Arquidiocese de Manaus

Diaconos permanentes realizam encontrão mensal com a presença de Dom Leonardo Steiner

O sítio Santo Estevão e São Lourenço, localizado no ramal do brasileirinho – km 15, recebeu na manhã de primeiro de março, aproximadamente 50 diáconos permanentes e candidatos ao diaconato (acólitos), com suas respectivas esposas, para participarem da reunião mensal que acontece todo primeiro domingo do mês, mas dessa vez contando com a participação especial do Arcebispo Metropolitano de Manaus, Dom Leonardo Ulrich Steiner, e do orientador espiritual dos diáconos, Pe. Fausto Beretta.

Foi um encontro com a família Diaconal, onde ocorreu a apresentação de cada Diácono e sua família, área missionária ou paróquia de cada um, apresentações dos acólitos a caminho das suas ordenações.

Inicialmente, Pe. Fausto fez a formação sobre Documento do Papa Francisco que instituiu o quarto domingo do tempo comum como o ‘domingo da Palavra de Deus’ e também comentou sobre a homilia do Papa na abertura do Sínodo Para a Amazônia e suas expectativas e finalizou comentando sobre a homilia de posse de Dom Leonardo em sua missa de acolhida realizada no dia 31 de janeiro.

Dom Leonardo também falou um pouco de história de sua própria vida, como sacerdote, bispo e arcebispo agora. Ele também demostrou, com palavras, a igreja que sonha, o protagonismo dos leigos, a proximidade das igrejas afastadas e o apoio dos ordenados para a formação de lideranças, assim como a importância de se conhecer os futuros diáconos

O arcebispo disse aos presentes que o Concílio Vaticano II resgatou o Diaconato Permanente e que o Diácono nasce pela necessidade, mais ainda é uma inspiração do Espírito Santo. É um Ministério que está a serviço e tem como missão ser evangelizador. Também falou da necessidade em estar nas periferias, a fim de não perdê-las, e aos poucos incentivar a criação de grupos para rezar e formar catequistas, ministros da Eucaristia e da Palavra. “É importante que nós Bispos, Padres e Diáconos deixemos os leigos na frente com seus ministérios”, afirmou Dom Leonardo, exemplificando que na Coréia os leigos organizaram as comunidades onde oravam, partilhavam a leituras bíblicas e por 300 anos mantiveram a fé viva alimentada pela Palavra de Deus, mesmo sem terem a Eucaristia.

Após a formação e a conversa com Dom Leonardo, ocorreu a Celebração Eucarística presidida pelo arcebispo e o encontro finalizou com um almoço partilhado.

 

 



Por: Érico Pena

Assessoria de Comunicação da Arquidiocese de Manaus



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *