Arquidiocese de Manaus
Arquidiocese de Manaus

Grito dos Excluídos dá espaço para clamores por justiça, direitos e liberdade no dia 5 de setembro

“Este sistema não vale! Lutamos por Justiça, Direitos e Liberdade!” é o lema da 25º edição do Grito dos Excluídos e Excluídas – Vida em Primeiro Lugar, promovido pela Arquidiocese de Manaus, através da Cáritas e Pastorais Sociais, no dia 5 de setembro. A concentração acontece na Rotatória do Cacau Pirerâ, 1km após a Ponte Rio Negro, e espera reunir cerca de 5mil pessoas em uma Romaria das Águas, dando voz e vez a quem é colocado à margem da sociedade.

Trata-se de uma iniciativa encabeçada pela igreja católica, em todo o Brasil, que reúne movimentos sociais, visando despertar para a solidariedade, para a organização e renovação da esperança dos pobres, tornando-os sujeitos de uma nova sociedade, sinal do Reino de Deus.

“Na sua vigésima quinta edição, o grito já faz parte do calendário de eventos da sociedade civil. Seria muito bom se não fosse mais necessário fazer uma ação como essa. Isto seria possível caso o fenômeno da exclusão tivesse terminado ou diminuído a ponto de se tornar contornável. Em qualquer sociedade haverá indivíduos que serão excluídos ou que se colocarão com toda a liberdade fora da maioria. Mas no Brasil o fenômeno da exclusão é sistêmico. Grupos inteiros de pessoas são excluídas da saúde, educação, moradia digna, segurança como fruto de um sistema excludente”, destaca Dom Sergio Castriani, arcebispo metropolitano de Manaus.
O arcebispo ressalta ainda que o grito dos excluídos não é um grito de desespero, mas de alegria pelo dom da vida e quer chegar àqueles que impedem as pessoas de viver com seus planos econômicos e suas empresas que trazem a morte da natureza e da humanidade.

Pe. Alcimar Araújo, vice-presidente da Cáritas de Manaus explica que o evento quer que se façam presentes vários movimentos sociais, indígenas. “Estamos trazendo tudo isso para gritar justiça, por direito e por liberdade. Mas ao mesmo tempo o grito é de esperança, porque queremos ajudar o povo a compreender que a defesa da Amazônia nasce da nossa fé, pois estamos falando da criação que está sob a nossa responsabilidade. Por isso a gente convoca todos a se fazerem presente nesta Romaria das  águas que inicia do outro lado da Ponte, onde viremos gritando, rezando, cantando, refletindo as demandas todas e no meio da ponte faremos um ato pois ali oito pessoas, por mês, tiram suas vidas naquele lugar e de 2013 a 2017, 1119 pessoas que defenderam a floresta, a natureza, foram assassinadas. Nós temos motivos de sobra para gritar por justiça e por direitos”, afirmou.

Sobre a temática
Os direitos e os avanços democráticos conquistados nas últimas décadas, frutos de mobilizações e lutas, estão ameaçados. O ajuste fiscal, a reforma trabalhista aprovada e o projeto de Reforma da Previdência estão retirando direitos dos trabalhadores para favorecer aos interesses do mercado. Diante desta realidade vivida pela população, o Grito precisa colaborar para gerar processos de conscientização e de mobilização social e de profecia da Igreja em defesa dos mais vulneráveis.

Evento
Grito dos Excluídos e Excluídas 2019 – Romaria das Águas
Horário: 16h (Concentração)
Local: Rotatória no Cacau Pirêra (1km após da saída da Ponte Rio Negro).
Informações: (92) 3212-9030 / 3212-9031

 

Confira as fotos da coletiva de imprensa realizada no dia 3 de setembro para apresentar o evento e sua motivação aos veículos de comunicação de Manaus.

 



Por: Ana Paula Gioia Lourenço

Assessoria de Comunicação da Arquidiocese de Manaus



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *