Arquidiocese de Manaus

Cáritas Arquidiocesana celebra 57 anos de fundação com missa solene em São Sebastião

Na manhã desta quarta-feira (1/5), a Cáritas Arquidiocesana de Manaus festejou seus 57 anos de fundação com uma missa solene, realizada às 10h na Paróquia São Sebastião, presidida pelo Diretor Presidente da Cáritas e Arcebispo Metropolitano de Manaus, Dom Sergio Castriani; concelebrada pelo vice-presidente, Pe. José Alcimar de Souza Araújo e também pelos padres Daniel Curnis, Sebastião Maia e Frei Paulo Xavier, auxiliados pelo diácono Afonso Brito, Secretário executivo da Cáritas.

Vale a pena lembrar que a Cáritas Arquidiocesana de Manaus, é um organismo da CNBB ligada à Cáritas Brasileira, uma entidade de promoção e atuação social que trabalha na defesa dos direitos humanos, da segurança alimentar e do desenvolvimento sustentável solidário. Sua Atuação é junto dos excluídos e excluídas em defesa da vida na participação da construção solidária de uma sociedade justa, igualitária e plural. Em virtude disso, atua em diversas frentes de serviço, junto com inúmeros parceiros e vários agentes de pastorais que se fizeram presentes na celebração.

Durante a missa, o rito seguiu normalmente, tendo como diferencial a presença dos agentes da Cáritas participando diretamente em vários momentos, como na liturgia, preces, equipe de música, acolhida e etc. Em sua homilia, lida por Frei Paulo, Dom Sérgio fez uma retrospectiva do trabalho desenvolvido pela Cáritas ao longo de quase 60 anos atuando em Manaus, desde a sua fundação em maio de 1962, até os dias atuais salientando as mudanças que foram ocorrendo no decorrer dos anos, mas sem nunca perder o seu objetivo principal: praticar a caridade

“Nestes 57 anos, quantas vezes a Cáritas foi acionada nos momentos de emergência, seja nas enchentes ou longas secas, seja nas tragédias provocadas pelo fogo, ajudando na coleta de roupas e alimentos para quem perdeu tudo; seja nos momentos em que o desemprego desestrutura as famílias; seja ajudando no combate à doenças ou atuando nas questões de políticas públicas, lá esteve a Cáritas, sempre organizando a caridade e ajudando pessoas a vencer as dificuldades.

A Cáritas existe porque a Igreja não existe para si, e não pode ficar indiferente ao sofrimento humano. Acreditamos na bondade fundamental do ser humano, porque tudo que foi criado por Deus é bom. É preciso curar as feridas, restaurar a inocência, fazer brilhar a justiça e o direito, onde eles foram destruídos pela prepotência dos orgulhosos. E, após 57 anos, queremos renovar o compromisso de sermos caridade organizada, inteligente, criativa, numa igreja em saída, que não vive para si, mas para servir a humanidade. Isto é evangelizar, como fez o carpinteiro de Nazaré”, disse Dom Sérgio em suas palavras.

Antes do fim da celebração, Pe. Alcimar fez alguns agradecimentos a todos os presentes e fez um breve resumo das atividades que a Cáritas tem desenvolvido na Arquidiocese de Manaus. “Hoje é um dia de gratidão por tudo aquilo que Deus tem concedido e por tudo que a Cáritas tem feito ajudando em muitas questões que aparecerem junto à crianças, jovens, migrantes, comunidades ribeirinhas, indígenas urbanos, onde damos suporte aos mais necessitados que na, maioria das vezes, não tem seus direitos atendidos”, disse.

Pe. Alcimar também lembrou do importante trabalho das Cáritas Paroquiais, um compromisso firmado na X APA, que tem por objetivo organizar melhor a ação social da nossa igreja. “Muitas paróquias já estão pedindo a assessoria da Cáritas Arquidiocesana para implementar a Cáritas Paroquial e, aos poucos, já estamos germinando uma grande rede de assistência e defesa das pessoas e da vida, entre as paróquias que já possuem a Cáritas Paroquial organizada estão: N. Sra de Nazaré, Santo Antônio e São José Leste”, explicou.

Após a celebração, todos foram convidados a participarem de um coquetel no salão paroquial, mas antes disso, diácono Afonso fez questão de lembrar dos parceiros que trabalham junto à Cáritas. “Esse ano já atendemos mais de quatro mil venezuelanos, é um trabalho árduo e direto que desempenhamos junto com parceiros nacionais e internacionais, como: Misereor, Cáritas Alemanha, Consulado do Japão, Embaixada da França, ACNUR, Embrapa, UEA, UFAM, UNINORTE, Faculdade Salesiana Dom Bosco, Pastorais Sociais que nos ajudam tanto com o recurso finaceiro, mas também com formação, organização social e suporte técnico”, comentou Afonso.



Por: Érico Pena

Assessoria de Comunicação da Arquidiocese de Manaus



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *