Arquidiocese de Manaus

Paróquia São Jorge abre as portas para comunitários festejarem o Santo Guerreiro

Com fitas vermelhas e brancas no alto da entrada da igreja, cores do padroeiro, a Paróquia São Jorge recebeu de portas abertas e imensa alegria, os fiéis para o festejo do Santo Guerreiro nesta sexta-feira, 23/4. Após um ano com as dependências do terreno fechadas para quaisquer eventos por causa da pandemia, realidade que acompanhou toda as paróquias de Manaus e Arquidiocese, devotos, membros de pastorais e comunitários fizeram mais uma vez o registro da participação desta comunhão na casa do Senhor.

Seguindo os protocolos de segurança, todos foram recepcionados com o uso de álcool em gel nas mãos. Dentro do templo foram obedecidos os distanciamentos nos bancos e a assembleia também colaborou com o uso das máscaras. O tema deste ano de 2021 foi: São Jorge é missão e lema: Não podemos deixar de falar sobre o que vimos e ouvimos, tirado do livro Atos dos Apóstolos, capítulo 4, versículo 20.

A programação do dia do padroeiro teve início às 6h, com a primeira celebração do dia. Às 17h30 foi realizado um momento de oração, com louvores e preces. O momento foi de grande emoção e antecedeu a carreata da imagem de São Jorge, que percorreu algumas das principais ruas do bairro. Sem a presença de público no translado, todo o percurso foi transmitido dentro e fora da igreja pelos telões. A imagem foi carregada, novamente, para dentro da igreja pelos Guerreiros de São Jorge.

Solenidade de São Jorge – A carreata e a celebração da Solenidade de São Jorge, além de presencial, também foi transmitida pelas redes sociais da paróquia. No presbitério estavam, além do pároco frei José Maria e frei Faustino Fernandes, os freis Rogério Corrêa, que atualmente reside na cidade de Poconé (MT), e Frei Jucinei Medeiros.

Na homilia, Frei José Maria expressou a felicidade de poder estar com todos comemorando os festejos da paróquia. “Que bom podermos celebrar hoje de modo presencial mesmo que reduzido os festejos do nosso padroeiro”.

Ele também lembrou como foi difícil festejar esse grande momento no ano passado. “Eu lembro muito bem, no ano passado, Frei Faustino e eu aqui dentro desta igreja, com mais algumas pessoas da liturgia, que nos ajudavam, e nós celebrávamos assim São Jorge com as portas da igreja fechadas”.

Mesmo não podendo fazer todos os momentos tradicionais como as procissões, festas, músicas e outras comunhões que sempre ocorrem após as celebrações, o frei reforçou que nada disso desanima a fé e a esperança da Paróquia São Jorge.

“Nada disso nos tira a paz e a alegria que vem de Deus. A alegria e a paz que Deus nos dá para vivermos este momento único, querido e desejado por nós. Viver a festa do nosso padroeiro São Jorge, o santo que também leva o nome do nosso bairro”.

Moradora do bairro há 50 anos, Dorinha Ramos participa dos festejos há mais de 10 anos. Com uma graça alcançada, ela fez a promessa de estar presente todos os anos nas comemorações do padroeiro. “Mesmo não podendo ir na procissão como foi dito na promessa, estou aqui pagando a promessa do mesmo jeito, com a mesma fé e com a mesma emoção”.

__

Por Hedre José

Pascom de São Jorge

Fotos: Almir Rafael


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *