Arquidiocese de Manaus

Mensagem do Arcebispo Dom Sergio Castriani – Edição 163

Caros leitores e leitoras,

Maio e Maria. Na sua beleza infinita ela visita as casas, aparece em Fátima e se alegra com as noivas que ainda fazem questão da bênção da Igreja. Foi-se o tempo em que havia filas de noivas nos sábados de maio diante das Igrejas. Há muito tempo casar no religioso deixou de ser obrigatório como era nos tempos em que a sociedade como tal era católica. Isto não quer dizer que o sacramento do matrimônio acabou. Ainda há casais que, por causa da fé que têm, fazem questão de celebrar o matrimônio junto com os familiares e amigos na Igreja, vivendo intensamente a dimensão religiosa do casamento, sinal da aliança de Deus com a humanidade e sinal eloquente do amor de Cristo pela Igreja. A beleza do amor só é total quando aberta para o transcendente. O que acontece com o amor entre homem e mulher quando é pensado e vivido sem uma relação com a humanidade e com a divindade que nos precedem, acontece com outras dimensões da vida humana. A humanidade fechada em si mesma começa a degenerar. Tudo está interligado, e é só nesta Interligação que as coisas e os acontecimentos adquirem sentido. Viver esta interligação, sabendo que todos dependem de todos e de cada um, é viver uma ecologia integral.

Ecologia tem a ver com casa, a casa comum, a todos os seres vivos. É o lugar onde a vida acontece desde as suas formas mais primitivas até as mais sofisticadas. A ciência nos fez conhecer quão danosa tem sido a ação da humanidade na vida do planeta que nos acolhe. Somos corresponsáveis pelo aquecimento global, pelo acúmulo de lixo nos oceanos, pelas desastres ecológicos que podem e devem ser chamados de crimes. O Papa Francisco tem nos lembrado que a relação que nós temos com a mãe terra deve ser uma reação de respeito por que a terra é criação divina em favor dos homens e das mulheres que são imagem e semelhança de Deus e tem na Terra a casa comum. Não foi por acaso que a nossa Assembleia escolheu como um dos desafios pastorais a vivência de uma ecologia integral, ao mesmo tempo que escolhia a vida familiar.

Um evento que tem pedido a nossa participação é o Sínodo para a Amazônia. Ele tem como tema uma nova evangelização para a nossa região, evangelização que implica mais que em outros lugares da terra uma ecologia integral. Queremos que as pessoas vivam melhor, e de maneira especial queremos que os povos originários sejam tratados com respeito e que possam viver em paz nesta terra que lhes pertence. O processo sinodal supõem muita participação. Sua recepção depois que se tornar uma Exortação Apostólica será proporcional ao envolvimento na fase preparatória. Em outubro, os nossos bispos estarão em Roma participando da sessão sinodal. É bom que eles tenham bastante subsídios vindos das comunidades.

Convido você a participar do terço nas casas durante este mês. Ofereça sua casa e receba a visita da imagem. Não se preocupe em oferecer lanche. Vai ver como é bom ser hospitaleiro. Foi na visita que Nossa Senhora fez a Isabel que Deus revelou seu plano de amor e seu jeito de agir. Visitar as casas é também reagir contra a violência nos bairros que separa as pessoas e instaura o medo. A superação da violência é um outro desafio que assumimos em assembleia. Mostrar que vizinhos podem rezar juntos é um belo testemunho. Um testemunho que os participantes do Terço dos Homens vêm dando com o seu movimento. A oração do terço e a oração dos pobres que proclama Jesus o Senhor, Deus e Homem, filho de Maria.

Neste mês completo sessenta e cinco anos de vida e quero agradecer a Deus todos esses anos vividos na sua presença. Nasci numa família católica. Tive a graça de ter pais comprometidos com a comunidade. Tinham defeitos mas procuravam ser honestos e ajudar os mais pobres. Tive a graça de conhecer a Igreja, sua liturgia, seus missionários, suas consagradas desde muito cedo. Agora que a velhice chegou, peço a Deus sabedoria para continuar a acolher o novo na minha vida e a ser um evangelizador, tendo sempre uma boa notícia para dar, sobretudo aos jovens. Um belo mês de maio a todos.

DOM SERGIO EDUARDO CASTRIANI
ARCEBISPO METROPOLITANO DE MANAUS


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *