Arquidiocese de Manaus

Companha da Fraternidade é apresentada à jornalistas em coletiva de imprensa

Na manhã do dia 20 de fevereiro a Arquidiocese de Manaus, por meio de sua assessoria de comunicação realizou uma coletiva de imprensa, com a presença de 10 veículos atuantes na cidade e outros puderam acompanhar pela transmissão realizada na Fanpage da Rádio Rio Mar.  Falaram à imprensa Dom Leonardo Ulrich Steiner, arcebispo Metropolitano de Manaus; Dom José Albuquerque, bispo auxiliar de Manaus; e Padre Geraldo Ferreira Bendaham, coordenador de pastoral da Arquidiocese.

Em um primeiro momento, Dom Leonardo Steiner falou da importância do tema escolhido para ser refletido especialmente durante a quaresma deste ano.  “A campanha da fraternidade é um momento importante para a igreja e, portanto, para a nossa Arquidiocese. No tempo da Quaresma, aqui no Brasil, a Igreja sempre nos oferece uma realidade a ser refletida e rezada. Neste ano, temos o tema da vida, vida como Dom e Compromisso [..] O texto-base é preparado com muita antecedência, são sempre dois anos de preparação do material da campanha. O texto está dividido em três partes, sendo que o primeiro capítulo tenta mostrar a realidade (referente ao tema), o segundo, a partir do Evangelho, tenta refletir a realidade, e o terceiro busca viabilizar, mudar essa realidade”, explicou o arcebispo.

“Ao olhar a realidade, nós percebemos quanta violência, quanta agressão, quantas mortes, nós tivemos aqui. Na Arquidiocese tivemos uma experiência muito difícil. Pelo fato de uma pessoa ter sido morta, soltaram foguetes em diversas regiões de nossa cidade.  Então, qual a questão de fundo da nossa reflexão é: qual é o valor da vida? Qual é o valor da pessoa humana? Se por uma pequena discussão se mata, se por diferença se mata, se por ciúme se mata, qual é o valor da vida?  Nós não vivemos isolados, nós temos relações, qual é a apreciação que temos da vida em nossa sociedade, mas também vivemos em uma casa comum, como nos diz Papa Francisco. Qual é o cuidado que temos com as nossas águas, com as matas, com os animais, com a natureza, com a obra da criação na qual nós vivemos? Qual é o cuidado com ‘o jardim aonde vivemos’?”, indagou Dom Leonardo.

E Dom Leonardo continuou explicando o tema, exemplificando a importância de se preservar e valorizar a vida “O despertar dessa grandeza, dessa beleza, é o fundo da Campanha da Fraternidade. Quem despertou para a beleza da vida, se compromete com ela, levando a vida à sua maturidade e plenitude, a uma realização plena. Se compromete com a vida no cuidado das pessoas necessitadas, se compromete com as pessoas excluídas da sociedade, com a vida na casa comum (ecologia), e se compromete com a vida no sentido da justiça. E olhando para a Sagrada Escritura percebemos que Deus ficou tão admirado com a vida humana e com a finitude humana que se fez um de nós. E isso veio trazer uma grandeza ainda maior. Jesus, com sua vida, morte e ressurreição, deu dignidade ainda maior à vida humana. É que em Jesus Cruscificado e Ressuscitado, todos nós nos tornamos filhos e filhas de Deus. Vejam a dignidade da pessoa humana. Por isso, nós a respeitamos, por isso nós cuidamos e dela nós não nos afastamos. Também na Sagrada Escritura, nós vemos o cuidado de Jesus com os pobres, com os cegos, com os surdos e mudos, com os leprosos. É o cuidado com a vida.  Jesus nas parábolas também fala da natureza. Era um homem atento à natureza, mas também vamos perceber que a vida humana tem uma destinação final, uma participação extraordinária que é, um dia, participar da vida de Deus. Olhando a doutrina social da igreja, vamos perceber que existem responsabilidades. Que esse cuidado que devemos ter passa também por políticas públicas, pela justiça, pelo direito. Tudo está para o cuidado da vida humana, a vida na sua totalidade”, encerrou Dom Leonardo.

Leitura bíblica nos inspira a sermos bons samaritamos

Padre Geraldo F. Bendaham ao tomar, a palavra afirmou que o texto da Campanha da Fraternidade se inspira na leitura bíblica que conta a parábola do Bom Samaritano que sentiu compaixão e cuidou daquele que estava ferido e abandonado. “A Igreja vai reforçar aquilo que já vem fazendo em favor da vida, por exemplo, diante da realidade dos jovens que são vítimas do comércio ilícito das drogas e com as quais destroem a própria vida e muitos ganham milhões com a desgraça humana que causa, a Igreja católica propõe a Fazenda da Esperança (fruto da Campanha de 2001 – Vida Sim, Drogas não), concretamente. Se olharmos para muitas crianças brasileiras em situação de desnutrição, temos a pastoral da criança que faz um trabalho louvável, humano e evangélico, acompanhando e orientando as mães para tirar as crianças dessa realidade e salva muitas vidas. Assim também há um trabalho com os idosos, muitas vezes abandonados, com a Pastoral da Pessoa Idosa. Com aqueles que tem a rua como sua casa, em vulnerabilidade, temos a Pastoral do Povo de Rua que vai ao encontro dessas pessoas que tem uma história, tem nome e precisa de uma ajuda para recuperar sua dignidade. São só exemplos pra dizer que a Igreja Católica também trabalha no cuidado da vida porque segue o Evangelho de Jesus”, destacou aos presentes.

“Nós já estamos vivendo a Campanha, mas queremos reforçar ainda mais e com criatividade encontrar outros caminhos. Desejamos que ela conscientize toda a sociedade e também o Estado, os governantes, pois se houvesse maior investimento em educação, emprego para os jovens, diminuiria o número de jovens atraídos para as organizações criminosas, e assim menos morte de jovens, isso compete aos governantes que fazem as políticas públicas”, afirmou Pe. Geraldo.

Campanha traz reflexões para o período da quaresma

Dom José explicou que a Campanha acontece no tempo da quaresma que é um tempo de graça e de reflexão, de conversão. “Em todas as celebrações e dinâmica pastoral nesse tempo vai ter reflexões sobre essa realidade que essa campanha nos apresenta, tendo como ponto de partida sempre Jesus Cristo e a Boa Nova do Evangelho.  Teremos como texto inspirador a Parábola do Bom Samaritano que simboliza a missão de Cristo que veio ao mundo para isso, para lembrar do grande e inesgotável valor da vida, não só da pessoa humana, mas de todo o planeta, toda a criação”, destacou.

No cartaz temos a figura de Santa Dulce dos Pobres, o anjo bom da Bahia, canonizada em outubro de 2019, durante o Sínodo para a Amazônia. No texto-base temos como referência a inspiração de diversos santos de ontem e de hoje. Teremos a oportunidade de lembrar a obra de Santa Dulce, sabendo que esse ideal pode ser vivido por cada um de nós, por cada um que escuta os apelos da realidade dos nossos irmãos mais sofridos, sentem compaixão e procuram agir pela caridade. Dentre os objetivos da campanha está o romper com a indiferença para com o sofrimento humano e enfrentar a realidade da violência com a maior arma que temos que é o amor, o perdão, a solidariedade. Essa é a missão da Igreja, a boa nova do Evangelho. Apesar dos desafios, de realidade tão duras e difíceis, temos sinais de esperança, que nos alegram e estimulam a acreditar em um mundo muito melhor. Essa á a vontade de Deus, que todo mundo seja respeitado na sua dignidade de filhos e filhas de Deus e possa viver em paz, junto com seus irmãos”, enfatizou Dom José.

O papel decisivo da imprensa

Ao final, Dom Leonardo destinou palavra aos meios de comunicação destacando o importante papel e desafiando os veículos a promoverem a vida com matérias de destaquem sua beleza. “Vocês sabem a importância meios de comunicação, seja escrita, falada ou visível. O que nós apresentamos?  Mais a violência que a vida? Esse elemento é decisivo. Nós sabemos que a medida que uma notícia de suicídio é transmitida, muitas vezes mais pessoas são induzidas ao suicídio. Quanto mais apresentamos violência, mais ela cresce. Ajudem a sociedade a crescer no cuidado da vida! Vocês jornalistas e repórteres, deem importância à vida!”, pediu Dom Leonardo aos jornalistas presentes.

“Os meios de comunicação têm uma verdadeira responsabilidade de mostrar a beleza, mostrar nem que seja em meio minuto um fato em que a vida apareça em sua grandeza da vida?  Isso eleva o sentido da vida, isso desperta as pessoas para a beleza da vida”, desafiou Dom Leonardo.

Programação de abertura

Conforme apresentou Pe. Geraldo Bendaham, na quarta-feira de Cinzas (26/2) acontece a abertura da Campanha da Fraternidade na Igreja Nossa Senhora dos Remédios, localizada à Rua Leovegildo Coelho, no centro histórico de Manaus. “Foi escolhida a Igreja Nossa Senhora dos Remédios por ser histórica e ela viu todas as alegrias e esperanças e também as dores da cidade de Manaus. Às 7h30, acontece um café para o Povo de Rua. Um gesto simples para dizer que eles são o foco da nossa preocupação, buscando mudar nossa mentalidade de indiferença, e fazer uma proximidade solidária com as pessoas. Não basta só o pão ou o café, é preciso que eles tenham respeitados os seus direitos como cidadãos brasileiros.  Depois, às 8h acontece a animação para acolher as pessoas que chegam e às 9h, a celebração de abertura com a presença de Dom Leonardo. Ao final, a Pastoral do Povo de Rua vai fazer uma entrega simbólica de um carro de pipoca para um dos que são acompanhados, como uma forma de recuperar sua dignidade e poder trabalhar pelo seu sustento, mas antes tendo ensinado a gerenciar esse trabalho para devolver a esperança através desse meio de obter sua subsistência”, explicou pe. Geraldo.

 

A assessoria de comunicação, agradece aos veículos que aceitaram o convite e se fizeram presentes:   Rádio Rio Mar, Rede Vida, TV Amazonas, TV Band Amazonas, TV Em Tempo, Rede de Rádio e TV Tiradentes, Rádio CBN Amazônia, TV Maskate e Portal O Generoso.

 



Por: Ana Paula Gioia Lourenço

Assessoria de Comunicação da Arquidiocese de Manaus



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *