Arquidiocese de Manaus
Arquidiocese de Manaus

Dedicação do altar e procissão marcam o fim dos festejos de São José no Lago do Limão

Localizado a 35Km de Cacau Pirêra, Distrito do Município de Iranduba, o Lago do Limão é uma comunidade pertencente ao Núcleo V, da Área Missionária Nossa Senhora Aparecida (AMNSA) – Setor Rio Negro. Foi neste lugar, repleto de pessoas sorridentes e acolhedoras que, neste último dia 19, o Arcebispo Metropolitano de Manaus, Dom Sergio Castriani, celebrou a solenidade da Dedicação do Altar da igreja de São José, com a participação de cerca de 200 pessoas, algumas vindas até de comunidades vizinhas, onde após a celebração participaram também da procissão em honra ao santo padroeiro, finalizando a noite com os festejos do arraial com atrações locais e comidas típicas.

Antes mesmo de chegar ao local, Dom Sergio fez uma breve parada no Sitio do Mirão, situado na entrada do ramal que conduz ao Lago do Limão. Lá o Arcebispo se encontrou com o pároco da AMNSA, Cândido Andrade, e conversou um pouco com os moradores locais. Na sequência seguiu caminho até chegar à igreja São José, sendo recebido com muito carinho por todos os moradores, da criança ao idoso, que não escondiam a satisfação de ter mais uma vez a presença do Arcebispo na comunidade que, mesmo não estando sua saúde 100%, fez questão dele próprio vir fazer a Dedicação do novo Altar diante de uma igreja lotada de fiéis, onde para muitos foi a primeira vez que participaram do rito que possui uma liturgia bem diferenciada.

E foi assim que, por volta das 17h45 a celebração teve início. Logo após as boas vindas do Arcebispo foi realizada a oração da benção da água pelo Pe. Hélio Benedetti, missionário da prelazia de Tefé, e depois foi aspergida sobre o altar e sobre o povo pelo diácono Ricardo Lopes que percorreu toda a igreja, em sinal de penitência e lembrança do batismo. Após a proclamação da Palavra, realizada pelo diácono Ronaldo dos Santos, Dom Sergio iniciou sua homilia dando ênfase na leitura do Evangelho que ressaltava a importância de José como esposo de Maria “Não existe Maria sem José e nem José sem Maria, pois Deus Escolheu os dois para serem os pais de Jesus”, disse. E concluiu comentando a respeito do Altar, como símbolo maior dentro da igreja.

“O altar é o centro das nossas celebrações, é o próprio Cristo e sinal de aliança com Deus, local de sacrifício e holocausto a Deus, por isso tem que ser de pedra, fixo, irremovível. No antigo testamento, o altar é sinal de permanência de Deus com o povo. No novo testamento o altar é Cristo, significa Jesus e por isso o altar é consagrado, porque no altar se consagra o pão e o vinho, é um lugar sagrado, feito de pedra e irremovível, tendo um local de destaque no templo. E, na igreja consagrada, é o sinal desta presença de Cristo ressuscitado no coração da comunidade”, disse o Arcebispo.

Após a homilia de Dom Sergio, Pe. Cândido entoou a ladainha de todos os santos antes de iniciar os preparativos do ritual de consagração, que constitui em: ungir os quatro cantos do altar com o óleo do Crisma para purificá-lo; a incensação do altar, simbolizando o sacrifício de Cristo e a fumaça que sobe para o céu é sinal das nossas orações, da nossa vida que se oferece a Deus; o revestimento com toalha branca, indicando que o altar é para o sacrifício eucarístico e mesa do Senhor; a iluminação do altar, lembra-nos que Cristo é a luz para a revelação dos povos.

Com o rito concluído a celebração seguiu normalmente e, após a comunhão, deu-se inicio a tradicional procissão, onde todos foram convidados a seguir em caminhada num breve trajeto conduzido pelo Pe. Cândido em honra ao padroeiro que esse ano teve como tema “Com São José somos todos enviados em missão”. “São José foi um homem de fé que soube fazer a leitura dos acontecimentos que a Palavra Sagrada de Deus estava sendo cumprida e assim junto com Maria teve a missão de cuidar do filho de Deus. Hoje estamos aqui para pedir a poderosa intercessão daquele que foi o pai de Jesus, daquele que foi o chefe da Sagrada Família de Nazaré e pedir a São José por todas família aqui do Lago do Limão e da AMNSA, que abençoe a igreja de Cristo, o Papa e o nosso Arcebispo, dando a ele o sustento para continuar no meio de nós como nosso pastor e guia”, comentou Pe. Cândido durante a procissão.

Ao término da procissão todos retornaram à igreja para receber a benção final, antes disso a coordenadora da comunidade, Maria Roberta dos Santos, fez um emocionante agradecimento pela presença de Dom Sergio, o Papa da Amazônia, como ela o denominou. “Para nós é uma alegria imensa ter Dom Sergio conosco novamente, ele que deixou de celebrar na cidade, para estar aqui conosco, mesmo a gente sabendo do seu atual estado de saúde, nós não temos palavras para agradecer ao senhor que para nós é um verdadeiro Papa sem Fronteiras, nosso Papa da Amazônia, só temos a agradecer de coração”, disse dona Roberta. Após a celebração, todos foram convidados a participar do arraial realizado na área externa da igreja com comidas típicas, lanche, bingo e som ao vivo com as atrações: Ministério de Música Ressoar, de Cacau Pirêra; José do Sax; e Banda Fortaleza.



Por: Érico Pena

Assessoria de Comunicação da Arquidiocese de Manaus



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *