Arquidiocese de Manaus

Palavra e Eucaristia devem ser o centro da vida de um candidato ao sacerdócio

Uma celebração eucarística presidida pelo arcebispo de Manaus, Dom Leonardo Steiner, marcou o início das atividades do Seminário São José, no ano de 2020. A missa foi concelebrada pelos bispos auxiliares Dom José Albuquerque e Dom Tadeu Canavarros, e pelos padres que fazem parte da equipe formativa, e contou com a presença de Dom Mário Antônio, bispo da Diocese de Roraima e vice-presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).

Neste ano, o seminário acolhe 54 seminaristas advindo das nove dioceses e prelazias do Regional Norte 1 – Amazonas e Roraima, dando continuidade a sua missão de formar padres para a Amazônia.

Dom Leonardo recordou a todos que a Palavra de Deus e a Eucaristia devem ser o centro da nossa vida nesta casa (Seminário). “Seja a Palavra de Deus amada, estimada e vivida nesta casa. Cada um de nós sejamos o lugar da palavra, acolhida da palavra. Como Maria que anuncia, recebe e diz o seu Sim. Que nesta casa a eucaristia seja o centro, não apenas na receptividade do pão, mas na distribuição do pão, na caridade, na acolhida, no diálogo. É por isso que estamos dando início à convivência deste ano, iniciando com a eucaristia”, destacou o arcebispo de Manaus.

 

Durante a homilia, Dom Leonardo disse ainda que que ser padre significa experimentar, dentro do seminário, o que é partilha, palavra de Deus, Eucaristia e o que é cuidar do povo de Deus, a partir da experiência do cuidado mútuo que ocorre no convívio com outros no processo de formação para o sacerdócio. “Assumam com disposição e com alegria os questionamentos, as diferenças, pois isso só nos faz crescer e nos matura como pessoas. Nós na nossa convivência queremos experimentar o que significa correr atrás de Jesus, ao menos tocar a borda do seu manto. […] A Palavra e o Pão abrem o caminho, nos fazem navegar rios, são tudo para nós, porque nos faz e transforma em pastores do povo de Deus. Devemos tomá-los com direção da nossa vida pessoal e da nossa vida em comunidade” explicou aos presentes.

Ao final, o reitor do seminário, Pe. Zenildo Lima, apresentou a equipe formativa afirmando que todos eles são frutos deste seminário e retornam para contribuir na formação de novos padres.

Pe. Marciney Marques apresentou os seminaristas que estarão neste ano advindos de diferentes igrejas: Prelazia de Borba, Prelazia de Itacoatiara, Prelazia de Tefé, Diocese de São Gabriel da Cachoeira, Diocese de Roraima, Diocese de Parintins, Diocese de Coari e Arquidiocese de Manaus. Iniciou pela turma do primeiro ano de filosofia, que ingressam ao seminário após passar pelo propedêutico (início da caminhada formativa e de discernimento vocacional) nas suas dioceses. Depois foi a vez dos que ingressam na Teologia, jovens que estão sendo acompanhados e fazendo experiência nas paróquias da Arquidiocese e os que irão fazer experiência em outras dioceses.

Com a experiência de ter sido um bispo que trabalhou na formação de seminaristas, quando foi bispo auxiliar em Manaus, Dom Mário Antônio falou aos presentes que o seminário é um tempo de oração; de estudo; de missão; de amor à Cristo, à Palavra de Deus, à Eucaristia, à Nossa Senhora, aos Santos e Santas, de amor ao povo, ao reino de Deus. “Estamos rezando e com esperança em cada um de vocês. Muito agradecidos à equipe de formação e à Arquidiocese de Manaus que nos acolhem nesse período de formação, de visita e de estada nesta casa”, declarou Dom Mário.

Antes da bênção final, Dom Leonardo ainda ressaltou a importância da disciplina pois ela deve ajudar os seminaristas na preparação para serem pastores do povo de Deus e ainda pediu: “não esqueçam as duas tábuas da arca desta casa: da Palavra e da Eucaristia”.  Encerrou falando do desejo de trabalhar a espiritualidade junto aos seminaristas, mas que será ainda justado com a equipe formativa, e encerrou fazendo um pedido: “Considerem esse tempo muito importante, pois sabemos que esse tempo ajuda a dar tempero ao futuro pastoral do povo de Deus”, concluiu Dom Leonardo.

 



Por: Ana Paula Gioia Lourenço

Assessoria de Comunicação da Arquidiocese de Manaus



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *