Arquidiocese de Manaus

Setor Padre Pedro Vignola promove a IX Caminhada Pela Paz e finaliza com missa campal no Memorial do Cruzeiro

Com o tema: “A construção da paz é missão de todos nós!”, centenas de paroquianos e comunitários que fazem parte do Setor Padre Pedro Vignola – Região Episcopal N. Sra. Aparecida, participaram da IX Caminhada pela PAZ. O evento aconteceu na tarde desta quarta-feira, 1° de janeiro. A concentração foi na comunidade São João Batista, situada à Rua 27, núcleo 4 – Cidade Nova II, de onde os fiéis seguiram cantando, rezando e agitando suas faixas, cartazes, bandeiras, até chegarem ao Terreno do Cruzeiro da Cidade Nova, finalizando a caminhada com a missa campal presidida pelo Administrador Apóstolico da Arquidiocese de Manaus, Dom Sergio Castriani, concelebrado pelos padres do setor e pelo Pe. Cairo Gama, responsável pelo Cruzeiro desde Fevereiro de 2019.

A primeira edição da caminhada pela Paz iniciou em 1° de janeiro de 2011 quando o Pe. Marco Antônio (Pe. Marquinho), na época pároco da Área Missionária São Lucas, teve a ideia de realizar esse evento após ver, no campo do Cruzeiro, algumas famílias e conhecidos acendendo velas e rezando pelos parentes que haviam morrido em acidente de trânsito (que tem matado bastante) ou por alguma forma de violência. Em 2020 a tradicional caminhada chegou a sua nona edição e, depois de quase uma década, sendo praticamente a pioneira das caminhadas realizada no dia mundial da paz, esse ano teve um grande diferencial, sendo também realizada em várias paróquias e áreas missionárias da Arquidiocese de Manaus.

A proposta partiu do próprio Dom Sergio que sugeriu a todas as Paróquias, Área Missionárias e Comunidades da Arquidiocese de Manaus pudesse se expressar em um ato pela paz, visto que Manaus, segundo dados de 2017, está entre as 10 cidades com mais homicídios do país. Em virtude disso e como um ato de superação da violência, Dom Sergio em sua homilia proferida na Solenidade da Imaculada Conceição, no último dia 8 de dezembro, convocou a todos irem às ruas no dia 1º e pudessem manifestar sua indignação de maneira pacífica, em forma de caminhada (ou carreatas, como em alguns casos), envolvendo todas as paróquias e áreas missionárias de Manaus, caminhando em unidade nos arredores dos bairros, fazendo assim um evento não só setorial, mas também paroquial e dessa maneira atingindo e envolvendo mais participantes.

E foi nesse clima de alegria e descontração, que as pessoas aos poucos íam chegando, em grupos de amigos ou familiares, fazendo a concentração na área externa da igreja de São João Batista e, enquanto a caminhada não começava, a animação rolou solta com música e dança que contagiou jovens e adultos, além do local também servir de ponto de encontro e reencontro entre velhos amigos. A imprensa também se fez presente para registrar o evento entrevistando leigos e religiosos, e também dando voz a alguns dos participantes que vieram expressar seu pedido de paz. Por volta das 17h20 a caminhada deu início rumo ao Memorial do Cruzeiro, contando com a participação dos padres do Setor Pe. Pedro Vignola, religiosas/os, seminaristas, agentes de pastorais, grupos e movimentos da igreja católica, além da participação de Dom Sergio, que fez questão de fazer todo o trajeto a pé no meio do seu povo.

No decorrer da caminhada, além das músicas e orações, também foram feitas reivindicações e pedidos de paz. “A primeira parada foi inspirada no tema da Campanha da Fraternidade 2020(CF), onde nós ressaltamos a questão da violência doméstica, contra mulheres, crianças, jovens e adolescentes. Na segunda parada falamos sobre a situação da saúde em decadência, sem medição e equipamentos, reivindicamos essas melhorias, pois é um direito nosso e por fim, também falamos a respeito da violência no trânsito e a questão do Sínodo para Amazônia e a importância de se valorizar o meio ambiente, a natureza, os povos indígenas e ribeirinhos”, explicou Rosângela Silva, da equipe de Coordenação da Associação dos Amigos do Cruzeiro.

Missa no Memorial do Cruzeiro

O fim da caminhada aconteceu com a chegada dos participantes no Memorial do Cruzeiro, onde foram recebidos com muita alegria pela equipe de acolhida e rapidamente os caminhantes foram aos poucos se juntando ao povo já presente no local, totalizando aproximadamente 1000 pessoas. A procissão de entrada da celebração começou com a equipe do Apostolado da Oração conduzindo a imagem de Nossa Senhora Rainha da Paz, seguida dos ministros, diáconos e padres presentes.

Em sua homilia, proclamada pelo recém ordenado Pe. Vitor Hugo, salientou sobre a importância da Paz na vida das pessoas e como o Memorial do Cruzeiro tem ajudado aos necessitados. “O primeiro dom que Jesus ressuscitado da aos fíeis é a paz e, neste 1º dia do ano, queremos dizer a sociedade que nós somos da paz e não queremos soluções que usem a violência pois a vingança sempre chama por mais sangue derramado. O caminho para paz que queremos é o caminho de Jesus. Hoje no Cruzeiro temos esse espaço que nasceu para cuidar daqueles que partiram precocemente, vítimas da violência e aqui fazemos memória desses entes queridos, dando a eles um velório digno”, disse um trecho da homília.

Antes da benção final, Dom Sergio foi homenageado por todo apoio que deu como Presidente da Associação Amigos do Cruzeiro, sendo aplaudido por todos e recebendo um singelo presente, uma estola de duas faces contendo o símbolo do Cruzeiro. “Creio que começar o ano com a caminhada pela paz é ter um olhar para o futuro, pois somos uma igreja viva, de fé e esperança. Agradecemos de coração a Dom Sergio pelo esforço e pelo apoio que sempre dedicou aos Amigos do Cruzeiro”, disse Pe. Cairo, responsável pelo Cruzeiro, onde toda primeira segunda-feira do mês é realizada uma missa às 19h.

Ao fim da celebração, foi realizada a dilaceração da placa de inauguração das duas salas de velório que estão funcionando desde janeiro de 2018. “Essas duas salas foram inauguradas em 1º de janeiro 2018, mas não tínhamos a placa inaugural do Memorial do Cruzeiro que hoje temos, na ocasião foi feita a benção e a purificação do incenso das duas salas. A nossa obra continua com a construção de uma sala de descanso, a copa e os banheiros, essa extensão da obra em breve será inaugurada também”, explicou Núbia Gonzaga, uma das organizadoras das obras do Memorial do Cruzeiro.

Fotos colaboração: Rarimar Portela

     

 



Por: Érico Pena

Assessoria de Comunicação da Arquidiocese de Manaus



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *