Arquidiocese de Manaus

Santuário celebra os 103 anos da aparição de Nossa Senhora em Fátima (Portugal)

O Santuário Nossa Senhora de Fátima, localizado no bairro Praça 14, festejou nesta quarta-feira (13/05), os 103 anos da aparição de Nossa Senhora em Fátima (Portugal), com o lema “Ensina-nos ó mãe, a reconhecer a face do Teu filho”. A programação contou com missas às 6h, 12h e 19h, está ultima celebrada pelo Arcebispo Metropolitano de Manaus, Dom Leonardo Steiner e concelebrada pelo bispo auxiliar Dom José Albuquerque, com transmissão ao vivo pela TV e rádio Encontro das Águas, Rádio Rio Mar e RádioWEb de N. Sra. de Fátima.

Dentro da programação dos festejos, também ocorreu o trezenário e o tríduo, sempre sem a presença dos fiéis e transmitidos pelas redes sociais. De acordo com o pároco, Pe. Milton Both, todos os anos cerca de 10mil pessoas comparecem nos festejos de N. Sra. de Fátima, mas esse ano todos foram convidados a participarem por meio dos veículos de comunicação e internet, dessa comunhão com Maria e com Deus.

“Para Maria, somos todos irmãos e irmãs, não importa a cor, a raça a condição social, por isso o nosso lema desse ano, pois a nossa alegria e a nossa felicidade consiste em cuidar dos outros e Maria é aquela mãe que cuida de nós e certamente hoje estamos muito agradecidos pois hoje cerca de 10 mil pessoas estariam presentes acompanhando a procissão, mas este ano acompanharam às celebrações de suas casas e aqui fica a nossa gratidão”, comentou o pároco.

Os fiéis, que todos os anos acompanham os festejos que finalizam com o arraial, sentiram a mudança, mas souberam entender que tudo foi para um bem maior e em obediência ao que foi solicitado pela própria arquidiocese, conforme explica Dona Maria Ivanilda, Ministra da Eucaristia e moradora do bairro há mais de 50 anos. “É algo novo, diferente, mas nós temos que ter essa satisfação de estar ao menos participando das celebrações por meio da tv, da rádio e da internet, e temos que confiar em Deus que isso vai passar, é uma experiência para nossa revisão de vida e a conversão não só nossa, mas do mundo inteiro”, disse a fiel.

Homilia de Dom Leonardo – Caminho de conversão e oração

“Celebramos hoje o dia de N. Sra. Senhora de Fátima, o dia que ela apareceu pela primeira vez a três crianças, três pastores. Era um momento difícil, era tempo de guerra e que Nossa Senhora vem e se encontra com três crianças, indicando o caminho da conversão e da oração. Nós nos encontramos num momento muito difícil da história, quando percebemos a morte de perto, com a perda dos nossos familiares, com o enterro de nossos conhecidos, nos afligimos com as notícias e o isolamento tem nos levado a uma preocupação, a um distanciamento. É um tempo difícil, onde nós procuramos nos preservar, pois não sabemos quando a pandemia vai terminar ou se vamos ser atingidos ou não. Esse não seria também o momento de Nossa Senhora nos dá uma palavra? Não é de novo o momento de nossa história atual, de ouvir os conselhos de Nossa Senhora?

O caminho de conversão é um processo de maturação, é um caminho a ser percorrido, é abrir-se cada vez mais à graça do evangelho e seguirmos Jesus e assim deslumbrarmos da beleza de podermos crer e perceber a presença de Deus neste momento da história, pois Deus não esta ausente dos conflitos e nem das dores, mas justamente nos conflitos e nas dores, que nós não conseguimos vislumbrar a sua presença e a conversão é esse processo contínuo de nos abrirmos e perceber a presença de Deus nos conflitos, nas dores e no sofrer.

O Caminho de conversão é transformação, é sermos homens e mulheres maduros na fé, não é caminho fácil, basta olharmos para Santo Agostinho ou São Francisco de Assis e percebemos que é um caminho exigente, mas é libertador, é transformador e é o caminho que Nossa Senhora nos indica hoje, no meio de todos esses acontecimentos, não podemos ter medo de caminhar e nos deixar transformar.

Outro conselho dado às três crianças é a oração, que é um momento de adoração ao Santíssimo, de reza do terço, de eucaristia, mas todos os momentos são a expressão de uma relação que temos com Deus, é tornar em palavras os nossos desejos de sermos mais íntimos com Ele e nos deixarmos ser tomados pelos mistérios do seu amor. Nossa Senhora nos pedia para rezar o terço porque no terço nós vamos repassando os mistérios da nossa fé: o anúncio, o nascimento, a apresentação, a pregação, a condenação, a morte, a ressurreição, o ausentar-se do meio de nós, a vinda do Espírito, tantos elementos que nos fazem caminhar e, que no momento da oração, nos fazer vislumbrar a beleza com que Deus nos amou.

A oração é esse nosso momento da nossa intimidade e, muitas vezes é a expressão do nosso desespero! Batemos à porta de Deus, clamamos por Deus e as vezes até nos desabafamos, pois é o nosso desejo de estar com Ele e ser Dele. Oração é o momento grandioso do nosso existir e da nossa vida, é o momento que Deus vai nos indicando os caminhos e nós, que estamos acompanhando essa celebração, queremos seguir os seus conselhos de conversão e oração, que façam parte de nossa vida e que assim, caminhando, possamos chegar até Maria e a nossa prece se tornará mais saborosa, mais intima, mais libertadora.

Nesse tempo que nós estamos, vamos juntos ao encontro de Nossa Senhora, mas vamos sem medo, porque trilhamos o caminho da conversão e da oração. Que Deus nos dê essa graça e que assim seja”.

Fotos: Elvys Ferreira Pascom e Rádio Web Bem aventurada

Peregrinação de Nossa Senhora de Fátima

Neste domingo (dia 10), dedicado ao dia das Mães, por volta das 10h, a imagem peregrina de Nossa Senhora de Fátima percorreu em carreata, algumas ruas do Bairro da Praça 14 e do centro da cidade. Durante a carreata, vários devotos preparam um pequeno altar em frente de suas casas para receber as benção de Maria saudando com balões e flores.

O itinerário da carreata passou pelas seguintes ruas: Tarumã; Visconde de Porto Alegre; Japurá; Duque de Caxias; Barcelos; Trav. Cruzeiro; Nhamundá; General Glicério; Ramos Ferreira; Duque de Caxias; Boulevard; Afonso Pena; Nhamundá; Apurinã; Tarumã; Afonso Pena; Japurá; Major Gabriel; Tarumã; Jonathas Pedrosas; Leonardo Malcher; Emílio Moreira; Barcelos; Major Gabriel; Japurá; Visconde de Porto Alegre; Tefé; Major Gabriel; Ramos Ferreira; Tapajós; 10 de julho (São Sebastião); Getúlio Vargas e Tarumã.



Por: Érico Pena

Assessoria de Comunicação da Arquidiocese de Manaus



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *