena

Assessoria de Comunicação da Arquidiocese de Manaus



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *