Arquidiocese de Manaus

Missa das Cinzas marca o início do tempo quaresmal na Igreja Católica de Manaus

Dom Leonardo Steiner, Arcebispo Metropolitano de Manaus, presidiu a tradicional missa da quarta-feira de cinzas (26/2), que marca o início da Quaresma no calendário cristão, sendo este um tempo de conversão, de silêncio, de jejum e esmola, em preparação para vivenciar a Páscoa de Jesus. A Santa Missa foi realizada às 18h na Catedral Metropolitana Nossa Senhora da Conceição, também conhecida como Igreja da Matriz, tendo como concelebrante Monsenhor Sabino Andrade e o pároco Pe. Hudson Ribeiro, auxiliados pelo diácono Ruzeval Cardoso e contou com a presença de centenas de fiéis, religiosos e leigos, que compareceram para receber as cinzas na testa, como símbolo de arrependimento perante Deus.

De acordo com o Arcebispo, o tempo da quaresma é o tempo para abrir os nossos olhos e perceber a graça que Jesus nos alcançou com a sua morte e ressurreição e, ao receber as cinzas, estamos dizendo que estamos dispostos a uma mudança de vida. “Esse é o tempo da mudança, um tempo extraordinário que iniciamos hoje, tempo de jejum, oração e esmola, como foi tratado no texto de hoje do evangelho. O jejum é extraordinário porque abre a nossa pessoa, é um segredo entre Deus e eu; a oração que sai do coração como uma alma que busca um sentido novo para a vida; a esmola, pode ser dada de várias formas, não só dando apenas dinheiro, as vezes só o fato de sentarmos perto de alguém no hospital, dando de comer ao próximo ou acolhendo, é uma esmola recolhida onde a mãe direita não sabe o que a mão esquerda faz.  Que esse nosso tempo de jejum, oração e esmola, seja um tempo também de estarmos na atenção da preciosidade da vida conforme fala a Campanha da Fraternidade”, disse o Arcebispo

Após a homilia de Dom Leonardo, iniciou-se o rito da imposição das cinzas, com a bênção realizada por pelo Arcebispo e, na sequência, Monsenhor Sabino e Dom Leonardo, sinalizaram na testa dos fiéis presentes com as cinzas, dizendo a cada um “Convertei-vos e crede no Evangelho”. Trata-se de um sinal de penitência, simbolismo que relembra a antiga tradição do Oriente Médio de jogar cinzas sobre a cabeça, como sinal de arrependimento perante Deus, quando reconhecemos nossa condição de criaturas limitadas, mortais e pecadoras. “Foi uma missa muito bonita, cheia de simbolismos e que já nos prepara para vivermos bem a quaresma, seguindo aquilo que nos foi pedido no evangelho por meio do jejum, oração e esmola. É a primeira vez que participo de uma missa com o novo Arcebispo e gostei muito”, disse Edilamar Holanda.



Por: Érico Pena

Assessoria de Comunicação da Arquidiocese de Manaus



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *