Arquidiocese de Manaus
Arquidiocese de Manaus

Igreja Católica promove ação de conscientização e valorização à vida, no combate à depressão e ao suicídio

Com o tema “Senhor, meu Deus, clamei a Ti por socorro e Tu me curaste” (Sl 30, 2), a Renovação Carismática Católica promove em Manaus, de 30 de setembro a 6 de outubro, a primeira Ação de Conscientização e Valorização à Vida, que consiste em uma semana de alerta à sociedade contra a depressão e o suicídio, com o objetivo de mostrar a importância da prevenção contra o estresse, a ansiedade, a depressão e o suicídio, tão frequentes nos dias de hoje. Com este evento que consiste em missas, palestras, panfletagem e momentos de oração, deseja-se atingir diretamente 20 mil pessoas.

E para fazer o anúncio destas atividades e divulgar o grande encontro que vai acontecer no dia 6 de outubro, na Ponte Rio Negro, falou à imprensa de Manaus durante a coletiva realizada na manhã do dia 2 de outubro, apresentando a programação que inicia às 8h com a missa presidida pelo arcebispo Dom Sergio Eduardo Castriani, seguida de Louvor e Animação, Orientações proferidas pela Polícia, Sammu e Bombeiros, encerrando com um clamor pela misericórdia de Deus a todos que tem sofrido com a depressão e pensam em tirar a própria vida.
Estiveram na coletiva, o Arcebispo Metropolitano de Manaus, Dom Sergio Castriani; a Coordenadora Renovação Carismática Católica (RCC) de Manaus, Cleide Ribeiro Cantisani; e o assessor eclesiástico da RCC Manaus, Pe. José James Batista

“A Igreja sempre defendeu a vida, sempre teve esse olhar muito carinhoso e sensível para a vida. Com o passar do tempo, o século XXI chegou e com ele muitos problemas, dentre eles esse mal do século que é a depressão. A gente lida diariamente com esse problema que atinge muitas pessoas de maneira silenciosa. E a igreja, atenta a esses detalhes, aos números de pessoas que estão sofrendo com isso, decidiu dar um passo a mais e organizar esse evento para chamar a atenção de todos e dizer que é só de mãos dadas que a gente vai combater esse mal. É juntos, rezando, mas também sendo orientados por profissionais que estudaram para isso e assim resolveremos esse problema, combater esse mal. É preciso que a gente consiga preservar essas vidas, pois há muitas famílias que tiveram suas perdas irreparáveis e não podemos mais perder pessoas para esse mal”, afirmou padre James.

“Em uma visita que tivemos de Dom Sergio, perguntei a ele se poderíamos fazer alguma coisa para chamar a atenção da sociedade, alertando para o que está acontecendo, e ele nos apoiou. Sabemos que podemos fazer algo enquanto movimento, muito através dos nossos grupos de oração e levar essa temática, para que as pessoas saibam que estão acontecendo inúmeros casos de suicídio na ponte e seria uma forma de ajudar para que outras pessoas que pensa em fazer o mesmo tenham o auxílio necessário para não chegar ao ponto de tirar a própria vida. Aqueles que tem condições de pagar ajuda profissional, tem meios para se recuperar, mas a gente está buscando ajudar com o voluntariado, através de parcerias com clínicas que tem psicólogo e psiquiatra”, explicou Cleide.

Há uma iniciativa de oferecer um acompanhamento psicológico, por meio do voluntariado no escritório da RCC, que ainda é incipiente para atender a grande procura por este atendimento. Cleide explica ainda que com as palestras que estão sendo realizadas por esta ação, houve manifestações de mais pessoas que buscam ajuda de profissionais na área da psicologia. “A demanda é enorme, buscando profissionais na área, e a gente não tem condições de ajudar e a gente quer também pedir ajuda da sociedade para essas pessoas que necessitam. Temos uma lista grande de pessoas que precisam de um atendimento psicológico, mas tem sido impossível atender todos apenas com duas voluntárias. Outro meio é o apoio espiritual que podemos dar por meio dos grupos de oração, nos quais muitas pessoas têm conseguido se libertar da depressão, do desejo de se matar. Há muitos jovens que não encontram objetivo na vida e desejam se matar, mas na verdade desejam matar a dor que sentem e não sabem explicar o porquê. São pessoas de idades e classes sociais diferentes que pedem ajuda e não sabem o que fazer”, afirmou Cleide.

O grande encontro está agendado para o dia 6 de outubro, a partir das 8h, e o local escolhido foi a Ponte Rio Negro, que tem sido um local escolhido por muitos daqueles que, na tentativa de cessar a dor que a depressão provoca, desejam tirar a sua vida, um ato muitas vezes desesperado. Neste local quer-se fazer um grande trabalho de conscientização e oração por todos aqueles que ali partiram e por quem sofre a depressão e tem o desejo de também ali tirar a sua vida.



Por: Ana Paula Gioia Lourenço

Assessoria de Comunicação da Arquidiocese de Manaus



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *