Arquidiocese de Manaus

Prefeitos e prefeituras – Artigo Dom Sergio Castriani – Jornal Em Tempo 5 e 6/12/2020

No domingo passado elegemos nossos prefeitos, nas cidades onde teve segundo turno. Nas outras já tínhamos os nomes vencedores desde o dia 15 de novembro. Quais as expectativas que temos a respeito deles? Agora que estão eleitos, certamente esperamos que eles deixem para trás o embate político e administrem a cidade. A primeira coisa que se espera é urbanização, o que quer dizer ruas limpas e sem buracos, iluminação pública, praças bem cuidadas. Um prefeito é como uma dona de casa. Conservar a beleza dos locais públicos é tarefa da prefeitura.
Depois temos a atenção básica à saúde. Uma rede de pequenos postos de saúde bem aparelhados, para cumprir as obrigações que cabem à prefeitura na organização do SUS. Os pais com uma criança com febre à noite querem poder levá-la a um médico da família. Os serviços básicos de saúde tem que estar à disposição dos munícipes. O dinheiro destinado à saúde é sagrado. Depois da saúde, ou melhor, junto vem a educação.
A de base que é confiada aos municípios é fundamental para o desenvolvimento do cidadão. Entregue a educação nas mãos de professores experimentados, e não tenha critérios políticos para organizar a educação no município. O trabalho é necessário para todos, mas tem uma categoria que necessita mais do apoio da prefeitura, são os pequenos agricultores familiares que precisam de boas estradas vicinais e mercado para escoar seus produtos. Os artesãos são uma outra categoria que necessita do apoio da prefeitura.
Mas a administração municipal é ainda responsável pela ordem pública na medida que é ela quem dá alvarás de funcionamento para bares, clubes, casas de show e deve ser rigorosa com todos os que fazem barulho demais, ou são verdadeiros antros de perdição para menores. A prefeitura é responsável pela promoção do esporte e da cultura. Apoiar as lideranças naturais que existem neste campo e apoiar suas iniciativas. Propiciar, sobretudo aos mais pobres a possibilidade de acesso ao teatro, a música clássica, porque tudo que é belo, merece ser visto por todos. Tudo isto é tarefa da prefeitura, e tem mais, muito mais.
Vivemos um tempo em que devemos valorizar a nossa casa. Ora a nossa casa está situada num município. E ele que é responsável pelo nosso bem-estar. Por isso é tão importante a eleição municipal. A minha relação com o Estado é mediada pela relação que eu tenho com a minha cidade. É aqui que vivo, que me formo, que me sustento. Na paisagem da minha infância é que estão impressas as minhas boas e as más lembranças da vida. O prefeito deve ter moral, no sentido que tenha uma vida pública sem mancha.
Assim como temos necessidade de pais que se assumam como pais, temos necessidade de homens e mulheres públicos que assumam o papel de serem exemplos de vida. Que os nossos prefeitos sejam homens de diálogo, em primeiro lugar com os vereadores, depois com o povo. Que sempre deem atenção aos pobres, que necessitam do apoio das autoridades. Que a pergunta natural diante de qualquer projeto e realização seja: Qual é a consequência disto para os pobres?

ARTIGO DE DOM SERGIO EDUARDO CASTRIANI – ARCEBISPO EMÉRITO
JORNAL: EM TEMPO
Data de Publicação: 5 E 6.12.2020

Foto: Alex Pazuello/Semcom



Por: Ana Paula Gioia Lourenço

Assessoria de Comunicação da Arquidiocese de Manaus



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *