Arquidiocese de Manaus

Curso de Introdução ao Sistema de Informações Geográficas apresenta o “Mapa Pastoral” da Arquidiocese de Manaus

A Arquidiocese de Manaus promoveu entre os dias 6 e 9 de abril, das 19h às 21h, o Curso de Introdução ao Sistema de Informações Geográficas e Banco de Dados, com objetivo de orientar para um melhor serviço de evangelização os/as coordenadores/as de setores e pastorais, movimentos, serviços e organismos sobre o processo de georreferenciamento de locais e organização de banco de dados das comunidades que fazem parte da sua área de abrangência.

O curso contou com 36 participantes e teve como instrutor o geógrafo Heitor Pinheiro, mestre em Ciências do Ambiente e Sustentabilidade na Amazônia e vice-líder do Núcleo de Estudos Territoriais da Amazônia e membro da equipe da empresa Ongis Consultores em Geotecnologias que realizou o projeto. Os dois primeiros dias do curso foram dedicados à parte prática e os dois dias restantes ficaram reservados para tirar dúvidas dos inscritos.

 “Esse Mapa Pastoral vai ajudar a entender melhor a realidade Arquidiocese a partir de uma base on-line das nossas comunidades aqui da cidade e também do interior e, o melhor é que com um clique nós vamos poder saber a localização. Além de fornecer esse tipo de informação, nós também iremos nos unir, para trabalhar uma pastoral ou uma evangelização para àquele local que ainda não estamos presentes”, comentou Pe. Geraldo Bendaham, coordenador de pastoral da Arquidiocese de Manaus, um dos articuladores do projeto do mapa.

Como requisito para participar do curso, foi solicitado aos inscritos que tivessem conhecimento prévio sobre informática básica, planilhas digitais e noções gerais de geografia. Entre os tópicos abordados pelo o instrutor estiveram: apresentação dos mapas gerados e análises; práticas de análises dos mapas; introdução ao Sistema de Informações Geográficas; análise de dados espaciais com o uso do Google Earth; geração de mapas com o Google Earth; atualização de tabelas e banco de dados e introdução à cartografia espacial.

Para o arcebispo metropolitano de Manaus, Dom Leonardo Steiner, esse mapa é uma ferramenta muito importante para conhecer melhor a arquidiocese no sentido de ter uma visão geral, ainda mais nos tempos de pandemia, onde muitas vezes nem poderia sair para visitar e conhecer algumas comunidades. Segundo ele, depois de algumas reuniões e deliberações junto ao conselho presbiteral, amadureceram a ideia da realização do mapa, mas não apenas numa folha, mas de maneira virtual para que seja utilizado por todos, não apenas pelos bispos e padres, daí a necessidade de realizar esse curso junto com a liderança.

“Nós temos agora uma chance muito boa de mais pessoas conhecerem a realidade da arquidiocese, pois esse instrumento vai nos ajudar a pesquisar, nos localizar e perceber onde nós estamos e não estamos, e assim pensar nas dinâmicas que poderemos empregar para melhorar a evangelização. Do jeito que o mapa está já é uma riqueza, mas nós podemos acrescentar muitos elementos e cada um poderá contribuir com informações e assim nós poderemos futuramente proporcionar para outras pessoas a possibilidade de conhecer todo esse instrumental”, comentou Dom Leonardo.

De acordo com o formador, foi um trabalho árduo ainda mais nos tempos de pandemia, realizado por uma equipe reduzida, mas que gerou uma base de informações de onde estão localizadas as comunidades e suas feições geográficas. Segundo Heitor, a iniciativa da arquidiocese e muito válida e como é o primeiro contato de muitos com essa nova ferramenta, é comum que no início existam dúvidas sobre coordenadas cartográficas e geoprocessamento, mas que com o tempo e prática todos vão poder tirar um melhor aproveitamento.

“A iniciativa da arquidiocese de usar as ferramentas do Sistema de Informações Geográficas (SIG) para entender a geolocalização das comunidades e assim compreender como ocupam o território da região metropolitana é muito importante, mas é comum que no início surjam dúvidas sobre o mapeamento e da utilização do Google Earth, daí vem a necessidade desse curso vir aprimorar esses conhecimentos pois é um projeto que tem muito futuro e creio que nos próximos anos, boas ações da igreja católica podem ocorrer em decorrência dos resultados dessa nossa atividade”, disse Heitor.

Opinião dos participantes

Durante o curso os participantes puderam tirar suas dúvidas e também dar um pouco da sua contribuição com informações complementares. Mesmo sendo algo novo para a maioria, a avaliação final foi unânime em afirmar que é uma ferramenta necessária e muito bem vinda. “Os organizadores estão de parabéns, o curso foi muito bom, pois foi possível ver os dados da nossa igreja particular e que podemos ter dados sociais acoplados a esses softwares e aplicativos de localização e assim colocar serviços da nossa arquidiocese que estão disponíveis e também tentar dessa forma, principalmente as pastorais sociais, mostrar para o poder público e autoridades, propostas de políticas públicas para melhorar a vida do povo de Deus. Que essa ferramenta chegue para ajudar a evangelização e a boa nova do reino de Deus a todas as localidades da nossa arquidiocese de Manaus”, disse Edney Manauara Vice-coordenador da PasCom Arquidiocesana. “Mesmo com a ajuda desta ferramenta tecnológica, é indispensável a visita e a interação com as pessoas, sabemos que o presencial é muito mais rico, mas a tecnologia ajuda a gente ter essa visão macro das comunidades por meio do mapa pastoral”, completou Pe. Geraldo

“Achei maravilhoso ver no Informativo Arquidiocese em Notícias do mês de março a iniciativa da Arquidiocese de Manaus em aderir à tecnologia para obtenção de dados de geoprocessamento em favor do serviço da nossa igreja particular. A introdução da igreja no SIG nos possibilita a visualização de um leque de opções para a tomada de decisões importantes em uma reunião de planejamento pastoral, como por exemplo: analisar o percurso de uma procissão ou carreata, investigar área de populações em vulnerabilidade social, observar Regiões Episcopais populosas, conhecer e encontrar a localização cartográfica de Áreas Missionárias ou Paróquias e ainda saber se passa transporte coletivo nas proximidades, etc. Essa tecnologia, pra mim, é um marco na história da Igreja pois, nesse diapasão, é possível avançar com outros recursos que ainda iremos descobrir. Após a coleta e afinamento de mais informações teremos acesso e mais ideias de utilização a essa tecnologia de análise geográfica e populacional da comunidade católica da região metropolitana de Manaus”, comentou Raucielle Gama da Paróquia Nossa Senhora do Carmo.

 

 

 



Por: Érico Pena

Assessoria de Comunicação da Arquidiocese de Manaus



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *