Arquidiocese de Manaus
Arquidiocese de Manaus

Dom Leonardo Steiner vem à Manaus para uma agenda de visitas e fala com repórteres em coletiva de imprensa

Na manhã desta quinta-feira (28/11), foi realizada na Residência Episcopal, localizada na Av. Joaquim Nabuco, nº 1035 – Centro, uma coletiva de imprensa com Dom Leonardo Ulrich Steiner, o novo Arcebispo Metropolitano de Manaus, nomeado pelo Papa Francisco, que chegou a Manaus na noite do dia 27, sendo recepcionado já no aeroporto por representantes das pastorais, grupos e movimentos que o saudaram com muita alegria. Também estiveram presentes alguns padres que vieram acolher o novo pastor, além de Monsenhor Sabino Andrade e os dois bispos auxiliares, Dom José Albuquerque e Dom Tadeu Canavarros. O novo Arcebispo toma posse no dia 31 de janeiro, enquanto isso, Dom Sergio Castriani continua no comando da Arquidiocese de Manaus como Administrador Apostólico.

Durante a entrevista, que reuniu vários veículos de comunicação de sites, rádios e televisão, Dom Sergio fez uma breve introdução apresentando o novo arcebispo que iniciou suas ponderações, falando de maneira calma e suave, a respeito da alegria de poder vir trabalhar aqui, visto que já era um desejo que tinha e que foi atendido pelo Papa Francisco. “Eu sou muito grato ao Santo Padre por ter sido enviado para a Amazônia, esse era meu desejo, já tinha trabalhado em São Felix do Araguaia (MT) como bispo e confesso que não esperava ser nomeado Arcebispo de Manaus. Estou aqui à disposição, a minha chegada definitiva será somente em janeiro, mas vim para o primeiro contato com o povo e conhecer a minha futura esposa, que é a arquidiocese”, disse Dom Leonardo.

Dom Leonardo também ressaltou que a Igreja de Manaus tem uma história de vida inserida na sociedade, tem participado em debates, tem tentado ser uma presença testemunhal muito grande. “Quando nós somos enviados para uma nova região, para uma nova Igreja, é preciso entrar com os pés da humildade e a Arquidiocese tem uma história, uma história longa, bonita e o meu desejo é chegar e ouvir, ouvir as comunidades, ouvir as necessidades, dialogar com tantas pessoas que estão à frente das nossas comunidades, os leigos, os presbíteros, os movimentos, as pastorais, para juntos darmos continuidade à vida da Arquidiocese, eu acho que isso é decisivo para podermos depois implementar as orientações que o Santo Padre há de nos dar com a Carta pós-sinodal”, comentou.

Com relação ao Sínodo para a Amazônia, Dom Leonardo disse que participou das discussões anteriores ao Sínodo e procurou ouvir aquilo que foi discutido e e para dar a sua contribuição no sentido de colocar os seus dons à serviço da Igreja aqui em Manaus. Também disse que pretende seguir o plano pastoral que está elaborado até 2022 e que a sua primeira tarefa é visitar todas as comunidades. “Eu trabalhei numa prelazia que tinha 150mil km2 e visitei  todas as comunidades e assim pretendo fazer aqui, pois o bispo precisa chegar a todas as comunidades, é necessário que o bispo conheça e seja conhecido, é só assim que se pode ouvir que se pode anunciar uma mensagem. Essa será a minha primeira missão se Deus me der a saúde necessária, pois tenho que me adaptar não só à geografia, mas também à temperatura pois o clima é diferente”, comentou sorrindo.

De acordo com Dom Leonardo, essas visitas vão ocorrer tão logo ele tome posse e vai contar com a ajuda dos bispos auxiliares e com a experiência de Dom Sergio para aconselhá-lo. “Após oito anos como Secretário Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), exercendo um trabalho mais de coordenação e escritório, meu desejo era poder estar de novo em uma diocese, de preferência numa região como a Amazônia, onde sabemos das distâncias geográficas, principalmente nas regiões ribeirinhas, mas desejo encurtar as distâncias humanas e as distâncias da fé. Se Deus quiser eu conseguirei fazer isso dando seguimento ao trabalho de Dom Sergio e com a ajuda dos bispos auxiliares”, afirmou.

Quando perguntado qual sua corrente política, Dom Leonardo foi enfático ao afirmar. “Não sou de esquerda, nem de direita, sou do evangelho! Nem progressista, nem conservador, na igreja não existe isso, o que existe são imposições eclesiais diferentes, concepções teológicas diferentes, algo que é normal e até necessário numa conferência episcopal tão grande como a nossa, alguns acham que essas diferenças políticas nos fazem ser de esquerda ou de direita, mas eu prefiro ser do evangelho”, concluiu

Mensagem para o povo de Manaus

Dom Leonardo passará dois dias em Manaus, retornando à Brasília no sábado, 30 de novembro. Nesse meio tempo vai cumprir uma programação que, fora a coletiva de imprensa também envolve visitas à Cáritas, Seminário São José, Centro Arquidiocesano, Fundação e Rádio Rio Mar, além de encontros com padres, seminaristas, diáconos, coordenadores de pastoral e etc…deixou bem claro que sua missão é de apenas conhecer e ser conhecido, fazer o primeiro contato para se apresentar formalmente e aos poucos ir fazendo os ajustes e mudanças necessárias.

Adotando como lema episcopal “Verbo Caro Factum”, que quer dizer Verbo Feito Carne, Dom Leonardo deixa como mensagem ao povo de Manaus um pequeno pedido. “Vamos caminhar juntos, vamos viver juntos o evangelho e a beleza de ser católico, esse modo de vida e de entrega, esse modo de acolhida e receptividade, isso é ser católico e nós vamos fazer todo o esforço, para que possamos ser essa presença samaritana e generosa como foi Jesus e assim muitas pessoas vão perceber que aqui tem um jeito de ser que vale a pena, um jeito de ser autêntico e eu espero que sejamos assim”, disse.



Por: Érico Pena

Assessoria de Comunicação da Arquidiocese de Manaus



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *