Arquidiocese de Manaus

Início da peregrinação da imagem de São José: “A Igreja quer chegar ao coração de todos os católicos”

Dentro das atividades do Ano de São José, a Arquidiocese de Manaus tem organizado a peregrinação da imagem de São José em todas as paróquias e áreas missionárias. Cada uma das Regiões Episcopais em que está dividida a Arquidiocese, Nossa Senhora dos Remédios, Nossa Senhora Aparecida e Nossa Senhora dos Navegantes, estão dando início às atividades.

Coincidindo com a festa de São José Operário, neste 1º de maio, a Catedral Nossa Senhora da Conceição acolhia a celebração da Região Episcopal Nossa Senhora dos Remédios, que contou com a participação do clero, a vida religiosa e os leigos e leigas das paróquias e áreas missionárias.

Monsenhor José Carlos Sabino de Andrade destacava a importância deste momento, lembrando que o Ano de São José é uma iniciativa do Papa Francisco, o que tem sido aderido pela Arquidiocese de Manaus e pela Região Episcopal Nossa Senhora dos Remédios. Monsenhor Sabino afirmava que “evidentemente, São José é um dos santos mais populares que existem para o povo brasileiro”, algo que está muito presente na devoção do povo, dado que “São José era um homem extraordinário”, segundo o Vigário Episcopal.

Na sua homilia, Monsenhor Sabino destacava a figura de São José como “um modelo, um referencial” no mundo do trabalho, que ele definia como aquilo que “edifica, enobrece e dá ao ser humano mais dignidade”. O trabalho é algo que nos refere a Deus, “que criou todas as coisas com muito amor e ternura”, algo que fez parte da vida de Jesus, “que acompanhou seu pai na carpintaria e noutros trabalhos que lhe encomendavam”.

Refletindo sobre o trabalho, o Vigário Episcopal disse não poder se imaginar “ninguém sem se empenhar em usar os dons e talentos, dados por Deus, para construir, edificar e fazer com que o mundo seja melhor”, insistindo em que “todo trabalho feito com dignidade é abençoado por Deus”, e caminho de santificação.

Dentro das realidades muitos duras enfrentadas no mundo do trabalho, Monsenhor Sabino destacava o desemprego, uma situação cada vez mais presente no Brasil, que tem aumentado neste tempo de pandemia, fazendo com que o desemprego atinja mais de 14% da população ativa do país, situação que ele definia como uma tragedia, que provoca fome, fazendo um chamado à responsabilidade pessoal, buscando resolver essa situação.

Conhecer a figura de São José se torna uma necessidade segundo o Vigário Episcopal, vendo a peregrinação da sua imagem como um modo em que “a Igreja quer chegar ao coração de todos os católicos”. Na Carta Patris corde, o Papa Francisco “lembra de tantos pais que não conseguem oferecer o básico aos seus familiares”, e também de “tantos pais ausentes que não conseguem acompanhar a vida dos filhos”, lembrava Monsenhor Sabino, que convidava a ler a carta do Papa para o Ano de São José.

A celebração, como recordava o Vigário Episcopal, inicia uma peregrinação que vai se prolongar até 13 de março de 2022. A imagem vai visitar todas as paróquias, áreas missionárias e comunidades, sendo acompanhada por um livrinho que recolhe o Angelus em honra de São José, o Tríduo em honra de São José e trechos da Carta Patris corde, assim como o calendário com as datas do percurso da imagem. Estamos diante de uma oportunidade, segundo Monsenhor Sabino, para que “aprendamos também nós, neste Ano Josefino, a recorrer, ainda com mais fervor, a São José e peçamos a ele que alcance de Deus a graça de imitarmos as suas virtudes”.

Texto e fotos: Pe. Luís Modino


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *