Arquidiocese de Manaus

Líderes religiosos se reúnem para celebrar o “Momento de Oração” no dia de finados

Nesta segunda-feira (2/11) foi realizado às 17h, no Cemitério Nossa Senhora Aparecida, localizado no Tarumã, zona Oeste da cidade, o “Momento de Oração”, um evento que reuniu líderes e representantes de diversas religiões para juntos orar e fazer memória dos fiéis defuntos. Dom Leonardo Steiner, Arcebispo Metropolitano de Manaus e Pe. Zenildo Lima, Reitor do Seminário Arquidiocesano São José, estiveram presentes representando a Igreja Católica de Manaus.  A iniciativa teve apoio da Prefeitura de Manaus e foi articulado por meio da Secretária Municipal de Limpeza Urbana (Semulsp), contanto com um número reduzido e seleto de pessoas como forma de cumprimento do Decreto Municipal 4.801, que prevê ações de segurança e prevenção contra a Covid-19 e tem como objetivo principal zelar pela segurança da população, evitando aglomerações e um possível aumento no número de casos na capital.

Em virtude disso, o Momento de Oração assumiu o papel de levar um pouco de conforto a todos àqueles que não puderam ter acesso aos cemitérios da cidade, para visitar e homenagear seus entes queridos, mas que através desse evento, tiveram a oportunidade de prestigiar por meio das redes sociais que transmitiram ao vivo este momento de fé, esperança e compreensão religiosa. Entre os demais lideres que estiveram presentes, também podemos citar: Elizete Tikuna, (representando os povos Indígenas); Pai Alberto Jorge e Silva, da Articulação Amazônica dos Povos e Comunidades Tradicionais de Matriz Africana (ARATRAMA); Moisés Cartílio (Protestantes da Ordem dos Ministros Evangélicos do Amazonas – Omeam); Dr. Isac Daran (Gestão de Comitê Israelita); Afonso de Ligorio Machado (Igreja Messiânica); Tamer Mohamed (Centro Islâmico de Manaus); Thiago Aguiar (Federação Espírita do Amazonas) e Paulo César Santos, representante do Sukio Mahikari.

Para Pe. Zenildo, que atuou como apresentador e mediador do evento, não foi apenas um encontro inter-religioso e de “boa vizinhança”, mas sim um momento de esperança, onde a sociedade civil encontrou na voz de cada uma das lideranças, sua representatividade de fé. “As pessoas que aqui se manifestaram segundo a própria fé, trouxeram suas compreensões e reconheceram um elemento comum a nós que é o amor! Vimos que a experiência da morte, em meio aos seus dramas, nivela a existência e nos torna todos iguais e também fomos interpelados, para que o nosso compromisso com a vida, tenha implicações com a justiça e com a ética. Somos muito agradecidos a cada um que participou desse momento de universalidade para levar essa mensagem para ao povo, pois talvez nunca na história dessa cidade tínhamos reunido tantas lideranças. Também agradecemos a cada um que nos acompanhou pelas redes sociais”, finalizou Pe. Zenildo.

“Infelizmente, por conta da pandemia, neste ano não poderemos ir aos cemitérios. Mas também não poderíamos deixar essa data tão importante passar em branco. Como nós recebemos um pedido da Igreja Católica para realizar uma Missa Virtual, nós achamos melhor reunir as outras religiões e crenças para fazer esse momento de oração, já que todos nós buscamos o mesmo Deus. E, nesse momento de oração, nós levamos em consideração três pontos: permanecer em casa e respeitar o isolamento social; realizar o culto e a reverência aos mortos; e a tolerância religiosa, e o respeito que cada religião tem que ter pela outra, pois é a paz que nos interessa”, disse o subsecretário da Semulsp, Einsenhower Campos. Segundo ele, a Live do Momento de Oração teve quase 22mil pessoas alcançadas. 

Palavras do Arcebispo

Dom Leonardo foi o ultimo a se expressar, concluindo o momento de oração com a palavra da fé católica, onde durante a sua fala, citou alguns trechos da bíblia e finalizou comentando sobre a importância dessa reunião de líderes. “Foi um momento muito significativo, cada dando uma contribuição dentro da sua visão e expressão religiosa. Nós que aqui estamos, tivemos a oportunidade de representar tantos irmãos que gostariam de ter ido ao cemitério, mas não foi possível. Nós quisemos através do nosso gesto, fazer essa memória e também trazer o sinal da esperança, pois infelizmente a pandemia não permitiu externar o afeto e a fé. Que a nossa prece, nessa fraternidade comum, tenha alcançado junto de Deus, o descanso eterno desses nossos irmãos e irmãs”, concluiu o Arcebispo.



Por: Érico Pena

Assessoria de Comunicação da Arquidiocese de Manaus



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *