Arquidiocese de Manaus

Seminário São José de Manaus celebra sua festa com missa e dá início às suas atividades formativas

Na manhã de dia 19 de março, o Arcebispo de Manaus, Dom Leonardo Steiner, presidiu a Missa Solene de São José, no Seminário Arquidiocesano São José de Manaus, marcando o início das atividades formativas do seminário, uma vez que por ocasião da pandemia, foi adiado o início do ano e do semestre formativo.  Serão 61 os seminaristas das nove dioceses e prelazias do Regional Norte 1 da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) que vão fazer parte da comunidade do Seminário Arquidiocesano de Manaus ao longo deste ano 2021, segundo o reitor Padre Zenildo Lima.

No início da celebração Padre Zenildo Lima fez leitura da carta em que Dom Leonardo Steiner convoca o Ano de São José na Arquidiocese de Manaus, que se estenderá até 19 de março de 2022. O texto recolhe a história da devoção a São José na cidade de Manaus, assim como as indicações pastorais que se podem extrair a partir da carta Patris Corde, sendo uma fonte de inspirações para a ação evangelizadora na Igreja de Manaus.

Ao longo da cerimónia, o seminarista Mateus Marques, que está concluindo o curso de teologia neste ano, recebeu o ministério do acolitato. Na sua homilia, a partir da figura de São José, Dom Leonardo fez referência às dinâmicas da acolhida, muito presentes na vida do seminário, assim como em toda a ação da Igreja, chamando a atenção para São José, como homem que ao atuar na liberdade, viveu a sua vida de castidade, uma expressão de profunda liberdade interior e uma disposição para amar daqueles que buscam o ministério presbiteral.

O Arcebispo de Manaus também destacou São José como o homem do cuidado, lembrando das pessoas marginalizadas, que são presentes na história e na realidade da Arquidiocese e da sociedade como um todo. Dom Leonardo acolheu os 21 novos seminaristas que começam sua atividade formativa no Seminário São José neste ano.

Neste ano haverá presença de seminaristas de 8 povos indígenas no Seminário: Baré, Dessano, Tukano (da região do Rio Negro), Kokama e Tikuna (do Salto Solimões), Macuxi (de Roraima), Maraguá e Mura (da Prelazia de Borba – região do Madeira). Alguns deles fizeram as preces dos fiéis em língua nhegatú, macuxi e tikuna. Após a celebração festiva aconteceu um café festivo, assim como atividades esportivas entre os seminaristas, e um almoço, marcando assim a manhã de atividades.

 

Colaboração:  Padre Luis Modino – Assessor Regional Norte 1 – Amazonas e Roraima

Foto: Pe. Luis Modino

Foto: Pe. Luis Modino

 


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *