Arquidiocese de Manaus

Celebração da Festa das Luzes recorda a presença amorosa de Deus junto ao seu povo

No domingo em que se celebrou a apresentação do menino Jesus no Templo, conhecida como festa das luzes, Dom Leonardo Steiner, Arcebispo da Arquidiocese de Manaus, presidiu pela primeira vez a missa tradicionalmente presidida pelo arcebispo, às 7h30, na Catedral Metropolitana Nossa Senhora da Conceição.

Na oportunidade, falou aos presentes sobre a importância do que foi celebrado nesta liturgia, pois significa a presença amorosa de Deus no meio do seu povo, através de seu Filho Jesus que se fez homem para mostrar ao mundo o amor de Deus pela humanidade.

“Ao recordamos a apresentação de Jesus no templo, recordamos a história da nossa salvação, a história de Deus no meio de nós, no povo do antigo testamento e agora na história do nosso povo, do qual pertencemos. Hoje também celebramos a história de um amor, de um encontro. A festa do encontro, porque Deus agora se revela como o Deus da história, o Deus pessoal, o Deus do amor, o Deus do encontro. Todos nós fomos encontrados por Deus, não vivemos sós, não estamos na solidão porque vivemos da fé e da presença de Jesus e por isso é que encontramos a razão do nosso viver, o amor da nossa vida que nos faz amar, partilhar, perdoar-nos, reconciliar.   Esse amor que nos conquistou e nos encontrou, agora nos envia ao encontro de todos não apenas para o anúncio, mas também para a reconciliação. Que Deus abra o nosso coração e nos dê sensibilidade para sermos presença de Deus na história”, destacou Dom Leonardo.

O arcebispo também lembrou que hoje se vive em meio a muita violência, mas Deus permanece presente e usa muitos para que sejam instrumento de transformação da realidade atual, sinal de amor, de paz, de reconciliação.

“No momento nossa história é de violência, mas Deus está também ali presente, porque nós cremos nele e queremos ajudar a transformar a realidade e ajudar a ser essa presença de paz, essa presença de irmão e de irmã. A festa do encontro nos ensina que Deus nos amou tanto que preencheu o coração de uma viúva pobre e sem nada e devolveu a alegria de viver, depois dos seus 80 anos [de idade], e também há de devolver a cada um de nós a razão do nosso existir, diante das dificuldades e problemas da nossa vida diária.  Deus seja louvado e bendito pela festa de hoje!”, concluiu Dom Leonardo Steiner.

 



Por: Ana Paula Gioia Lourenço

Assessoria de Comunicação da Arquidiocese de Manaus



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *